Abertura do Encontro Chico Mendes 30 anos é marcada por falas de resistência

Se estivesse vivo, Chico Mendes – maior ambientalista da América Latina – completaria 74 anos neste sábado, 15. Assassinado em 22 de dezembro de 1988, a liderança acreana deu voz aos povos da floresta, tornando-se mensageiro da defesa de políticas públicas ambientais pautadas no desenvolvimento sustentável, conservação, inclusão social e cidadania.

Os ensinamentos de Chico e seus companheiros vivem no coração e ideais de socioambientalistas e lideranças extrativistas do mundo inteiro, que encontram-se em Xapuri para participar do “Encontro Chico Mendes 30 anos: Uma Memória a Honrar. Um Legado a Defender”. A abertura do evento, que se iniciou na manhã deste sábado, 15, foi marcada por falas de resistência e muita emoção do público presente.

Lívia Mendes, 9 anos, emocionou a todos com a leitura da carta que escreveu para o bisavô. “Meu querido bisavô Chico Mendes, eu gostaria de ter conhecido você. Me contaram sobre você, sobre a sua história e eu sei que você sempre foi importante para o mundo e sempre será. Você salvou a floresta amazônica. Por sua causa, ela é a maior floresta do mundo. Tomara que as pessoas tenham consciência e tenham aprendido que não vivem sem a natureza”, destacou em meio a aplausos.

O encontro, promovido pelo Conselho Nacional das Populações Extrativistas (CNS), entra para a história por reunir lideranças renomadas que ajudaram a construir e consolidar esse legado de políticas públicas ambientais, que nasceu no Acre – Estado reconhecido internacionalmente por promover há 20 anos um modelo de gestão produtiva de base diversificada sustentável.

Emocionado, o deputado federal (AC) Leo de Brito alertou sobre a necessidade de mobilização e resistência. “Nós precisamos entender que a geração do Chico e os movimentos socioambientalistas consolidaram conquistas respaldadas pela nossa Constituição Federal. Entretanto, vimos sob ameaça de desconstrução a Constituição de 88 e é necessário que nós passemos a discutir a resistência. Portanto, nós podemos sair desse evento sem um novo Empate e uma nova Aliança dos Povos da Floresta do século 21.”

O presidente do CNS, Joaquim Belo deu as boas-vindas aos participantes e reforçou a luta pela defesa dos povos da Amazônia. “Sabemos que o cenário político atual é assustador, mas a nossa luta não pode parar, reafirmando tudo que a gente fez e zelando por aqueles que lutaram, ao mesmo tempo em que agregamos novos militantes, em especial os jovens”, frisou.

Logo após a abertura oficial do encontro, o senador Jorge Viana mediou o painel “Vozes da Floresta”, que contou com o depoimento de lideranças indígenas, extrativistas e parceiros de luta de Chico Mendes. “Há 30 anos, nós vivíamos uma ameaça como a que estamos enfrentando agora, e quem pagou com a vida foi o Chico. Entretanto, a ameaça que estamos enfrentado agora pode ser contornada sem ninguém perder a vida. Por isso, convido a todos, em especial a juventude, para continuar essa luta de vida”, ressaltou Jorge.

chico mendes1

Resistência e compromisso

Desde 1999 o governo do Acre constrói e desenvolve políticas públicas pautadas nos ensinamentos de Chico Mendes e seus companheiros. A gestão estadual reconhece como bens estratégicos a floresta e a relação de respeito entre os povos que ali vivem – indígenas, seringueiros, ribeirinhos e agricultores – e as populações das cidades.

Representando o governador Tião Viana, a chefe da Casa Civil, Márcia Regina Pereira, salientou a contribuição de pessoas e instituições que contribuíram e contribuem para a concepção de um planeta sustentável. “No Acre, os governos do Jorge Viana, Binho Marques e, agora, do Tião Viana alcançaram avanços significativos, como ter saído do último lugar em qualidade de ensino e, hoje, estar entre os dez primeiros no ranking nacional. Agradeço a todas as pessoas e instituições, a todos que acreditaram e se uniram ao governo nesse propósito.”

O Encontro Chico Mendes 30 anos é promovido em Xapuri de 15 a 17 de dezembro. Neste sábado, 15, o governo do Estado realiza a entrega do Prêmio Chico Mendes de Florestania a personalidades que contribuem com o desenvolvimento sustentável, bandeira defendida pelo mártir ambiental.

Secretaria de Estado de Comunicação é parceira no Encontro Chico Mendes

Assassinado há quase 30 anos, o maior ambientalista da América Latina, Chico Mendes, vive nos corações e ideias daqueles que acreditam e defendem políticas de desenvolvimento sustentável. O evento que rememora a data e o legado de Chico em defesa da Amazônia será promovido de 15 a 17, em Xapuri.

O “Encontro Chico Mendes 30 anos: uma memória a honrar. Um legado a defender” conta com a parceria e apoio da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) e Fundação Fundação Aldeia de Comunicação (Fundac), que integram o grupo de instituições responsáveis por divulgar esse momento histórico.

Nesta terça-feira, 11, a secretária de Comunicação, Andréa Zílio, reuniu-se com a jornalista socioambiental Zezé Weiss, com o presidente do Conselho Nacional de Seringueiros (CNS), Joaquim Belo, com o presidente da Fundação Municipal de Cultura Garibaldi Brasil (FGB), Sérgio de Carvalho, e demais comunicadores do Comitê Chico Mendes, Embrapa e instituições parceiras, para definir o planejamento de trabalho durante o encontro.

“O Encontro Chico Mendes 30 anos representa um grande momento de reconhecimento de todo o legado e conquistas dessa luta, reunindo tantos nomes que protagonizaram momentos importantes do nosso Acre, que refletiram no Brasil e no mundo. A equipe da Secom e Fundac também se integra aos organizadores para colaborar com o trabalho de registro e divulgação de tudo que ocorrerá nesses três dias”, ressaltou a secretária.

Zezé Weiss, que é secretária executiva do encontro, agradeceu a parceria com o Estado. “Sem essa parceria esse evento teria uma repercussão e uma capacidade de ecoar os ideais e a voz do Chico pelo mundo muito menor. Nós da organização estamos extremamente felizes com a participação da Secom, pois Chico Mendes continua vivo graças a nossa parceria”, frisou.

Pessoas de todas as partes do Brasil e do mundo são aguardadas para o Encontro Chico Mendes 30 anos, que vai reunir no interior do Acre lideranças extrativistas e ambientalistas renomados.

Para o presidente do CNS, Joaquim Belo, o evento agrega três gerações. “Promoveremos um encontro de gerações: uma geração que construiu essa luta lá atrás e está aí para contar essa história, outra que vem consolidando esse ideal e os jovens que os grandes responsáveis por tocar esse legado no futuro.”

Programação

Durante os três dias, os visitantes terão acesso a uma vasta programação, montada para relembrar quem foi o líder seringueiro e seu legado em defesa da preservação da floresta aliada ao desenvolvimento sustentável.

No sábado, 15, em Xapuri, a programação se inicia às oito da manhã com falas de aberturas de importantes representatividades acreanas, brasileiras e mundiais. Em seguida, às 9 horas, será feita a leitura de um poema declamado por Lívia Mamede, bisneta do seringueiro.

À noite, o governador Tião Viana realiza a entrega do Prêmio Chico Mendes de Florestania a personalidades que contribuem com o desenvolvimento sustentável, bandeira defendida pelo mártir ambiental.

A programação inclui ainda a inauguração da Exposição Chico Mendes Herói do Brasil, na sede do Sindicato dos Trabalhadores e das Trabalhadoras Rurais (STTR Xapuri), e uma romaria ao túmulo do ativista, além de uma tarde dedicada a ouvir as vozes das Mulheres da Floresta.

Jorge Viana dialoga com companheiros durante encontro

O senador Jorge Viana, depois da eleição, tem concentrado seu trabalho em concluir o mandato de senador e organizar o que ele chama de prestação de contas do mandato. Tem dito que o protagonismo agora é dos eleitos e falado em esperar a virada do ano, e até mesmo o carnaval passar, para se fazer uma avaliação mais tranquila do último processo eleitoral. “Qualquer tentativa de fazê-la agora seria um erro. O governo vai até o dia 31 de dezembro e o meu próprio mandato até 31 de janeiro”, ressalta.

O senador tem demonstrado preocupação, especialmente com as pessoas que se expuseram e trabalharam por muito tempo na construção do projeto político da Frente Popular e que agora têm de reorganizar suas vidas. Ele próprio tem deixado claro que vai reorganizar a sua vida, reservando sempre um espaço para a atuação política, mesmo que de maneira discreta. “Entendo que agora é hora dos que ganharam sentar na cadeira, tomar as decisões e mostrar serviço”.

O senador, que promoveu talvez as maiores transformações em Rio Branco e no Acre, como prefeito e ex-governador, afirma sempre que uma boa maneira de promover mudanças, inclusão social e melhorar a vida das pessoas é através da política. O senador também tem repetido que o tempo não perdoa quem faz as coisas sem ele. “É hora de dar tempo ao tempo”, diz Jorge Viana.

Mas o parlamentar tem estimulado que as pessoas conversem e ele mesmo tem tido conversas reservadas. Nesse fim de semana, Jorge Viana reuniu algumas lideranças que ocuparam e ocupam mandatos. Como ele diz, um pequeno grupo de colegas. No almoço, em sua residência, se encontrou com o ex-prefeito Marcus Alexandre, o deputado federal e ex-prefeito Angelim, além dos deputados estaduais Daniel Zen, Lourival Marques e Jonas Lima. A ideia de Jorge é seguir conversando com lideranças, sem que isso implique em fazer uma avaliação da eleição ou tomar encaminhamentos que, para ele, precisam de boas reflexões e a participação de muitos.

“Foi um papo descontraído e também uma hora de a gente fazer valer a amizade que construímos ao longo desses anos. Além de uma história muito bonita construída no Acre, nós temos grandes companheiros, experientes e importantes lideranças políticas. Isso faz uma diferença danada, especialmente nesses tempos de incerteza e de enfrentamentos”, declarou. “Os tempos são de extrema dificuldade para muitos companheiros. Mas é nas horas difíceis que a gente conhece os amigos”.

Quando questionado sobre o resultado das eleições, Jorge Viana afirma que não tem como ficar chateado com aqueles que não votaram nele. “Eles já me ajudaram em outras eleições, certamente. Então é seguir em frente e sem nenhum ressentimento”, afirma. Aliás, o senador tem recebido muitas manifestações de pessoas surpresas com a sua não reeleição e achando que ele poderia ajudar muito o Acre e o Brasil numa hora como essa.

Nesse último fim de semana, em visita ao Jornal A Gazeta, Jorge Viana ressaltou que não basta fazer autocrítica, é preciso ser resiliente. “Temos que ser resilientes e passar por um processo de reinvenção e adaptação, e não de enfrentamento. Fazer autocrítica é pouco… Nós temos é que mudar de verdade”, declarou.

PSDB-Acre participa de encontro com Doria

Os líderes tucanos do Acre estiveram presentes no encontro com o governador eleito de São Paulo, João Doria, em Brasília na última quarta-feira, 07.

A caravana liderada pelo deputado federal e vice-governador eleito, Major Rocha, contou com a presença da deputada federal eleita, Mara Rocha, dos deputados estaduais eleitos, Sargento Cadmiel Bonfim e Luiz Gonzaga, além do presidente regional da sigla, Manoel Pedro, mais conhecido como “Correinha”.

No encontro, Doria destacou a importância da sigla se reaproximar da sociedade e dos movimentos trabalhistas. Para o presidente do PSDB acreano, o encontro é de fundamental importância, para o fortalecimento do partido. “O encontro foi muito proveitoso para uma análise profunda do PSDB a nível nacional. É hora de fazermos uma autocrítica e saber sair deste momento com grandeza”, pontuou Correinha.

Mara Rocha que será a representante acreana do partido na Câmara Federal, a partir de 2019, destacou a importância da união das lideranças nacionais, em prol de um PSDB forte. “Estou muito feliz em poder conhecer mais o PSDB, e suas lideranças nacionais e de outros estados, é uma experiência muito boa, sem dúvida fortalece nosso partido”, frisou Mara.

O vice-governador eleito do Acre, major Rocha, aproveitou o encontro para destacar o momento necessário de autoavaliação do partido, frente ao novo cenário político. “É necessário que o partido saiba avaliar os resultados das urnas, existe uma mensagem muito grande da sociedade, não podemos ignorar está realidade”, disse Rocha.

Os deputados estaduais Luiz Gonzaga e Cadmiel Bonfim avaliaram positivamente o encontro.

“Estou entrando na política agora, tudo é novo, porém percebi a responsabilidade que o PSDB tem com o país”, destacou Cadmiel.

“Esse é o rumo, para quem pensa em representar o país verdadeiramente, o segredo é ouvir a voz da rua”, destacou Gonzaga.

Encontro entre Gladson e Dória discute segurança pública e infraestrutura

O senador e governador eleito pelo Acre para o quadriênio 2019-2022, Gladson Cameli (Progressistas), esteve na manhã deste domingo (04) reunido com o governador eleito de São Paulo, João Dória (PSDB), para discutir ações a serem implementadas no estado do Acre nas áreas de segurança pública e infraestrutura a partir do próximo ano.

Cameli, que pretende rever as políticas de segurança pública para o estado, investindo na estrutura das Polícias Civil e Militar com a contratação de candidatos aprovados em concursos públicos e a aquisição de equipamentos, fardamentos e treinamentos, disse que o Acre precisa seguir o exemplo de estados que trabalham pelo progresso, e para isso é preciso buscar modelos de gestões que estão dando certo.

Outro setor discutido entre Gladson e Dória foi o da infraestrutura, que segundo Cameli é a ponte principal para qualquer governo que pensa em atrair investimentos para seu estado. Gladson, que é engenheiro civil, pretende alavancar o setor de infraestrutura local buscando recursos junto ao Governo Federal para recuperação e manutenção das BR´s 364 e 317, o anel viário de Brasileia, e a conclusão da ponte sobre o rio Madeira, interligando o Acre ao restante do Brasil e implementando de uma vez por todas a rota para o Oceano Pacífico.

Gladson Cameli parabenizou João Dória pela sua vitória e ressaltou que está determinado a unir forças para que o Acre supere o momento de crise pelo qual passa, contando com governantes experientes e que pensam num Brasil melhor para todas as famílias. “Acredito que nós, governadores eleitos, estaremos unindo nossas bancadas de deputados e senadores para fazermos as grandes reformas que o país precisa e então garantirmos tempos de paz e progresso para o nosso povo”, afirmou ele.

João Dória parabenizou Cameli pela vitória para o governo do Acre e disse que São Paulo estará junto com o Acre para apoiar os projetos em prol do seu desenvolvimento. Segundo ele, uma pauta conjunta na área de segurança pública e infraestrutura já está sendo desenhada e deverá ser executada através de novas discussões e ações dos dois governadores eleitos, a partir de 2019.

Eles estarão reunidos novamente em Brasília no dia 14 de novembro quando discutirão questões relacionadas ao Pacto Federativo, que prevê uma repartição mais justa dos recursos e obrigações, entre elas fiscais, entre o Governo Federal, estados e municípios brasileiros.

Mulheres camponesas celebram protagonismo feminino em encontro

Para celebrar os 30 anos de organização e lutas foi realizado nesta quarta-feira, 5, o II Encontro Estadual do Movimento de Mulheres Camponesas do Acre. O evento reuniu lideranças femininas do Acre e de outros estados brasileiros.

São mulheres que não estão diante dos holofotes, mas que têm fundamental importância para a sociedade. Elas desenvolvem suas atividades e ajudam no dia a dia da vida no campo, auxiliam na produção e colheita da lavoura que chega às mesas da população em forma de alimentação saudável.

A coordenadora do MMC no Acre, Geovana Castelo Branco, explica o objetivo do encontro. “Nosso primeiro encontro foi fundamental pra nós camponesas, já estamos realizando o segundo com o objetivo de fortalecer o Movimento de Mulheres Camponesas desde a base e fazer um chamamento para que permaneçam na luta por mais visibilidade diante ao papel importante que a mulher exerce na produção de alimentos, celebrando conquistas e planejando o futuro.

Concita Maia, gestora da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SepMulheres) reafirma o compromisso do governo do Estado com o trabalho desenvolvido pelas camponesas, e da contribuição e participação delas na agricultura familiar. “O encontro vem contribuir para o fortalecimento e empoderamento ainda mais de nossas bravas guerreiras do MMC, e o governo do estado vem reafirmar a parceria que sempre existiu para o fortalecimento e visibilidade dessa trincheira de lutas de mulheres que compõem o movimento”, ressaltou.

Representando os povos Huni Kuin, Lidinalva da Silva, expressa destaca o dia a dia das indígenas nos trabalhos de campo. “Nós ajudamos nossos maridos nos trabalhos de roçado ajudamos na limpeza, produção de mudas, plantações e colheitas e, ainda cuidamos de nossos filhos. É muito bom poder participar desse encontro com mulheres que falam a mesma linguagem”, disse.

Dentre as temáticas abordadas no encontro, o feminismo camponês e popular e os 30 anos de lutas foram exploradas com grande expressividade das participantes. Rosângela Piovizani movimento nacional das mulheres camponesas considera que o movimento contribui com a construção de uma sociedade mais igualitária.

Ufac promove encontro de tecnólogos em heveicultura

A Universidade Federal do Acre (Ufac) promoveu a cerimônia de abertura do 1º Encontro de Tecnólogos em Heveicultura, no Centro de Convenções do campus-sede, na tarde dessa quinta-feira, 23. O evento, que termina neste sábado, 25, reúne ex-alunos e professores do curso que foi a base para desenvolvimento da área de ciências agrárias na Ufac.

O objetivo maior do encontro é congregar os egressos do curso. A expectativa dos organizadores é reunir cem participantes, entre ex-alunos e professores. São esperados participantes de várias partes do Brasil.

Para o vice-reitor da Ufac, Josimar Batista, quem ganha com esse registro é a Ufac. “Sou filho de produtor rural, que ainda reside na zona rural e até hoje faz extração do látex; tecnólogos em heveicultura ajudaram com plantações nos seringais”, afirmou. “O curso de Engenharia Agronômica hoje conta com mestrado e doutorado; tudo começou com o curso de Heveicultura.”

Os tecnólogos em heveicultura tiveram papel importante em programas do governo federal de fomento à indústria do látex no Brasil. O Programa de Incentivo à Produção de Borracha Natural oferecia financiamento para implantação da cultura. A maioria dos profissionais foi absorvida pelo mercado de trabalho e muitos deixaram o Acre logo após conclusão do curso.

Componente da comissão organizadora do encontro, Maria da Glória Magalhães de Freitas é um exemplo de profissional formada que recebeu oferta de emprego fora do Estado. Ela conta que, um mês após terminar o curso, foi trabalhar na Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) do Governo do Amazonas, onde ficou por 14 anos.

“O curso tinha esse papel de suprir o mercado de trabalho”, disse Maria. “Queremos, com esse encontro, estreitar os laços que estavam só nas nossas boas lembranças e estreitar nossa afetividade. Também queremos discutir o crescimento pessoal provocado pelo curso em nossas vidas.”

A programação do encontro prevê, entre outras atividades, uma visita guiada pelo campus de Rio Branco.

Curso de Heveicultura

A oferta do curso de Tecnologia em Ciências Agrárias na modalidade em Heveicultura começou na Ufac no ano de 1977. O curso tinha duração de dois anos e meio; foi regulamentado pelo Ministério da Educação em 1979, pelo decreto presidencial n.º 83.297. A última turma foi concluída em 1991, tendo formado 271 tecnólogos em heveicultura durante todo o período.

Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha é lembrado com Encontro

O Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha é comemorado nesta quarta-feira, 25, em todo país. No Acre a data será lembrada com o Encontro Estadual da Mulher Negra. O evento acontece na Secretaria Estadual de Direitos Humanos (Sejudh) e reúne integrantes de vários municípios acreanos.

Durante todo dia será realizados palestras oficinas de penteados de trança e diversas outras atividades voltada para mulher negra. A abertura das atividades do encontro estadual, foi realizada ainda na tarde de terça-feira, 24, às 15 horas com uma oficina de mulheres negras Cyber ativistas.

“Vamos ter atividades o dia todo, palestras, oficinas de beleza afro, oficinas de trança de penteados, vai ter um leque de atividades” explicou Rose representante da associação de mulheres negras do Acre.

A data foi criada em 2014 pela Lei nº 12.987/2014, por causa do Dia da Mulher Afro-Latina-Americana e Caribenha, criado, em julho de 1992, um marco internacional da luta e resistência da mulher negra no mundo.

