Mais um plano de fuga é frustrado na tarde deste domingo, no Complexo Penitenciário de Rio Branco

Policiais penais do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) frustraram mais um plano de fuga de sete detentos do Complexo Penitenciário de rio Branco, na tarde deste domingo, 24. A ocorrência foi registrada na cela 22 do pavilhão “I” da Unidade de Regime Fechado, destinada aos presos sentenciados.
De acordo com a equipe de plantão, durante o procedimento de verificação de estrutura, realizado às 16h30 no pavilhão I, os policiais penais encontraram uma escada artesanal, um aparelho celular, uma faca e uma tereza (espécie de corda artesanal produzida com leçol).

O material foi encontrado na cela 22 do referido pavilhão, onde sete detentos cumprem pena. Devido à apreensão, os detentos foram encaminhados ao isolamento preventivo e responderão a procedimento administrativo disciplinar para apurar a falta cometida.

PCC realiza fuga em massa em prisão no Paraguai, e 75 conseguem escapar

Setenta e cinco presos, a maioria membros do PCC (Primeiro Comando da Capital), fugiram na madrugada deste domingo (19) de uma prisão em Pedro Juan Caballero, no Paraguai. 

A facção brasileira tem forte atuação no Paraguai, devido a tráfico de drogas. 

De acordo com a imprensa do país,  foi encontrado um túnel que ligava um dos pavilhões, voltados a presos da facção criminosa brasileira, à área externa da prisão. 

O governo paraguai, no entanto, considera que parte dos criminosos possa ter fugido durante a semana sem usar o túnel. Os responsáveis pela prisão já foram afastados. 

“Foi encontrado um túnel e acreditamos que esse túnel foi um recurso enganoso para legitimar ou maquiar a liberação dos presos. Há cumplicidade com as pessoas de dentro da prisão e esse é um fenômeno que acontece em todas as penitenciárias”, afirmou o ministro do Interior do país, Euclides Acevedo, em nota publicada em site do governo.

De acordo com ele, o país está em alerta máximo, pois os presos são de grande periculosidade. Segundo ele, entre os 75 presos — e não 91, como divulgado inicialmente pela imprensa paraguaia —a maioria é de integrantes do PCC. 

O ministro afirmou que é possível que alguns dos detentos tenham fugido para o Brasil. 

A ministra da Justiça, Cecilia Pérez, ordenou a destituição do diretor da penitenciária e de outros funcionários. “É categórico que houve corrupção”, disse Cecilia à rádio paraguaia ABC Cardinal. 

A suspeita é que a facção criminosa tenha comprado a sua fuga —circulam informações, segundo a ministra, de que o pagamento pode ter sido de US$ 80 mil. 

Em uma das celas do presídio foram encontrados cerca de 200 sacos de terra, retirada para que o túnel fosse feito. 

Jornais do país afirmam também que a Polícia Federal brasileira também foi avisada. 

Sacos de areia encontrados em cela, após fuga de integrantes do PCC no Paraguai
Sacos de areia encontrados em cela, após fuga de integrantes do PCC no Paraguai – Reprodução

folha

Agentes evitam fuga no Centro Socioeducativo Santa Juliana

O fato ocorreu na madrugada deste domingo por volta das 00h30, quando os adolescentes começaram a pedir água para a equipe de agentes socioeducativos. A equipe estranhou a insistência e decidiu acionar o reforço, inclusive uma equipe da Polícia Militar. Eles logo perceberam que em duas celas as grades tinham sido serradas.

Em cada uma das celas estavam seis adolescentes. O plano iniciado por eles era promover a fuga de todos adolescentes de um dos pavilhões do Centro Socioeducativo Santa Juliana, um total de 37 adolescentes infratores.

A identificação prévia das grades serradas evitou a fuga. Também foram localizadas a serra utilizada na operação e o chinelo que serviu para facilitar a entrada do objeto na unidade. O material foi recolhido e encaminhado para delegacia na qual foi registrada a ocorrência. O reparo nas grades foi feito na manhã de domingo.

Para o diretor presidente do ISE, Rogério Silva, o importante é que a fuga foi evitada e que odos saíram ilesos durante a ação. Ele destaca o trabalho e expertise da equipe plantonista e da Polícia Militar. Silva lamenta e chama de “desserviço”, a atitude do familiar que levou a serra para dentro da unidade.

“Levar um objeto perfuro-cortante ou substâncias entorpecentes para o interior de uma unidade, colocando a vida dos educadores, adolescentes e de toda sociedade em risco é agir de forma irresponsável, além de demonstrar o seu esforço contrário às ações socioeducativas desses adolescentes”, diz o diretor informando que irá pedir a responsabilidade criminal desse familiar.

Onze presos fazem buraco em cela e são flagrados em tentativa de fuga

A tentativa de fuga de onze detentos do Complexo Penitenciário Francisco D’Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco, ocorreu na madrugada de terça-feira, 29.Os agentes penitenciários com apoio de policiais militares interromperam a ação.

Os presos estavam em uma cela do pavilhão “F” onde estão alojados presos em regime provisório ligados a facção criminosa Comando Vermelho. Na cela, haviam 42 pessoas e os onze tentaram fugir ao abrirem um buraco no forro tendo acesso ao telhado.

Conforme o diretor do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen), Lucas Gomes, os detentos que tentaram deixar o presídio estão em regime provisório. Eles fizeram um buraco no forro da cela que dá acesso ao telhado da unidade.

“Na cela tinham 42 presos, dentre os quais, 11 tentaram fugir pelo forro. É uma estrutura que a gente ainda deve mudar, porque é inadequada para presídios e que teve que ser reaproveitada ano passado em decorrência da superlotação. Desses 11 que furaram o forro, 10 estavam no telhado e um já tinha conseguido sair do pavilhão e foi achado dentro de um açude que fica ao lado do pavilhão F”, afirmou o diretor.

Todos foram levados à Delegacia de Flagrantes (DEFLA) e deverão responder pelo crime de dano ao patrimônio público. A cela foi desocupada para os devidos procedimentos de reparo no forro, uma revista também foi realizada naquele pavilhão e um procedimento administrativo foi aberto pelo Instituto.

Com informações do G1/AC

Agentes frustram tentativa de fuga no presídio Francisco D’Oliveira Conde

A tentativa de fuga foi identificada pelos agentes penitenciários do Presídio Francisco D’Oliveira Conde, na madrugada deste domingo, 20, em Rio Branco. O flagrante identificou três detentos que fizeram um buraco na cela 7 do pavilhão A e pelo forro conseguiram acesso à parte externa da unidade.

Entre os presos capturados estão Bruno Almeida da Silva, José Luiz Fonseca da Silva e Alex Cavalcante dos Santos. Eles foram levados para a Delegacia de Flagrantes de Rio Branco (Defla) e segundo o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen), um processo administrativo foi aberto para investigar o caso.

Conforme o diretor do Iapen, Lucas Gomes, ao todo 21 presos estavam na cela onde foi feito o buraco e três já estavam do lado fora dela tentando escalar o muro usando ‘terezas’. Ainda de acordo com o diretor, o pavilhão onde ocorreu a tentativa de fuga está superlotado.

“O pavilhão A é um dos que a gente tem os maiores problemas hoje, é um pavilhão superlotado, que tem quase 700 presos. Esses detentos tentaram fugir quebrando a lage da cela, mas foram interceptados ainda no muro que faz limite do banho de sol. É um prédio com estrutura precária, que precisa ser reformado. Graças a atenção dos agentes, essa fuga foi impedida”, afirmou Lucas Gomes.

O Iapen informou que a cela onde os detentos fizeram o buraco foi desocupada e durante este domingo, 20, deve passar por reforma.

presos002

Não foi o primeiro caso em 2019

No último dia 5, durante revista os agentes encontraram um buraco em uma das celas do Pavilhão F do Complexo Prisional. Na ocasião, nenhum dos 30 detentos que ocupavam a cela não conseguiram sair.

Com informações G1/AC

Agentes evitam fuga ao realizar revista em pavilhão no FOC

Uma revista realizada no Pavilhão F do Complexo Prisional Francisco d’Oliveira Conde (FOC), em Rio Branco, impediu a fuga de 30 presos da cela 10 da unidade. Os agentes penitenciários descobriram um buraco na parede de uma das celas em que estão presos membros de uma organização criminosa. Os presos estavam planejando uma fuga geral.

