Ex-secretário Gilberto Siqueira é preso pela PF acusado de participar de quadrilha que fraudava licitação no Amapá

O ex-secretário Gilberto Siqueira foi preso pela Polícia Federal, nesta quinta-feira (27), em Rio Branco, acusado de participar de uma quadrilha que fraudava licitação de consultoria no Estado do Amapá. A ação é resultado de um trabalho em conjunto com a Controladoria Geral da União. Gilberto Siqueira foi secretário em gestões petistas anteriores que estiveram à frente do governo do Acre.

O mandado de prisão de Siqueira foi expedido para ser cumprido em Porto Velho, no Estado de Rondônia, mas ele foi preso na cidade de Rio Branco. A Operação Arauto cumpriu 7 mandados de prisão temporária e 14 mandados de busca e apreensão, além do sequestro de bens e valores, nas cidades de Macapá/AP, Belém/PA, Porto Velho/RO, São Paulo/SP e Curitiba/PR.

De acordo com as investigações, duas empresas de consultoria, previamente ajustadas, participavam da licitação, visando dar aparência de concorrência. Contudo, no ato da abertura das propostas da licitação, verificou-se que o representante de uma das empresas concorrentes era um mototaxista, que teria recebido R$ 50 para entregar a proposta, sem participar do certame.

O valor aproximado da licitação objeto da investigação era de R$ 20 milhões, com aporte de recursos do Programa de Apoio ao Investimento dos Estados e Distrito Federal (Proinveste) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Verificou-se a atuação de lobista junto ao BNDES, cuja função principal era obter recursos para o Estado do Amapá. Ele atuava em conluio com empresários e agentes públicos na contratação fraudulenta de empresa de consultoria, com a finalidade de desviar parte dos recursos. Ao menos R$ 2 milhões foram desviados em favor da atuação do lobista. A investigação também apontou o pagamento de vantagens indevidas ao fiscal do contrato.

Os investigados responderão, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes de associação criminosa, fraude em licitação, corrupção passiva e peculato. Se condenados, as penas somadas podem chegar a 31 anos reclusão.

O termo arauto significa mensageiro, porta-voz e, no caso, faz alusão ao lobista que atuava como mensageiro entre funcionários do BNDES, empresários e agentes públicos.

Com informações da assessoria da PF

Eleição: Ex-secretário de Marcus Alexandre lidera pesquisa

O sindicalista e ex-secretário de Administração de Rio Branco na gestão de Marcus Alexandre, Claudio Ezequiel, lidera pesquisa de intenção de voto para deputado estadual na pesquisa realizada pelo Instituto Phoenix em 10 municípios do Acre. O levantamento foi divulgado pelo portal Folha Rondoniense e (www.folharondoniense.com.br) contratada pelo jornal Folha Continental, e mostra Claudio Ezequiel à frente com 4,75% de intenção de voto. O deputado Jenilson Leite aparece em segundo, com 4,26%. “Na verdade é uma boa indicação mas para deputado não tem base científica. Mas é bom a gente estar aparecendo porque isso significa que o nosso nome está sendo lembrado”, avaliou o líder. Claudio é candidato pelo PSOL.

De acordo com o Instituto Phoenix, a coleta de dados atendeu ao método estratificado probabilístico por quotas proporcionais. Assim foram ouvidos 611 eleitores de ambos os sexos, nas faixas e seguimentos sociais em proporção à população de cada Município selecionado, no período registrado de acordo com o cronograma estabelecido pela empresa pesquisadora – entre os dias 3 e 8 deste mês em dez dos 22 Municípios daquela unidade federativa.A pesquisa foi registrada no TRE Sob o número AC-08514/2018, foram obedecidos prazos e normativas da justiça eleitoral, dentro da legalidade do pleito.

Além da Capital Rio Branco, os pesquisadores do renomado Instituto estiveram presentes em mais nove unidades municipais entre elas as da Região do Juruá como Cruzeiro do Sul e Tarauacá, colégios eleitorais de porte no cenário estadual. Feito o processo de tabulação e condensação dos dados coletados de forma sistemática, os dados foram divulgados em plataformas sediadas em Rondônia. Para governador, o candidato do PP, Gladson Cameli, está na frente com 31,59% contra 23,24% do segundo colocado, Marcus Alexandre. Para deputado federal, Jessica Sales e Bocalom estão nas primeiras colocações.