No Brasil esta data também se comemora o Dia Nacional de Tereza de Benguela, líder quilombola que viveu no atual Estado de Mato Grosso durante o século XVIII.

Estudantes da Ufac apresentam pesquisas em encontro nacional

Sob o tema “Docência em Química: Transformações e mudanças no contexto educacional contemporâneo”, estudantes da Universidade Federal do Acre (Ufac) participaram durante toda a semana do XIX Encontro Nacional de Ensino de Química (Eneq). Nessa quinta-feira,19, último dia do evento, foi o momento deles apresentarem suas pesquisas em exibições de pôsteres.

O estudante Luan dos Santos Lima conta que já está se preparando para a próxima edição. “Já tenho ideias preparadas para outros trabalhos”, diz Luan, que apresentou a pesquisa “Abordagem CTS na formação inicial dos professores de química”.

Essa foi a primeira vez que o evento aconteceu na região Norte, reunindo estudantes e pesquisadores de todo o país. De acordo com o coordenador do curso de Licenciatura em Química da Ufac, professor Adriano Silva, pelo menos 40 pesquisas da universidade foram apresentadas em formato de banners.

“Os alunos estão participando ativamente, tanto expondo trabalhos quanto na organização e na divulgação do Eneq.”, explica. “Temos estudantes de todos os períodos, da pós-graduação e aqueles que voltaram para poder participar no evento.”

É o caso do egresso do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática, Yonier Marin, que apresentou o trabalho “O homem trans e a química: análise do potencial das situações que atravessam esses sujeitos e suas experiências, para a abordagem das questões de gênero e sexualidade no ensino de química”.

Meninas na química

Não só a polonesa Marie Curie, que descobriu os elementos rádio e polônio, é uma menina da química. A 19ª edição do Eneq contou com uma grande participação feminina durante todo o evento.

A estudante do sétimo período de Licenciatura em Química da Ufac, Júlia Caroline Alves conta que percebeu que o número de meninas ultrapassava o de meninos. “Quando falamos de química, pensamos que é um curso majoritariamente masculino, mas não é bem assim. O meu curso tem uma participação bem ativa das meninas.”

Ela apresentou um trabalho sobre a retenção e a evasão dos alunos do curso em instituições públicas e cursos presenciais. “De acordo com os dados do Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior de São Paulo, em 2014 aqui no Acre houve 32,4% de evasão nas instituições públicas, contra 18,3% da média Brasileira.”

Solenidade abre Encontro Nacional de Ensino de Química na Ufac

Começou na noite desta segunda-feira, 16, o XIX Encontro Nacional de Ensino de Química (Eneq). A edição deste ano discute o tema “docência em Química: Transformações e mudanças no contexto educacional contemporâneo”. A programação segue até a próxima quinta-feira, 19.

Com as presenças do reitor em exercício da Universidade Federal do Acre, professor Josimar Batista; do diretor da Divisão de Ensino da Sociedade Brasileira de Química, professor Marlon Hebert Flora; do reitor em exercício do Instituto Federal do Acre, Ubiracy Dantas; da assessora pedagógica no ensino de Química da Secretaria de Estado de Educação, Danielly de Matos; do pró-reitor de graduação em exercício, Mark Clark Assen de Carvalho; do diretor do Centro de Ciências Biológicas e da Natureza, Carlos Eduardo Garção; e do coordenador do curso de licenciatura em Química e coordenador local do Eneq, professor Adriano Silva, a cerimônia de abertura aconteceu no teatro universitário.

Na solenidade, o reitor em exercício reafirmou a alegria de receber visitantes de todo o país. “É um legado da 66ª Reunião Anual da SBPC que sediamos aqui em 2014. De lá pra cá, a Ufac despontou como uma instituição forte e capacitada a receber grandes eventos. Sejam todos muito bem-vindos”, saudou.

O diretor da Divisão de Ensino da Sociedade Brasileira de Química, professor Marlon Hebert Flora falou da importância da realização do evento na região Norte.

“Depois de 36 anos temos, o evento sendo realizado pela primeira vez no norte, reunindo mais de 100 doutores e pesquisadores de todas as regiões do país, com uma participação de 20% dos inscritos do Estado do Acre e 40% da região Amazônica. Essa é uma edição histórica, representativa e inclusiva”, avaliou.

Realizado desde 1982, o Eneq reúne a cada dois anos docentes universitários, professores da educação básica, estudantes de pós-graduação, graduação e do ensino médio para discussões sobre temáticas que envolvam os avanços e as limitações do ensino da Química no país, bem como a formação de professores. O objetivo é estimular a divulgação de pesquisas e ampliar discussões e trocas de experiências entre os professores da área de ensino de química.

Presidente da Asmac se reúne com Tião Viana e propõe encontro

O presidente da Associação do Magistrado do Acre (Asmac), juiz Luís Camolez, visitou o governador Tião Viana na tarde de quinta-feira (12/07) para propor uma reunião entre as forças de segurança, governo do Estado, deputados, membros do Judiciário, Ministério Público do Estado (MPE) e Defensoria Pública. O objetivo é trazer segurança para a população depois de uma série de homicídios ocorridos no Estado.

Segundo Camolez, o encontro também contribuiu para dialogar sobre a necessidade de um trabalho conjunto das forças de segurança, buscando a apuração dos crimes praticados.

“A proposta é o retorno da segurança para a população sair de casa tranquila, sem correr risco de violência”, confirmou o presidente da Asmac.

O governador agradeceu o apoio de Luís Camolez e afirmou que concorda com o encontro para a união de todos os poderes, com o objetivo de coibir a onda de crimes ocorridos no Estado.

O encontro foi na sede do Poder Executivo, do qual participou o porta voz do governo, Leonildo Rosas.

TRE/AC realiza encontro e orienta partidos sobre eleição

Representantes de partidos políticos, técnicos responsáveis por registros de candidaturas, contadores e advogados de partidos participaram na quinta-feira,12, de um encontro oferecido pelo Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) para receberem orientações gerais sobre as eleições 2018. O evento aconteceu no auditório do Ministério Público Federal (MPF), de 8h30 às 18 horas.

Segundo o TRE/AC o objetivo é orientar o público-alvo sobre registro de candidaturas, documentação respectiva, arrecadação de recursos para campanha, gastos, limite de gastos, abertura de conta bancária, fundo especial de financiamento de campanha, prestação de contas parcial e prestação de contas finais, além de outros assuntos, abordando a lei eleitoral e resoluções do TSE.

“É um encontro extremamente importante para os partidos políticos, candidatos, advogados e os contadores que fazem as prestações de contas, para que possam ser passadas todas as informações como um guia pronto, um checklist de documentação e de como será o procedimento, desde o registro de candidatura até a prestação de contas, são etapas extremamente importantes” disse a presidente do TRE desembargadora Regina Longuini.

Umas das novidades da capitação é a abordagem do PJE (Processo Judicial Eletrônico), que é um sistema de tramitação de processos judiciais que será utilizado a partir das eleições deste ano.

