Connect with us

Boca do Acre

Pastor expõe condições precárias das ruas do Piquiá em Boca do Acre

Published

on


`“Boca do Acre não é querida, é sofrida… Se não mudar, vai se acabar”, alerta o religioso
`

Boca do Acre tem enfrentado uma série de desafios sob a administração do prefeito Zeca Cruz, e a situação chegou a um ponto crítico. Mais uma prova do caos que se instalou são os vídeos gravados pelo pastor Orleange, na última sexta-feira (5), quando da ocorrência de uma chuva rápida.

Tentando trafegar de moto pelas ruas cobertas de lama, com buracos e praticamente intrafegáveis, o pastor Orleange encontrou-se impedido pelo estado deplorável das vias. Indignado, ele decidiu registrar a situação em dois vídeos que rapidamente se espalharam pelas redes sociais. Em uma das gravações, Orleange declara com firmeza: “Se Boca do Acre não mudar, vai se acabar.” O pastor ainda se refere ao município como uma “terra sofrida”, refletindo o sentimento de muitos moradores locais.

A situação das ruas do Piquiá não é um problema isolado. Muitos residentes de Boca do Acre têm se queixado das más condições das vias, falta de infraestrutura básica e a ineficácia das ações da administração atual. O desabafo do pastor Orleange toca num ponto sensível para a comunidade, que se vê abandonada e sem perspectivas de melhorias a curto prazo.

Este episódio não só destaca a precariedade das ruas de Piquiá, mas também coloca em evidência a insatisfação crescente da população de Boca do Acre com a atual gestão. A pressão sobre o prefeito Zeca Cruz aumenta, inversamente proporcional à sua atenção e preocupação dele com a cidade, uma vez que está em final de mandato e parece ter abandonado de vez a gestão do município.

Advertisement

A mensagem de Orleange é clara: Boca do Acre precisa de uma transformação urgente para evitar um colapso total. Seu apelo reflete o desejo de muitos por uma administração que realmente se importe e atue para resolver os problemas que afligem a comunidade.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *