Paysandu sofre, mas vence o Galvez: 2 a 0

Com um gol sofrido a cada tempo de jogo, o sonho do Galvez de chegar à segunda fase da Copa Verde ficou pelo caminho. Na noite de ontem (17), o Imperador caiu para o Paysandu por 2 a 0, em jogo realizado no estádio Leônidas de Castro, a Curuzu, em Belém-PA. Diogo Oliveira e Bergson marcaram os gols do time bicolor.

A classificação dos paraenses foi sofrida e poderia ter desfecho desfavorável e cômico, mas a arbitragem fez vista grossa e deixou de marcar uma penalidade em favor dos acreanos nos acréscimos do jogo, quando o placar ainda apontava vitória parcial do Papão por 1 a 0.

Jogo

Com apoio de 5 mil torcedores, o Paysandu começou na pressão contra o time acreano, mas sem objetividade nas finalizações.

O empate sem gols estava levando a decisão da vaga para as cobranças de penalidades. O Galvez tentava gastar o tempo e explorar as jogadas de velocidades, mas errava muito na saída de bola.

Melhor na partida, o Papão abriu o placar num chute violento da intermediária aplicado pelo meia Diogo Oliveira, ex-Rio Branco-AC, aos 34 minutos.

Na etapa complementar de partida, o Papão continuou melhor contra um Galvez pouco agressivo.

No entanto, nos dez minutos finais o Galvez foi para o tudo o nada e conseguiu pressionar o time paraense na bola aérea.

Nos acréscimos Ciel foi derrubado dentro da grande área pela defesa celeste. No entanto, o árbitro da partida fez vista grossa para o lance e ainda advertiu o atacante acreano com cartão amarelo.No minuto seguinte, num contragolpe, Bergson acertou uma linda finalização para decretar a vitória do Papão.

FICHA TÉCNICA

Local: Estádio da Curuzu
Público: 5.184 presentes
Renda: R$ 62.475
Árbitro: André Rodrigo Rocha (TO)
Assistentes: Cipriano Sousa e Natal da Silva Ramos Júnior (TO)

PAYSANDU: Emerson; Ayrton, Fernando Lombardi, Gilvan e Welliam Simões (Wil); Ricardo Capanema (Augusto Recife), Wesley e Diogo Oliveira; Bergson, Leandro Cearense e Leandro Carvalho (Jhonnatan). Técnico: Marcelo Chamusca

GALVEZ-AC: Máximo, Layo, Jô, Rafael e Tiaguinho; Wilson, Renato (Marquinhos), Kinho (Kremer) e Ciel; Ferrari (Cabañas) e Neném. Técnico: Pablo Simões