Ano legislativo na Aleac tem início com leitura da mensagem governamental

A Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) deu início aos trabalhos legislativos de 2019 na manhã desta terça-feira (5). Durante a solenidade, foi realizada a leitura da mensagem governamental.

Em pronunciamento, o presidente do Parlamento estadual, deputado Nicolau Júnior (PP), saudou os presentes e reafirmou o compromisso da casa legislativa com o povo acreano.

“O ano de 2019 será de muito trabalho no Parlamento acreano, tenho certeza de que teremos um ano bastante produtivo. Se depender de mim e dos demais parlamentares, este Poder estará focado e dedicado a isso. Sei que juntos superaremos todas as dificuldades, vamos continuar trabalhando em defesa dos interesses do nosso Estado e do povo acreano”, disse.

Em discurso, o deputado Daniel Zen (PT) falou sobre a atuação da oposição no Parlamento acreano. Ele também desejou sorte ao governador eleito e sua equipe. “Aprendi aqui na vivência com os colegas parlamentares que só existem duas possibilidades para um deputado: ser situação ou oposição. Quero dizer aqui que, independente de quem e de quantos seremos na bancada de oposição, nós faremos oposição de verdade, e que da nossa parte não haverá boicotes e nem deslealdade. Não há nada mais importante do que a nossa palavra. No mais, desejo sorte ao novo governador”, disse.

O líder do governo, Gehlen Diniz (PP) disse que Gladson Cameli assumiu uma missão árdua de realizar uma transformação no Acre. O parlamentar destacou também que após quatro anos como deputado, é a primeira vez que vê um governador ir a Aleac para ler a mensagem governamental, e reiterou que Tião Viana não fazia isso por não respeitar os poderes constituídos.

“Desejo boa sorte ao governador Gladson Cameli, que assumiu a árdua tarefa de gerir um estado que foi entregue com as piores dificuldades. Desejo a ele sucesso em sua gestão. Durante quatro anos como deputado jamais vi o ex-governador Tião Viana vir a esta casa, demonstrando uma total falta de respeito. Meus parabéns a todos os parlamentares, faremos bons debates sempre visando o melhor para o Acre. Enfrentamos um momento de crise financeira muito grave, recebemos o Estado com dívidas milionárias, funcionários públicos com o 13° salário atrasado. Nosso papel agora é uma reforma administrativa e muita união para mudarmos para melhor”, disse.

Ressaltando que a mensagem governamental é uma ‘carta de intenções’, o deputado Edvaldo Magalhães (PCdoB) disse que é preciso aguardar para ver se os intuitos lidos pelo governador serão realmente concretizados. Frisou ainda que a oposição não permitirá ser usada pelo governo.

“Fui líder do governo nesta casa e confesso que já vi muitas cartas de intenções serem rasgadas e outras serem realizadas. Então, a mensagem que a acabou de ser lida pelo governador não pode ser julgada de imediata como boa, mais ou menos, ou ruim, precisamos acompanhar para sabermos se o que foi dito aqui será devidamente cumprido. Outra coisa que quero deixar claro é que nós não vamos permitir sermos usados, que o governo atual não espere de nós a paz dos cemitérios. Nós batalharemos para ajudar, mas quando acharmos que uma coisa não será boa para o nosso povo nós também vamos atrapalhar”, enfatizou.

O deputado Roberto Duarte (MDB), desejou sucesso à administração de Nicolau Júnior (PP), presidente da Mesa Diretora da Aleac, e também a Gladson Cameli e disse se sentir honrado em discursar representando seu partido. O parlamentar também ressaltou que o novo governo enfrentará um grande desafio, uma vez que recebeu um Estado sucateado, resultante de 20 anos de administração petista.

“Desejo muito sucesso nessa administração ao presidente Nicolau Júnior, assim como também aos demais componentes da Mesa Diretora da Aleac. Para mim, foi uma honra para fazer o uso da fala e quero aqui parabenizar o governador Gladson Cameli pela reforma administrativa feita no Acre e pelas primeiras medidas tomadas. Recebemos um Estado sucateado em todos os aspectos e temos que pedir à população um pouco de paciência. Estaremos aqui para ajudar e cobrar dos secretários as atitudes necessárias para melhorar o Acre”, enfatizou.

Além dos parlamentares, participaram da sessão o presidente do Tribunal de Justiça do Estado, desembargador Francisco Djalma; a presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Acre, desembargadora Regina Ferrari Longuini; a procuradora-geral de Justiça do Estado, Kátia Rejane de Araújo; e o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Cristovão Messias.

