Baixada do Sol deve receber atenção especial da Prefeitura quanto à limpeza

A Baixada do Sol, que abrange 18 bairros de Rio Branco, é uma das maiores da cidade. Ali residem cerca de 45 mil famílias, perfazendo mais de 75 mil pessoas. É uma região bastante extensa que merece o cuidado maior por parte do poder público.

A prefeita da Capital Socorro Neri disse ter consciência da importância da Baixada e garantiu que sua gestão deve se dedicar, já nos próximos dias, a uma ação de limpeza urbana principalmente voltada para o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. Neri garante que esse é um cuidado que tem destinado a todas as regionais da cidade.

“Iniciamos um trabalho pela parte alta da cidade fazendo a remoção de entulhos através de um mutirão de limpeza. Essa ação deve acontecer em toda a cidade”, disse Socorro Neri. “A baixada deve receber uma atenção especial dado ao seu tamanho e localização na parte mais baixa da cidade, próxima ao rio Acre e com a incidência de muitos córregos”, completou.

O trabalho de limpeza vem sendo executado pela Secretaria Municipal de Zeladoria da Cidade (SMZC). O objetivo é evitar o acúmulo de resíduos, que podem causar transtornos como enchentes, e servir de criadouro para mosquito transmissor da dengue.

Durante toda a semana, três equipes da Zeladoria atuaram na parte alta da cidade. As ações alcançam os bairros Defesa Civil, Tancredo Neves e Jorge Lavocat. “Realizamos Limpeza completa, manutenção de todas as ruas, vias estruturantes, praças e áreas de lazer. Roço, capina, recolhimento de entulho fazendo a desobstrução de rede de drenagem, incluindo córregos e mananciais naquela regional”, informa o secretário da SMZC, Kellyton Carvalho.

O secretário informou, ainda, que enquanto em um local é feita roçagem e capina, no outro é retirado o entulho. “Essa é a logística que nos permite executar a limpeza com eficiência”, lembra Kellyton Carvalho.

Para uma ação mais rápida e eficiente, é importante a parceria da comunidade para evitar o acúmulo de resíduos na vias públicas e terrenos baldios. “Temos educadores ambientais que vão de casa em casa, orientando com relação a limpeza dos quinais e descarte de resíduos que possam servir de recipiente para infestação do mosquito transmissor da dengue. Nesse período a gente pede a população que ajude com o descarte de resíduos somente quando a equipe estiver no bairro fazendo a limpeza”, ressalta o secretário da Zeladoria da Cidade, Kellyton Carvalho.

Com informações da Ascom PMRB

Prefeitura avalia demandas na Baixada da Sobral

Neste sábado (28) pela manhã, a prefeita Socorro Neri vistoriou uma grande obra de drenagem e avaliou demandas na Baixada da Sobral. Ela estava acompanhada pelo presidente da EMURB, Marco Antônio, pelo secretário Adjunto de Obras, Marcos Venicio e pelo secretário de Articulação Comunitária e Social, Ailton Castro.

A obra de drenagem no bairro da Pista tem quase meio quilômetro de extensão: são 454 metros de galeria de concreto que canaliza um córrego que passa pelo local e as águas das chuvas, acabando com o transbordamento durante o período chuvoso. Com a obra, o esgoto das casas será captado e lançado na rede coletora que fica nas laterais da galeria e seguem para rede central da localidade.

De acordo com Marcos Venicio, oitenta por cento da obra da galeria está concluída. Outra parte da obra será o asfaltamento de cinco ruas adjacentes à galeria.

A obra de drenagem é comemorada pelos moradores do Bairro da Pista. Seu Chicó, como prefere ser chamado, diz que “todos querem ficar livres do antigo problema de transbordamento em dias de chuva. A vinda da prefeita até aqui nos deixou confiantes”, citou o morador.

