Rocha participa de reunião com embaixador chileno para tratar sobre a importação e exportação de produtos entre Acre e Chile

O vice-governador do Acre, Major Rocha participou, na tarde de quarta-feira, 7, de uma reunião, por vídeo conferencia, com autoridades portuárias e governamentais do Chile para tratar sobre Áreas de Livre Comércio, logística integrada nas exportações e importações de alimentos, e
serviços portuários para integração comercial entre Acre e o Chile,

A reunião entre as autoridades diplomáticas governo do Chile e do governo acreano permitiu estabelecer uma agenda de trabalho promovendo o encadeamento industrial e comercial com o Acre e cidades do norte chileno.

Participaram da reunião, além do vice-governador Major Rocha, o Embaixador do Chile no Brasil, Fernando Schmidt, o Diretor da Zona Franca de Iquique (ZOFRI), Bernardo Bolados, Secretario de Indústria e Desenvolvimento do Governo de Tarapacá, Shariff Chacoff.

O Diretor do Porto de Iquique, Rubén Castro, e a Adida Comercial do Chile no Brasil, Maria Julia Riquelme, além representante da Secretaria de Indústria, Ciência e Tecnologia – SEICT, Victor Hugo Rondon, e o coordenador do Grupo de Trabalho para o Comercio Exterior do Governo do Acre, Francimar Cavalcante estiveram participando da reunião.

Na reunião foram tratados quatro eixos: Desenvolvimento das Áreas de Livre Comércio de Brasiléia-Epitaciolândia e Cruzeiro do Sul com a Zona Franca de Iquique, logística integrada nas exportações de carne bovina e suína; e importações da oferta chilena e Plataforma de Serviços Portuários com destino Ásia.

“A ideia principal é a parceria com o comercio chileno, além disso, exportar nossos produtos pelos portos do Chile num processo de integração entre as nossas duas Áreas de Livre Comércio (ALC), a de Cruzeiro do Sul e a de Brasileia/Epitaciolândia e as ALC’s dele (Chile). Eles tem muitos produtos a nos oferecer, a nos vender e esse podem entrar no Brasil via Acre, do nosso lado temos o interesse de acessar o comércio asiático através dos portos chilenos. São 1.200km, uma rota que nunca se pensou por acreditarem que a distancia seria bem maior, mas não é. As primeiras conversas são se realizaram e a ideia agora é promover uma reunião de empresarios brasileiros e chilenos para prospectar negocios e acredito que em pouco tempo teremos uma nova rota de importação e exportação passando pelo nosso Estado, aquecendo a economia e gerando emprego e renda para nossa população, que é o que tanto precisamos”, comentou o vice-governador, Major Rocha.

O Embaixador Fernando Schmidt, foi enfático ao destacar que, visualizava o Acre tão próximo como nunca antes do Chile e que as oportunidades apresentadas na última reunião realizada em Brasília permitiam o inicio de um novo marco de negociações para o progresso do norte do Brasil e norte do Chile.

O diretor Bernando Bolados da ZOFRI ressaltou que “O modelo da Zona Franca de Iquique movimentou US$ 8,3 Bilhões em 2019, operando mais de 2.2 mil empresas de diversos pais como China, India, Paquistão, Peru, Paraguai, entre outras”.

“As vantagens tributárias e incentivos são muito similares aos nossos e precisamos criar sinergia de ações em matéria industrial e comercial para trazer esses ganhos para nosso estado”, destacou Victor Hugo.

O Diretor do Porto de Iquique, destacou que a alta competitividade no fluxo de armadores semanalmente permite aumentar a rentabilidade de que utiliza o porto como atender rapidamente os mercados da Ásia.

“São movimentados 2,5 milhões de toneladas/ano, recebendo navios com 348m de eslora (comprimento máximo de uma embarcação) ou equivalentes a 16 mil TEUS (medida para aferir volume de contêineres) e já estamos trabalhando na ampliação para receber navios de até 367m”, disse.

Ao final da reunião foi estabelecida uma agenda de trabalho que será realizada em conjunto com a PROCHILE e com a ZOFRI numa nova data e no segundo semestre, havendo condições sanitárias, planeja-se uma viagem a região de Tarapacá.