Prédios municipais poderão ter energia cortada

 

A Amazonas Energia entrou na justiça mais uma vez contra a Prefeitura de Boca do Acre, para que seja efetuado, ou pelo menos negociado, a dívida de mais de 4 milhões de reais que o município tem com a concessionária.

O débito corresponde ao final do mandato do ex-prefeito Iran Lima e aos 34 meses da gestão do atual prefeito, Zeca Cruz, que nunca pagou um centavo de consumo, em nenhum dos prédios que estão sob a gestão do município de Boca do Acre.

A decisão que pode sair a qualquer momento, se for contra o município, manterá energia elétrica somente nos serviços essenciais, como postos de saúde e escolas. Os demais, até a sede da Prefeitura, ficarão sem energia.

No final de 2016, o prefeito eleito, mas que ainda não havia assumido o mandato, fez uma jogada de mestre e bloqueou mais de um milhão de reais para garantir o pagamento dos valores em atraso, ainda da gestão do seu antecessor, Iran Lima.

O fato é que com bloqueio ou sem bloqueio, a gestão de Zeca Cruz recebeu a dívida de mais de 1 milhão, não pagou o consumo da sua gestão e hoje o valor atualizado do débito da Prefeitura ultrapassa os 4 milhões de reais.

O débito astronômico é assunto recorrente dentro da Amazonas Energia. Até o presidente da empresa, Radyr, veio ao município de Boca do Acre para ter uma conversa com o prefeito, para que juntos chegasse a uma solução, mas até o presente momento a prefeitura ainda não cumpriu com suas obrigações.