Socorro Neri ressaltou o esforço por parte da prefeitura para executar obras nos bairros da capital. “São poucos recursos mas uma grande vontade de melhorar a vida das pessoas, por isso seguimos com as obras de infraestrutura em todas as regionais como aqui na Baixada, onde essa galeria vai solucionar problemas antigos”, explicou a prefeita, que caminhou por várias ruas, avaliando as necessidades de tapa buracos e instalação de dispositivos de drenagem nas localidades.

“ETOISS Cabeleireiro”: Profissional faz sucesso com clientela na baixada

Reginaldo Melo, 40 anos, nasceu e criou- se no bairro Aeroporto Velho. Com o pai aprendeu a cortar cabelo e fazer barba, e de lá pra cá já são mais de 20 anos de profissão. Com o tempo, ele fez seu nome e, hoje, com o ‘ÉTOISS Cabeleireiro’ é um dos babeiros mais procurados da região. Atualmente, cerca de 80 clientes o procuram semana.

De acordo com Melo a ideia de adequar o negócio veio de grandes barbearias, porém com um toque mais acessível para agradar os fregueses novos e manter os antigos que vêm de toda parte da cidade. Todo cliente que é atendido ele faz o registro fotográfico e divulga, desde que autorizado, em seu perfil nas redes sociais para mostrar seu trabalho.

No ‘ÉTOISS Cabeleireiro’ o freguês conta com um ambiente agradável com ar-condicionado, TV e cerveja gelada, uma simples obrigação pode ser tornar uma diversão em um ambiente agradável.

“Eu saia com o irmão dele [de Reginaldo] que sempre dizia que tinha um irmão que cortava cabelo. Até que um dia resolvi ir lá e desde então só corto com ele, sempre que alguém diz que quer cortar o cabelo logo o indico”, diz Luiz Pimentel, freguês há mais de dez anos.

Já Leandro Rocha é cliente há um ano, assim como Luiz ele também foi indicado por um familiar de Melo. “Conheço o sobrinho dele que me o indicou como cabeleireiro. Fui conferir, gostei e só corto lá”, afirma.

O legado do pai

“Fui crescendo e meu pai disse que eu tinha que trabalhar. Como eu não queria pegar no pesado, e ficar no sol quente, resolvi aprender com ele, comecei meio que na inocência e fui pegando gosto”, relembra Melo.

Ainda segundo o cabeleireiro, o nascimento da filha Bruna, hoje com 17 anos, a responsabilidade bateu à porta e ele teve que levar mais a sério tanto a vida como a profissão.

“O nascimento da minha filha me fez acordar pra realidade, então investi em montar um salão, pois cortava cabelo dos rapazes do bairro na frente de casa. Comprei as coisas necessárias, arrumei o local e comecei a fazer promoções, como sortear bicicleta e TV para atrair clientes”, relembra.

As inúmeras alagações o fizeram pensar em outro negócio

Por morar em local próximo ao Rio Acre, Reginaldo passou pelas grandes alagações. Não chegou a perder, mas resolveu montar outro negócio, montou uma técnica de celular e passou a cortar cabelo só aos fins de semana. No entanto, por sofrer assaltos e o último em que teve uma arma apontada para sua cabeça, foi ameaçado de morte resolveu voltar à antiga atividade.

“Ser humilhado enquanto ganhava a vida honestamente me deixou decepcionado, naquele momento só pensava na minha esposa e meus filhos. O que seria deles? Tive um prejuízo grande com o que foi levado, mas Deus é grande e continuei vivo para minha família. Não pensei duas vezes e resolvi voltar a fazer o que aprendi com meu pai”, relata.

Dos males que vem para o bem, Reginaldo não desanimou, reestruturou seu salão com um ambiente mais aconchegante e criou a marca ÉTOISS.

Pensando em inovar, Melo diz que está se preparando para ampliar os negócios, pretende mudar para um local maior, contratar mais profissionais e realizar mais promoções. “Agora, vou investir em fazer o que amo e, claro, gerar emprego”, finaliza.