O encontro será mediado por dois servidores do TRE no Acre, Luciana Arruda e Sandro Roberto, titulares da Secretaria Judiciária e da Coordenadoria de Controle Interno do TRE/AC, respectivamente.

“O objetivo da reunião é orienta-los sobre a necessidade de durante o período eleitoral atender para a legislação no que diz respeito a arrecadação de recursos, gastos de campanha e principalmente prestação de contas à justiça eleitoral conforme prevista na legislação”, destacou o Coordenador de Controle Interno Sandro Roberto.

tre002

tre003

Movimento “Por um Acre mais produtivo” realiza encontro com empreendedores do Juruá

ICMS, informalidade, burocracia, impostos, produção, comércio exterior, infraestrutura, licenciamento e exigências excessivas nas questões ambientais. Esses serão alguns dos temas que estarão em debate nesta terça-feira, 10, a partir das 18h30, na Associação Comercial do Alto Juruá (Acaj), em Cruzeiro do Sul.

O evento, coordenado pelas federações da Indústria (FIEAC), Comércio (Fecomércio), da Agricultura e Pecuária (FAEAC), Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Acre (Federacre) e a Associação Comercial do Alto Juruá, Industrial, de Serviço e Agrícola do Acre (Acisa), dá sequência às discussões do Movimento “Por um Acre mais Produtivo”, que tem realizado debates em todas as regiões do Estado em um projeto de identificação de propostas visando melhorar o ambiente de negócios e o estímulo à geração de empregos.

No último dia 5, em Brasileia, lideranças e empreendedores de toda a região do Alto Acre estiveram reunidos no auditório do Sebrae para avaliar e dar suas sugestões ao documento que será entregue aos postulantes aos cargos nos poderes Executivo e Legislativo nas eleições de outubro deste ano.

João Cardoso, presidente da Associação Comercial de Xapuri, esteve no debate no Alto Acre e destacou que os pontos colocados em pauta “realmente contemplam os maiores problemas que nós, empresários de Xapuri, vivenciamos diariamente. Por isso, foi de grande valia contribuir com a proposta que está sendo formatada pelo Movimento Por um Acre mais Produtivo”.

Já o presidente do Sindicato dos Comerciantes de Brasileia, José Revollo Júnior, exaltou a importância desse momento de união das diversas instituições representativas da classe empresarial. “É essencial essa grande mobilização para trabalhar numa proposta conjunta que reflita os anseios de todos os empreendedores do Estado do Acre, de modo que nenhuma instituição trabalhe isoladamente”, ressaltou.

Considerando a importância das discussões levantadas para a classe empresarial, o Movimento Por um Acre mais Produtivo reforça a importância de todos os empreendedores do Vale do Juruá participarem do encontro que acontece hoje na sede da Acaj, em Cruzeiro do Sul. Já nesta quinta-feira, 12, será vez dos comerciantes e empresários da região do Tarauacá/Envira darem sua contribuição para a construção da proposta.

O documento encontra-se disponível para consulta pública nos sites das instituições que coordenam o movimento e por meio do WhatsApp 99918-9323.

Em Brasília, empresários acreanos participam do Encontro Nacional da Indústria

Agenda contemplou debates estratégicos para o desenvolvimento do Brasil e diálogo com os pré-candidatos à presidência da república

Nos dias 3 e 4 de julho, empresários acreanos participaram, em Brasília, do Encontro Nacional da Indústria (Enai) – que reuniu 2 mil líderes de todo o país para debater questões estratégicas para o desenvolvimento do Brasil – e do Diálogo da Indústria com os candidatos à Presidência da República.

A comitiva acreana foi liderada pela presidente da FIEAC em exercício, Adelaide de Fátima, e contou com a participação dos presidentes de sindicatos das indústrias de Extração Mineral, João Paulo Pereira; Construção Civil, Carlos Afonso; Confecção, Raimunda Holanda; Gráfico, Afonso Boaventura; de Panificação, Abrahão Felício; e Pavimentação, Nailton Feitosa. Integraram também este grupo o superintendente de operações da FIEAC e do IEL, Jorge Luiz Vila Nova; e o Diretor do SENAI e superintendente do SESI, César Dotto.

Durante a abertura do 11º Enai, o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, falou dos desafios a serem enfrentados pelos governantes que serão eleitos em outubro para a consolidação de um ambiente de negócios que contribua para aproximar o Brasil do grupo de países desenvolvidos.

“Se fizermos as escolhas corretas, poderemos colocar o Brasil na rota do crescimento e do bem-estar. Se repetirmos erros do passado, o país continuará na rota da incerteza e do baixo crescimento”, disse, ao destacar que esta edição do ENAI ocorre às vésperas das eleições de 2018, momento em que as escolhas dos brasileiros serão decisivas para o futuro do país”, garantiu o presidente da CNI.

Presente na abertura, o presidente Michel Temer reforçou a importância de o Enai ocorrer às vésperas do período eleitoral, ao trazer a público e para os concorrentes ao Palácio do Planalto o conjunto de propostas do setor produtivo como contribuição ao crescimento e à competitividade da economia. “É preciso ousadia para realizar as reformas que contribuem para o desenvolvimento do país. Fizemos reformas e colocamos a reforma da Previdência na pauta política do país. Não haverá candidato à Presidência que deixará de se manifestar sobre isso no período eleitoral”, destacou.

FHC

Sistema político atual compromete a governança, afirma FHC

Presente ao Encontro Nacional da Indústria,m o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse que o Brasil vive um momento de ruptura e, para superar essa situação, há necessidade de líderes capazes de enxergar o que pode unir a sociedade.

“O Brasil clama por algo “novo”, mas o que , realmente, é isso? Nada mais é do que pensar no coletivo”, disse o ex-presidente durante o painel “A Governança do Brasil: os problemas, a agenda, as saídas”.

Na avaliação de Fernando Henrique, a eleição é um momento oportuno para a discussão desses temas. Para ele, a saída está no diálogo e nas pessoas. O ex-presidente destacou que o sistema político brasileiro “precisa de reformas profundas”, sendo um dos fatores responsáveis pelos problemas de governança enfrentados pelo país.

Segundo ele, os partidos políticos hoje são corporações que têm acesso a recursos públicos e a tempo de televisão para defender interesses de grupos. Esses partidos não acompanharam as mudanças da sociedade e hoje há uma dispersão de forças cujas consequências são difíceis de prever.

“O setor produtivo necessita de sinais claros e firmes de que a política econômica se movimentará na direção de maior estabilidade, de melhoras institucionais e de criação de condições para que o Brasil fortaleça, de fato, a sua indústria”, comentou a presidente da FIEAC, em exercício, Adelaide de Fátima.

A programação do Encontro Nacional da Indústria contemplou, também, debates sobre os cenários econômicos, políticos, sindicais e sobre a revolução tecnológica no Brasil e no mundo.