SESI promove acolhida para receber os professores antes do início do ano letivo

Uma tarde de muitos abraços, entrega de presentes, palestra e happy hour. Assim foi a acolhida realizada na última sexta-feira, 1, pela Escola SESI Centro Educacional Marília Sant’Ana para os professores que irão lecionar no ano letivo de 2019. As aulas para os 791 alunos matriculados na instituição de ensino terão início no próximo dia 11.

“Essa é nossa forma de recebermos os queridos docentes, de maneira bem descontraída e informal. É um momento de muitos abraços, de darmos boas-vindas e dizer a cada um como ficamos felizes de tê-los de volta em mais um ano. Estamos entusiasmados e aproveitamos a ocasião também para detalharmos nossos objetivos e metas para 2019”, comentou a diretora da Escola SESI, Maria Regiana Araújo.

O superintendente do SESI, César Dotto, fez questão de participar do evento, realizado na sede da Federação das Indústrias (FIEAC). Segundo ele, é essencial motivar ainda mais os professores para que eles se sintam valorizados e conscientes do importante papel que desempenham na educação e na formação social de cidadãos.

“O SESI no Acre vive um novo momento, completamente alinhado ao Departamento Nacional. Os nossos focos são educação, saúde e segurança para indústria. Estamos nos esforçando e contamos com o apoio de todos vocês [professores e demais colaboradores] para termos cada dia mais excelência nesses segmentos”, declarou Dotto.

Presidente da FIEAC e diretor-regional do SESI, José Adriano elogiou o trabalho realizado pela Escola SESI em 2018. “Tivemos muitos resultados positivos no último ano e, o que não deu certo, iremos corrigir. O SESI precisa melhorar sempre e isso para nós é um desafio. Temos projetos em que os recursos foram aprovados há dois anos e em 2019 sairão do papel, o que significa que melhorias virão”, destacou Adriano.

Além de conhecerem as ações previstas pelo SESI neste ano, os docentes e colaboradores do Centro Educacional Marília Sant’Ana também assistiram a uma palestra ministrada pelo professor Tiago Benedetti, que abordou o tema “Docência empreendedora – o professor como sua própria empresa”. A programação da acolhida foi encerrada com um happy hour.

Orgulho de fazer parte do SESI – O professor de matemática Francisco de Assis conta que é colaborador do SESI há mais de uma década, sendo seis anos como docente. Ele enaltece a iniciativa da instituição em promover uma acolhida, oportunizando o reencontro dos colegas, fora do ambiente de sala de aula, após as férias.

“É excelente vir de férias, rever os colegas de trabalho, tanto os que já atuavam conosco como também os que estão chegando agora ao Sistema FIEAC. A acolhida foi muito bem planejada, pois foi apresentado o que iremos desenvolver ao longo do ano, os investimentos na área de educação e os objetivos para 2019. Estou no SESI há mais de 10 anos e tudo que desenvolvi como profissional, professor e como pessoa foi dentro do SESI. É uma instituição que carrego no coração, que visto a camisa com orgulho e muita honra”, salientou o professor.

01

Prefeita fala de orçamento na abertura do ano legislativo

A prefeita de Rio Branco, Socorro Neri (PSB), falou por cerca de uma hora durante a sessão solene de abertura do ano legislativo na Câmara Municipal. Sua mensagem ao parlamento foi longa porque a gestora relatou sobre a situação financeira da prefeitura, esmiuçou a reforma recente que fez na estrutura administrativa municipal e falou sobre a relação do Executivo da capital com o Legislativo.

O pronunciamento de Socorro Neri foi o evento político mais importante nesta segunda-feira, 04. Ele aconteceu no Theatro Hélio Melo, no Memorial dos Autonomista, que recebeu um de seus maiores públicos de sua história. Entre os presentes estavam os vereadores, o governador Gladson Cameli (PP), secretários estaduais e municipais, representantes da OAB/AC, do Ministério Público, do Tribunal de Contas do Estado, entre outros de instituições diversas e populares.

“Repassamos à população de Rio Branco, as informações necessárias sobre as condições de intervenção da prefeitura de Rio Branco”, disse Socorro Neri. “Falamos sobre o orçamento municipal: em que ele está sendo aplicado, de que modo está sendo utilizado, o que é possível fazer com o orçamento que nós temos e quais são os gargalos que não conseguimos solucionar com esse orçamento deficitário que nós temos nesse contexto de crise”, completou.

O presidente da Câmara Municipal, vereador Antônio Moraes (PT) fez a abertura oficial do ano legislativo e falou sobre os desafios da casa para este ano: “Sei que será um ano de muito crescimento e trabalho para todos nós. Novos desafios, novas conquistas. Assumi a presidência dessa Casa com o compromisso de dar início a obras da nossa sede. Demos início às conversas e tenho fé que em muito em breve iniciaremos as obras. Mas, nosso foco principal é o rio-branquense. A Câmara de Rio Branco, ao lado da prefeita Socorro Neri (PSB), lutará por dias melhores para a população da capital”, disse.

Visita a Ministérios

Socorro Neri esteve em Brasília, na semana passada, acompanhando a diretoria da Frente Nacional dos Prefeitos, da qual faz parte, em visitas feitas aos novos ministros. Neri disse que o objetivo dessas visitas foi reforçar a necessidade de abrir uma interlocução com o Governo Federal para promover a redefinição do Pacto Federativo com uma redistribuição mais justa do bolo tributário.

De acordo com ela, essa repactuação é fundamental para que os municípios brasileiros possam arcar com os serviços públicos já instalados, aumentando a qualidade de vida da população.

“Foram visitas muito proveitosas. O País está precisando, realmente, passar por reformas, e essas reformas nos foram delineadas pelos ministros, tendo sempre como base o lema dito pelo presidente Bolsonaro durante a sua campanha de que é necessário ‘mais Brasil, menos Brasília’. Isso inclui um protagonismo maior dos municípios não apenas na execução das atribuições públicas como se tem hoje, mas, também recebendo os recursos compatíveis para fazer a essas demandas.”

Prefeitura de Brasileia reúne gestores para planejar ano letivo

A prefeitura de Brasileia, por meio da Secretaria Municipal de Educação, já está nos preparativos para o início do ano letivo de 2019. Dia 22, foi realizada uma reunião com os gestores das escolas dos ensinos fundamental, infantil, nucleadas da zona rural e creche.

A secretária municipal de educação, Luiza Ribeiro do Amaral, destacou que a reunião teve como objetivo tratar do quadro de lotação dos funcionários e professores das escolas. “Estamos preparando as nossas escolas para o ano letivo 2019, o primeiro momento foi a realização de matrículas, hoje estamos reunidos com os gestores das escolas preparando a lotação de professores e tratando de assuntos administrativos”, disse a secretária.

O calendário de matrículas encerrou-se dia 18 de janeiro de 2019, porém algumas escolas de Brasileia ainda têm a disponibilidade de vagas. No ensino fundamental do 1º ao 5º ano (Escola Elson Dias Dantas), no ensino infantil (Escola Menino Jesus), e para o 1º ano (Escola Socorro Frota).

Os pais que ainda não matricularam seus filhos podem procurar as escolas acima mencionadas.

Brasileiro não consegue pagar gastos de início do ano com o que ganha

Cresce, porém, número dos que poupam para tais despesas, diz pesquisa

Apenas 9% dos brasileiros dizem que têm condições de pagar as despesas sazonais do início do ano com o próprio rendimento, mostra levantamento feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). O levantamento considera despesas como o pagamento dos impostos Predial e Territorial Urbano (IPTU) e sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) e do material escolar.

De acordo com a pesquisa, 11% dos entrevistados não fizeram planejamento financeiro para pagar tais compromissos neste início de ano. Foram entrevistadas 804 pessoas de ambos os sexos e acima de 18 anos, de todas as classes sociais, em todas as regiões brasileiras. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para um intervalo de confiança de 95%.

Cresceu, por outro lado, o percentual de consumidores (21%, em 2017, para 31% em 2018) que juntaram dinheiro ao longo do ano passado para arcar com essas despesas típicas deste período. Um terço dos entrevistados disse ter guardado ao menos uma parte do13º salário para cobrir esses gastos, enquanto 24% abriram mão das compras de natal para economizar.

O levantamento aponta ainda que 19% fizeram algum bico ou trabalho extra para aumentar a renda e honrar esses compromissos.

Simulação

Para saber a melhor forma de pagar os impostos do início do ano, à vista com desconto ou parcelado, a CNDL e o SPC fizeram uma simulação. As entidades destacam que, para saber o que é mais vantajoso, é preciso avaliar se o desconto oferecido é maior do que o valor que esse dinheiro renderia caso estivesse em alguma aplicação financeira de fácil resgate. Cada estado e município têm regras próprias.

A simulação mostra que, no caso do IPVA, em estados como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, onde o imposto pode ser dividido em até três pagamentos, a quitação à vista tende a ser mais vantajosa. O desconto oferecido é de 3%.

Considerando um valor hipotético de R$ 1.200, o desconto resultaria em um abatimento de R$ 36 se fosse pago de uma única vez. Se a escolha fosse investir o valor do IPVA e sacar as parcelas a cada vencimento, o rendimento final seria de R$ 6, considerando uma aplicação com juros de 0,5% ao mês, equivalente a investimentos de renda fixa.