Palco Giratório apresenta peça Animo Festas neste domingo

Uma história sobre um palhaço que anima festa de criança ao som de rock, música francesa e canções infantis de 80. Essa é a ideia do espetáculo “Animo Festas”, que acontece no domingo dia 30, às 19 horas, no Teatro Plácido de Castro; e faz parte do circuito nacional de Teatro Palco Giratório do Sesc. As entradas custam R$ 5 (meia) e R$ 10 (inteira).

O Projeto Aldeia Caiçuma das Artes do Sesc entra na reta final com este espetáculo, cuja indicação é para o público acima de 18 anos. O responsável por esse show é o Grupo La Cascata Cia. Cômica de São Paulo.

O universo do palhaço é personificado na sombria figura de Klaus. Ele vai onde ninguém vai! Ele anima festa de criança! Animo Festas é o freak-show do palhaço Klaus que nos narra seu submundo decadente como um animador de festas infantis.

Animo Festas, desnuda a máscara do palhaço com humor ácido e sarcasmo, colocando no centro do picadeiro uma pessoa que está à margem da sociedade, em seu embate pessoal entre a fidelidade à arte que se propõe e a necessidade financeira de se ajustar ao mercado.

O paulistano Marcio Douglas, criador de La Cascata Cia. Cômica, encarna o anti-herói da palhaçaria.

Sobre o Circuito Nacional Palco Giratório

Em 2018, o Circuito Nacional Palco Giratório completa 21 anos. Durante este período, cerca de 5.5 milhões de pessoas já assistiram aos espetáculos nos mais diversos estados do país. Foram mais de 9 mil apresentações em 170 cidades, consolidando uma imensa rede de afetos que sustenta vidas, histórias, encontros e percursos.

Neste ano, com 625 apresentações artísticas e mais de 1.600 horas de oficinas oferecidas em 132 cidades, em 26 estados e no Distrito Federal, a iniciativa do Sesc de difusão e intercâmbio de artes cênicas leva ao público uma programação caracterizada pela diversidade de expressões, qualidade de espetáculos e ações formativas com grupos das cinco regiões brasileiras.

Uma história sobre um palhaço que anima festa de criança ao som de rock, música francesa e canções infantis de 80. Essa é a ideia do espetáculo “Animo Festas”, que acontece no domingo dia 30, às 19 horas, no Teatro Plácido de Castro; e faz parte do circuito nacional de Teatro Placo Giratório do Sesc. As entradas custam R$ 5 (meia) e R$ 10 (inteira).

O Projeto Aldeia Caiçuma das Artes do Sesc entra na reta final com este espetáculo, cuja indicação é para o público acima de 18 anos. O responsável por esse show é o Grupo La Cascata Cia. Cômica de São Paulo.

O universo do palhaço é personificado na sombria figura de Klaus. Ele vai onde ninguém vai! Ele anima festa de criança! Animo Festas é o freak-show do palhaço Klaus que nos narra seu submundo decadente como um animador de festas infantis.

Animo Festas, desnuda a máscara do palhaço com humor ácido e sarcasmo, colocando no centro do picadeiro uma pessoa que está à margem da sociedade, em seu embate pessoal entre a fidelidade à arte que se propõe e a necessidade financeira de se ajustar ao mercado.

O paulistano Marcio Douglas, criador de La Cascata Cia. Cômica, encarna o anti-herói da palhaçaria.

Palco Giratório do Sesc traz à Capital espetáculo “Eles não usam tênis Naique” e oficina de improvisação cênica

No dia 21 de agosto, terça-feira, o Palco Giratório do Sesc apresenta no Teatro Plácido de Castro o espetáculo “Eles não usam tênis Naique”, com a Cia Marginal, do Rio de Janeiro (RJ). O espetáculo começa às 20 horas, a entrada para comerciários e estudantes R$ 5 e usuários R$ 10.

A peça é ambientada numa favela do Rio de Janeiro, narra o reencontro de um pai e uma filha que não se viam há muitos anos. Ele foi traficante nos anos 80, quando o comércio ilegal de drogas ainda mantinha um vínculo moral com a comunidade, ela é uma jovem traficante nos dias atuais.

O espetáculo gira em torno de um embate ideológico entre os dois personagens, representados em cena por quatro atores que se alternam sucessivamente nos dois papeis, num jogo cênico em que nenhuma posição é fixa e onde a ficção está sempre sob o risco da realidade. Explora a complexidade do tema do tráfico, encarando-o de diferentes perspectivas, do seu aspecto mais brutal à sua dimensão afetiva.

Oficina

No domingo, 19 das 9h às 13h e segunda, 20, das 18h às 2h, a companhia teatral ministra a oficina “Trocas Marginais”. Para se inscrever, é preciso ter pelo menos 18 anos. A oficina leva ao s participantes o preparo desenvolvido pela companhia em seus 12 anos de trabalho continuado, desenvolvendo pesquisa de linguagem sobre as tensões entre o pessoal e o coletivo, o real e o ficcional, a memória e a crítica social.

Haverá improvisações e exercícios de composição conjunta que levem os participantes a transitar entre aqueles extremos e a construir breves momentos cênicos onde já não seja mais possível diferenciar o pessoal do coletivo, a memória da crítica social, o real do ficcional.

teatro2

Sobre o grupo

A Cia Marginal foi criada em 2005, no Complexo da Maré (maior bairro popular do Rio de Janeiro). Reunindo artistas de dentro e fora da comunidade, ao longo de sua trajetória, o grupo produziu quatro espetáculos: Qual é a nossa cara? (2007), Ô, Lili (2011), In Trânsito (2013) e Eles não usam Tênis Naique (2015). Em sua maioria criados a partir de laboratórios de pesquisa em contextos situados (favelas, presídios, estações de trens), os espetáculos da Cia resultam de um projeto artístico de intervenção e reflexão sobre a cidade de um ponto de vista específico: suas margens, bordas, seus espaços limites e periféricos.