Rio Branco registra aumento de 308% de casos de dengue

De acordo com último boletim da Prefeitura de Rio Branco foram notificados este ano 1.150 casos de dengue, isso representa um aumento de 308% em relação ao mesmo período do ano passado em que foram registrados 282 casos da doença na Capital.

Segundo o levantamento, dos 212 bairros de Rio Branco, 93 deles apresentam alto índice da doença. O Calafate foi o que houve o maior número, foram 12 casos, seguido do Belo Jardim com 11.

Nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s) os números são alarmantes. Somente na semana de 20 a 26 de janeiro foram diagnosticados na UPA da sobral 91 casos da doença, já nas unidades do 2° Distrito e Cidade do Povo foram 82 e 10 casos respectivamente.

Além da dengue, o Aedes aegypti mosquito transmissor da patologia é responsável também por outras doenças como Zika e Chikungunya. O boletim epidemiológico municipal aponta que há 36 casos de suspeita de chikungunya, destes, seis confirmados e 22 ainda aguardam o resultado dos exames.

Já no caso da Zika, o documento não revela a quantidade de pessoas infectadas ou com suspeitas da doença, porém alerta que já detectado a circulação do vírus na capital.

Prefeitura intensifica ações de combate ao mosquito

No intuito de intensificar o combate ao mosquito, a prefeitura de Rio Branco buscou alternativas para aumentar as ações e obter melhores resultados, uma vez os índices da doença só aumentam.

Uma dessas ações foi solicitar que homens do Exército Brasileiro ajudasse os agentes de endemias nas visitas as residências.

Secretário de Saúde de Rio Branco, Oteniel Almeida, comentou o assunto

O gestor da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), Otoniel Almeida, falou sobre a situação.

“A estratégia de fortalecimento do Plano de Resposta ao Combate a Situação Endêmica de Dengue está balizado em três estratégias: A primeira delas é o reforço das equipes que fazem visitas domiciliares que agora contam com o apoio de 22 homens do exército, além das nossas equipes que já atuam no dia a dia. Também estamos com duas equipes de limpeza exclusivas para fazerem esse trabalho de recolhimento de entulho nos bairros com maior índice de infestação; e a terceira estratégia é o fortalecimento do nosso plano de mídia, com o objetivo de informar e alertar a população para os cuidados e a prevenção. Nossa intenção é de que num prazo de 45 dias possamos diminuir essa situação endêmica”, explicou Oteniel Almeida.