Robson Abertura

Diálogo da indústria com os candidatos à presidência do Brasil

Há duas décadas, a CNI apresenta à sociedade e aos candidatos à Presidência da República um conjunto de propostas para o crescimento econômico e social do Brasil. Neste ano, o setor industrial sabatina seis pré-candidatos ao Palácio do Planalto. Participaram do encontro: Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro (PSL), Henrique Meirelles (MDB), Ciro Gomes (PDT) e Álvaro Dias (Podemos).

Geraldo Alckmin 2

Geraldo Alckmin – O pré-candidato afirmou que pretende reduzir o imposto de renda de empresas como incentivo à retomada e atração de investimentos, o que, segundo o candidato, é o que garantirá a geração de empregos e renda no país. Seu governo, afirmou, dobrará a renda do trabalhador brasileiro. Alckmin destacou que sua equipe buscará melhorar a educação básica no Brasil e relacionou a qualidade da educação à baixa produtividade. Ele destacou ainda que ampliará a agenda de acordos comerciais e que seu governo defenderá os interesses do produto brasileiro no exterior.

Marina SILVA

Marina Silva – A acreana defendeu uma reforma política que contemple o fim da reeleição, a quebra de monopólio de partidos com a possibilidade de candidaturas independentes, a aprovação do voto distrital misto e a composição de governo com base em meritocracia. A pré-candidata elogiou as propostas da CNI que, segundo ela, têm um olhar sistêmico sobre os problemas. Ela também destacou que é importante construir um ambiente saudável para os negócios, com ajuste nas contas públicas, reforma tributária, eliminação de gargalos para o desenvolvimento do setor industrial e respeito ao tripé macroeconômico, baseado em câmbio flutuante, superávit primário e meta de inflação.

Bolsonaro

Jair Bolsonaro – O pré-candidato pelo PSL criticou a atual cultura de barganha em troca de apoio político para assegurar a governabilidade e afirmou que não há uma busca por coligações para a composição de um eventual governo. Ele defendeu a redução da burocracia e a desregulamentação de aspectos da economia serão as medidas, caso eleito, para contribuir com a recuperação da atividade produtiva e da confiança do empresário. Em relação às reformas recentemente aprovadas pelo Congresso Nacional, o parlamentar defendeu a modernização das leis do trabalho – para a qual deu voto favorável.

Henrique Meireles

Henrique Meirelles – A reforma tributária será uma das principais agendas, caso seja eleito nas eleições de 2018.  Meirelles adiantou que o foco será simplificar a tributação brasileira. Por isso, a ideia é unificar os impostos de valor adicionado, como PIS/Cofins, ICMS e ISS, em uma única cobrança chamada Imposto de Valor Agregado (IVA). Após o recolhimento, o valor seria redistribuído a estados e municípios. Para ele, a medida deixa a cobrança de impostos mais transparente e vai permitir aumento de arrecadação.

Ciro GOmes

Ciro Gomes – Ex-governador do Ceará e ex-deputado federal, defendeu enfrentar dois temas que, para ele, são os maiores adversários do crescimento do país: a taxa de juros e o câmbio. Ele reiterou que, se eleito, reabrirá a discussão sobre a modernização das leis trabalhistas. Quanto às reformas, o pedetista afirmou que os seis primeiros meses de governo são estratégicos para discutir temas de alta relevância nacional, como as reformas tributária e previdenciária.

Alvaro Dias

Álvaro Dias – O paranaense sugeriu a redução brusca dos gastos com privilégios às autoridades e com folha salarial como medida para reequilibrar as contas. Apresentando-se como uma via de mudança em meio a tradicionais políticos, ele enfatizou que o país só voltará a ser sério quando o presidente da República resolver combater efetivamente a corrupção. Como caminho para reverter a crise fiscal, o pré-candidato sugeriu a redução brusca dos gastos com privilégios às autoridades e com folha salarial.

O presidente do Sindicato de Extração Mineral do Acre (Sindmineral), João Paulo Pereira, garantiu que foi uma grande oportunidade de analisar as propostas de cada candidato e se o setor industrial será prioridade. “Pudemos conhecer um pouco do plano de governo de cada um deles e, agora, com serenidade, poderemos escolher o melhor candidato que valorize os empresários, pois só teremos um Brasil desenvolvido, com o setor produtivo forte”, disse.

Socorro Neri participa de encontro do TJAC

A prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, participou nesta quinta-feira (28) no Palácio da Justiça, do encerramento da Semana Estadual Sobre Drogas promovida pelo Tribunal de Justiça do Acre (TJAC).  O evento contou com a presença de reeducandos do sistema prisional e menores do Instituto Sócio Educativo (ISE). Do TJAC, a prefeita Socorro Neri seguiu para a Assembleia Legislativa onde foi realizada Sessão Solene em Homenagem à VI Semana Estadual Contra as Drogas.

Nos dois eventos, a prefeita destacou que o combate às drogas é questão prioritária do século 21. “Podemos ressaltar sim o trabalho do sistema de saúde e das Casas Terapêuticas no acolhimento e tratamento das pessoas, mas é necessário avançar nas políticas públicas. Nosso maior desafio é equilibrar as oportunidades para todos os jovens de modo a fazer com que não haja adesão deles ao mundo das drogas”.

Neri falou ainda acerca da responsabilidade de todas as esferas do poder para com o combate às drogas, como o governo federal, que tem o dever de proteger as fronteiras e evitar a entrada de drogas, por exemplo, pela enorme fronteira seca do Acre.

Na solenidade do Tribunal de Justiça, a fala da prefeita, foi elogiada pela presidente em exercício do TJ, Eva Evangelista, que citou o comprometimento da prefeitura da capital com o combate às drogas. “Em uma parceria com a prefeitura, a desembargadora Regina Longuini faz palestras nas escolas e alcança muitas jovens, ação que certamente terá continuidade”.

A juíza titular da vara de Drogas, Maria Rosinete Reis, o promotor Marcos Galina e o defensor público, Cassio Tavares, também participaram do evento no TJ.

Encontro do Plano de Erradicação da Febre Aftosa termina com metas para Acre e Rondônia executarem até 2019

Debates propositivos que visem o cumprimento das metas para a retirada da vacina contra a febre aftosa a partir de maio de 2019, assim foi finalizada, nesta quinta-feira, 28, a 3ª Reunião do Bloco I do Plano Nacional Estratégico de Prevenção e Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA), realizada em Rio Branco.

Quatro estados estavam representados na reunião: Acre, Rondônia, Amazonas e Mato Grosso. Além de representantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

“Os quatro estados fizeram seu papel no encontro. Nós avaliamos tudo que foi realizado nesses locais em todo o período que antecede a retirada da vacinação. Estamos felizes com os resultados e satisfeitos porque temos uma avaliação positiva. O Mapa fez orientações em alguns pontos, mas com comprometimento da nossa equipe, o serviço de Defesa Animal vai melhorar para que em 2019 [ano de retirada da vacina] possamos mostrar ao Ministério que tudo foi resolvido e teremos a possibilidade de ficar livres da aftosa sem vacina”, afirmou Ronaldo Queiroz, diretor-presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf/AC).