O diretor-presidente do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC), Lucas Bolzoni, disse que essa foi a segunda tentativa de fuga no presídio em nove dias. Ainda segundo ele, o pavilhão havia sido desativado.

“O pavilhão F é o que tem a estrutura mais precária de Rio Branco, já tinha sido desativado por ordem judicial, mas recentemente, devido à lotação, foi ativado. Não tem uma estrutura adequada. Há nove dias serraram uma grade, mas foram impedidos pelos agentes”, explicou.

Bolzoni falou ainda que os detentos quebraram a ‘bigorna’, parte utilizada para entrada luz solar na cela. O diretor acrescentou que os presos desta cela são de uma facção criminosa.

“Reforçamos o efetivo nesse pavilhão devido as tentativas de fuga. As rondas em torno dele também foram reforçadas. É um prédio vulnerável, porque fica na parte de trás onde era o [presídio] feminino, a muralha está um pouco danificada. A situação é bem crítica”, lamentou.

Durante o procedimento de rotina, agentes penitenciários detectaram que uma das grades da cela havia sido serrada, o que possibilitaria a fuga dos presos.

Diante da situação, os agentes providenciaram o isolamento preventivo dos responsáveis, bem como o remanejamento dos demais presos da cela danificada.

A ação contou com o apoio da equipe do Grupo Penitenciário de Operações Especiais (GPOE).

Com informações G1/AC

Criminosos assaltam loja e trocam tiros com policial durante fuga

O vídeo mostra dois homens armados rendendo funcionários e roubando pertences pessoais em cima das mesas de atendimento de uma loja localizada na Rio de Janeiro, próximo ao Cemitério São João Batista, em Rio Branco. Eles levam alguns objetos e até quebram um celular, antes de fugir agridem um homem que estava no chão com chutes e pontapés.

Os mesmos criminosos, segundo informações repassadas por populares, teriam se evadido em direção a Baixada, onde tentaram mais um roubo em um posto de combustível, que acabou não dando certo. Eles trocaram tiros com um policial a paisana e fugiram sem levar nada de valor.

Mesmo com os disparos, não foi registrado queixa de feridos, mas uma guarnição foi acionada para realizar as buscas na região a procura dos assaltantes que usavam uma motocicleta.

Após fuga em massa, mais 12 presos são flagrados tentando deixar presídio de Rio Branco

Detentos fizeram buraco em cela e foram pegos já no solário da unidade, na madrugada desta terça-feira (15). Informação foi confirmada pelo Iapen-AC

Após a fuga em massa registra no domingo (6) no presídio Francisco d’Oliveira Conde, mais 12 presos foram flagrados tentando sair da unidade na madrugada desta terça-feira (15). Todos os detentos da cela 5 do pavilhão D.

O diretor do Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC), Aberson Carvalho, confirmou a tentativa de fuga. Segundo ele, os presos fizeram um buraco na cela e foram flagrados já no solário do presídio.

“Houve essa tentativa de fuga, mas ela foi frustrada pelos agentes e todos estão de volta no pavilhão, mas na questão disciplinar. Eles fizeram um buraco na cela, foram para o solário, mas foram encontrados”, afirmou Carvalho.

O Iapen informou que vai abrir um procedimento interno para apurar como o grupo conseguiu fazer o buraco e sair da cela. Os presos devem sofrer sanção disciplinar.

Na fuga do último dia 6, 11 presos conseguiram deixar a unidade prisional. Eles usaram uma corda ‘tereza’- feita com lençóis emendados – para escalar a muralha da unidade. Todos os detentos eram da cela 22 e fugiram após fazerem um buraco no banheiro.

Até esta terça (15), apenas um dos 11 detentos foi capturado. Após uma denúncia anônima, o Grupo Penitenciário de Operações Especiais (GPOE) conseguiu localizar o foragido Valdemir de Lima Silva, na sexta-feira (11), na zona rural de Xapuri.

Em menos de 10 meses, mais de 80 foragidos

Em menos de 10 meses, mais de 80 detentos conseguiram fugir de presídios de quatro cidades acreanas. Desde julho do ano passado, foram registradas ao menos 11 fugas.

As fugas ocorreram nos presídios Francisco D’ Oliveira Conde, em Rio Branco, Moacir Prado, em Tarauacá, Manoel Neri, em Cruzeiro do Sul e 5ª Unidade Prisional, em Feijó.