Comunidade e governo planejam safra de manejo madeireiro no Antimary

A política de desenvolvimento sustentável do Acre consiste na manutenção da floresta e crescimento socioeconômico, para isso o governo do Estado tem impulsionado atividades produtivas, a exemplo do manejo comunitário.

A Floresta Estadual do Antimary (FEA) foi à primeira do país a receber o certificado internacional FSC (Conselho de Manejo Florestal) e realizar exploração de manejo, via concessão florestal. A atividade madeireira, promovida desde 2009, já gerou R$ 4 milhões aos comunitários da região.

Nesta quarta-feira, 16, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) promoveu reunião com as famílias para tratar sobre a safra de manejo madeireiro, deste ano, bem como sobre políticas públicas nas áreas de saúde, educação, segurança, infraestrutura, entre outras.

“O manejo no Antimary tem garantido a preservação da floresta e gerando renda às famílias. A safra do ano passado rendeu 22 mil metros cúbicos de madeira legalizada e manejada. Estamos agora traçando o cronograma da exploração sustentável deste ano, planejamento anual que é realizado em parceria com a comunidade”, salientou o secretário de Estado de Meio Ambiente, Edegard de Deus.

São 45 mil hectares de floresta que beneficiam, atualmente, 40 famílias, com média anual de R$ 12 mil que, somadas a renda do extrativismo de castanha, chega até R$ 20 mil.

Agenor Nascimento, presidente da Associação de Seringueiros da FEA, destacou a relevância da atividade econômica. “Além da melhoria da nossa renda familiar, o manejo também nos proporcionou outros benefícios, como a pavimentação do ramal, que facilita não somente a retirada de madeira manejada, mas também o nosso deslocamento”.

A expectativa é que, em 2018, 30 mil m³ de madeira legal sejam comercializadas. Marky Brito, diretor de Floresta da Sema, explica que a atividade econômica está aliada à conservação dos recursos. “Diferentemente do entorno, no Antimary o desmatamento está estabilizado. Além disso, temos garantido acesso à escola, unidades de saúde, por meio da pavimentação de mais de 40 quilômetros de ramal”.

O Conselho da Floresta Estadual do Antimary é composto pela comunidade, por meio das duas associações, e Sema. A unidade de conservação é gerida pelo Estado. Marilvado Freitas, presidente da Associação Agroextrativista Verdes Floresta do Igarapé Sossego, a parceria tem resultado em melhorias. “Temos desenvolvido um trabalho de parceria que resultou na melhoria da vida das famílias que vivem aqui”, frisou.

manejo01 web
A expectativa é que, em 2018, 30 mil m³ de madeira legal sejam comercializadas – Foto/Maria Meirelles/Secom

Policiamento comunitário

Segurança pública também foi pauta da reunião, que contou com a participação do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA). Além de realizar o enfrentamento e repressão ao crime na zona rural, a Polícia Militar também atua de maneira preventiva.

“Temos estado dentro da reserva fazendo um trabalho de policiamento comunitário rural, esclarecendo dúvidas sobre o que é ou não legal, crimes ambientais, entre outras questões. Isso aproxima a comunidade da polícia, ao mesmo tempo em que garante segurança das famílias”, salientou o comandante do BPA, coronel Antônio Teles.