O Bloco I é composto por Acre e Rondônia, contudo, Amazonas e Mato Grosso foram parcialmente integrados ao bloco por terem municípios que fazem divisa com Acre e Rondônia. “Temos uma área muito dependente de Rondônia e fizemos a proposta de que o Mato Grosso fosse uma zona do Bloco I, com a retirada da vacina também em 2019. O Mato Grosso compõe o Bloco 5, sendo o último estado do país a retirar a vacina em 2021, mas, por meio de estudos, propusemos que entrasse como zona, sendo uma espécie de proteção ao Bloco I, que não terminará em Rondônia, vai adentrar no Mato Grosso”, explicou Daniela Bueno, presidente do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT).

O mesmo ocorrerá com Acre e Amazonas, que têm cidades localizadas na área de divisa de seus territórios.

Sérgio Muniz, diretor-presidente da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Amazonas (Adaf), ressalta que ficaria mais difícil e caro se os criadores de bovinos tivessem que recorrer ao Amazonas, estando mais próximos do Acre. “Agora vamos agir em blocos nos municípios em que estamos está geograficamente distintos, mas que pela questão econômica precisam estar juntos, como o caso de Boca do Acre e Guajará, que fazem parte desde o início desse processo com o Acre e seria um infelicidade deixá-los de fora do Bloco I. Então, o Ministério acatou a nossa proposição”, detalhou.

O encontro foi realizado pelo Mapa em parceria com o governo do Estado, por meio do Idaf, com apoio do Fundo de Desenvolvimento da Pecuária (Fundepec).

aftosa2
Reunião é uma iniciativa do Mapa, mas conta com apoio do governo do Acre e do Fundepec – Foto/Sérgio Vale/Secom

Encontro Nacional de Química está com inscrições abertas

O XIX Encontro Nacional de Ensino de Química (Eneq) acontece nos dias 16,17 e18 de julho, no Acre, e a Universidade Federal do Acre (Ufac) está com inscrições abertas. Interessados devem se inscrever na página do evento na internet no endereço www.eneq2018noacre.com.br.

O encontro tem como tema “docência em Química: Transformações e mudanças no contexto educacional contemporâneo”, participarão do evento estudantes e pesquisadores de todo o país.

O objetivo é estimular a divulgação de pesquisas e ampliar discussões e trocas de experiências entre os professores da área de ensino de química. Esta é a primeira vez que o encontro acontece na região norte do país.

Para que a participação no evento seja garantida, é preciso o pagamento de uma taxa de inscrição que varia de acordo com a modalidade na qual se encaixa o participante. A tabela completa, acompanhada do link para inscrição encontra-se disponível no site do evento.

O Eneq é realizado desde 1982 e reúne a cada dois anos docentes universitários, professores da educação básica, estudantes de pós-graduação, graduação e do ensino médio para discussões sobre temáticas que envolvam os avanços e as limitações do ensino da Química no país, bem como a formação de professores.

Acre vai sediar encontro para fortalecer atenção primária

Com o objetivo de aprimorar os serviços oferecidos à população na atenção primária, o Ministério da Saúde (MS), por meio da Divisão de Atenção Básica da Secretaria de Saúde do Estado (Sesacre), realiza nos 21 e 22 deste mês o Encontro Estadual de Fortalecimento da Atenção Primária à Saúde.

O encontro, que contará com os 22 secretários municipais, o diretor de Atenção Básica do Ministério da Saúde e equipe técnica e representantes da Sesacre, é resultado da pactuação no Encontro Nacional de Política de Atenção Básica, realizado no ano passado.

O evento será divido entre teoria e prática, em que além de debaterem, analisarem e elaborarem medidas estratégicas de serviço e atendimento, haverá também oficinas direcionadas ao aprimoramento dos núcleos de saúde da família, processo de integração da atenção básica com a vigilância em saúde, mudanças da política nacional de atenção básica e estratégia de trabalho.

De acordo com a gerente da Divisão de Atenção Primária e Saúde da Família da Sesacre, Valéria Moraes, o encontro é uma oportunidade de aprimorar as necessidades e a demanda da atenção primária de todo o estado. “Trabalhar saúde não é uma questão fácil, principalmente no Acre, onde temos municípios de difícil acesso e uma região diferente dos outros estados do país. A intenção é fortalecer a qualidade e acesso aos usuários dos serviços de saúde e fazer com que o atendimento na atenção primária seja resolutivo.”

O que é atenção primária?

O termo atenção primária se refere à porta de entrada dos serviços de saúde pública. São os serviços oferecidos, principalmente, nos postos e centros de saúde. É o atendimento inicial, onde os pacientes são orientados sobre doenças, recebem atendimentos mais simples e são identificados os casos mais complexos que requeiram atendimento de médicos especializados e/ou em unidades de média e alta complexidades, que são os hospitais.

Grafite Feminino é destaque no Encontro Internacional de Grafiteiros

Como parte da programação do Encontro Internacional de Grafiteiros, o RB Graffiti promovido pela prefeitura de Rio Branco, governo do Estado e Coletivo de Artes Urbanas Acreano (Caua), foi realizado neste sábado, um workshop para mulheres, que querem aprender ou se especializar na arte do grafite. As aulas teóricas e práticas foram ministradas na Casa Rosa Mulher pela grafiteira Chermie Ferreira, que ministra oficinas em várias partes do Brasil.

Chermie ficou satisfeita com o evento voltado para as mulheres e cita que não há diferença entre os traços masculinos e femininos no grafite “ porque a arte não tem gênero”. Ela elogia o apoio institucional da prefeitura e governo do Estado, na promoção do evento, que reúne mais de 80 artistas acreanos, de outros estados e países, como Peru, Nicarágua, Colômbia, Chile, Equador, Itália, Bolívia e Brasil –, que deixam sua arte em vários pontos da cidade, como Rua da África e pilastras da quarta ponte. “ Esse estado do Norte, o Acre, dá lição em estados do Sul e Sudeste porque aqui tanto governo quanto a prefeitura de Rio Branco, dão suporte necessário para a divulgação e fortalecimento da arte do grafite”.

Na parte teórica do evento, um pouco da história do grafite e técnicas. E no muro da casa Rosa Mulher, elas colocaram em prática o que aprenderam. A produtora cultural Lídia Sales, diz que já fez alguns grafites, e que no workshop, teve a chance de aprender a arte com uma profissional gabaritada. “Quero reproduzir, multiplicar o que aprendi aqui e manter esse movimento vivo no meio das mulheres aqui em Rio Branco”.

Para a secretária Adjunta da Mulher de Rio Branco, Lidiane Cabral, o evento, empodera as mulheres usuárias dos serviços da casa Rosa Mulher e as demais, “ que por meio da arte, poderão expressar sentimentos, beleza e também a resistência ao machismo e outros desafios”.

O tema do Encontro Internacional de Grafiteiros deste ano é “Plantando Cores, Colhendo Ideias”.

Grafite Feminino é destaque no Encontro Internacional de Grafiteiros

Como parte da programação do Encontro Internacional de Grafiteiros, o RB Graffiti promovido pela prefeitura de Rio Branco, governo do Estado e Coletivo de Artes Urbanas Acreano (Caua), foi realizado neste sábado, um workshop para mulheres, que querem aprender ou se especializar na arte do grafite. As aulas teóricas e práticas foram ministradas na Casa Rosa Mulher pela grafiteira Chermie Ferreira, que ministra oficinas em várias partes do Brasil.

Chermie ficou satisfeita com o evento voltado para as mulheres e cita que não há diferença entre os traços masculinos e femininos no grafite “ porque a arte não tem gênero”. Ela elogia o apoio institucional da prefeitura e governo do Estado, na promoção do evento, que reúne mais de 80 artistas acreanos, de outros estados e países, como Peru, Nicarágua, Colômbia, Chile, Equador, Itália, Bolívia e Brasil –, que deixam sua arte em vários pontos da cidade, como Rua da África e pilastras da quarta ponte. “ Esse estado do Norte, o Acre, dá lição em estados do Sul e Sudeste porque aqui tanto governo quanto a prefeitura de Rio Branco, dão suporte necessário para a divulgação e fortalecimento da arte do grafite”.

Na parte teórica do evento, um pouco da história do grafite e técnicas. E no muro da casa Rosa Mulher, elas colocaram em prática o que aprenderam. A produtora cultural Lídia Sales, diz que já fez alguns grafites, e que no workshop, teve a chance de aprender a arte com uma profissional gabaritada. “Quero reproduzir, multiplicar o que aprendi aqui e manter esse movimento vivo no meio das mulheres aqui em Rio Branco”.

Para a secretária Adjunta da Mulher de Rio Branco, Lidiane Cabral, o evento, empodera as mulheres usuárias dos serviços da casa Rosa Mulher e as demais, “ que por meio da arte, poderão expressar sentimentos, beleza e também a resistência ao machismo e outros desafios”.

O tema do Encontro Internacional de Grafiteiros deste ano é “Plantando Cores, Colhendo Ideias”.

2º Encontro internacional de grafiteiros acontece na Capital

Com o tema “Plantando Cores, Colhendo Ideias”, a segunda edição do encontro internacional de grafiteiros, o RB Graffiti, será realizada entre os dias 7 e 10 de junho, em Rio Branco. O evento é promovido pelo Coletivo de Artes Urbanas Acreano (Caua), com apoio cultural da Prefeitura de Rio Branco e do governo do Estado, por meio da Fundação Garibaldi Brasil (FGB) e Fundação Elias Mansour (FEM).

Participarão mais de 80 artistas de oito países – Peru, Nicarágua, Colômbia, Chile, Equador, Itália, Bolívia e Brasil –, que irão deixar sua arte em duas localidades: Rua da África (após a Passarela Joaquim Macedo), e na Quadra Poliesportiva da Praça 06 de Agosto (depois da Quarta Ponte).

Simultaneamente, haverá debates sobre os avanços da arte urbana nacional e internacional, workshops para novos e antigos militantes e simpatizantes do movimento, além de apresentações de bandas locais e internacionais, Slam (poesia cantada), DJs, e batalhas de break e de rimas, entre outros.

“A primeira edição foi realizada em 2017 com a participação de muitos artistas de grande porte, mas sabíamos que poderia ser melhor. Com a criação da Lei Municipal do Grafite, que ampara nossa arte dentro desse processo histórico que está ocorrendo com a arte urbana acreana, pensamos e organizamos uma maior e melhor edição, convidando o maior número de grafiteiros possível para estar com a gente”, diz um dos organizadores do evento, Matias Souza.

O RB Graffiti ainda conta com apoio das secretarias Municipal de Juventude (Sejuv) e de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas (Sedihpa), Secretaria de Estado de Turismo e Lazer (Setul), Dismonza Tintas, Coletivo Decor, Plotter Comunicação Visual e Gráfica, Paris 68, Restaurante e Hamburgueria Dom Brito, Center Publicidade, Papelaria Globo, ConstruMais, Associação de Moradores da 06 de Agosto, e Universidade Federal do Acre.

Contatos:
Matias Souza – Organização do evento: (68) 99224-1519
Junior TRZ Crew – Organização do evento: (68) 99953-7086

Tião Viana e 20 outros governadores cobram urgência na defesa da fronteira

Carta do Acre pedia mais atenção da União com as fronteiras em encontro que aconteceu no Estado

Há sete meses, em Rio Branco, Tião Viana e outros 20 governadores do Brasil se reuniram no 1º Encontro de Governadores do Brasil pela Segurança e Controle das Fronteiras. Ao assinarem a Carta do Acre, as autoridades cobraram para que a União agisse com urgência na defesa das fronteiras brasileiras, que são o caminho de entrada para as drogas no país.

O encontro que trouxe para o Acre quase todo o Brasil foi articulado por Tião Viana, sendo um marco histórico na luta contra o narcotráfico. Com os índices de homicídio e tráfico de drogas crescendo em todo o território nacional, está claro para todos os setores da sociedade que uma das maiores causas é a falta de controle e ação efetiva nas fronteiras.

“O narcotráfico é fator determinante para o crescimento do crime organizado e de todos os problemas relacionados a essa prática ilegal.” A afirmação é de Eduardo Caldeira de Lima, em seu estudo “Cooperação interagências no combate ao tráfico internacional de drogas”, publicado em 2017. As fronteiras desprotegidas são portas abertas para o narcotráfico, logo, uma questão em que o governo federal deve agir com as Forças Armadas e suas agências de inteligência e combate ao crime, conforme prevê a Constituição.

Desde a assinatura da Carta do Acre até hoje, as tomadas de decisões por parte do governo federal foram tímidas e nenhum efeito surtiram no fator principal, que é o controle das fronteiras.

No último domingo, em rede nacional de televisão, reportagem do programa Fantástico, da Rede Globo, mostrou as consequências dessa omissão federal. Em um município como Marechal Thaumaturgo, na convergência de dois rios que nascem no Peru, o posto da Polícia Federal está fechado há quatro anos.

Acre combate a violência

Só no Acre, a faixa de fronteira com o Peru e a Bolívia soma mais de dois mil quilômetros, dos quais as vias fluviais se tornaram corredores para a entrada de drogas no Brasil. Só em março e abril deste ano, a Polícia Civil do Acre apreendeu cerca de 170 quilos de drogas na região do Juruá, de onde os rios seguem para o Rio Solimões, no Amazonas, rota historicamente usada para o tráfico e motivo de disputa entre as organizações criminosas.

Enquanto a União continua diminuindo os recursos para as forças de segurança que atuam nas fronteiras, o governador Tião Viana segue cobrando que o governo federal assuma sua responsabilidade. Ainda esta semana, ele esteve com o ministro extraordinário da Segurança Pública, Raul Jungmann, para mais uma vez enfatizar a necessidade urgente de agir no foco do problema – os rios, estradas e caminhos abertos para o tráfico.