Partidos não prestam contas a Justiça Eleitoral

Na conta da Justiça eleitoral 228 diretórios municipais de 30 partidos no Acre não apresentaram a prestação de contas de quanto receberam e gastaram na campanha do ano passado.

E não tem aquela história de partido nanico, que tem problemas para contratar um contador. Os grandes como: PMDB, PT, PSDB e PSD também não apresentaram as contas. Até os mais radicais críticos do sistema: REDE, PSOL e Solidariedade estão devendo à Justiça eleitoral sua contabilidade.

O caso mais grave é o do Quinari. Os 23 partidos com diretórios no município não apresentaram as prestações de contas.

Todas agremiações partidarias recebem dinheiro de doação e do fundo partidário, que é usado para manutenção do partido e nas campanhas. A Justiça Eleitoral quer saber onde está sendo aplicado esse dinheiro.

Para o juiz eleitoral Luiz Camolez, a questão não é só informar o recurso que receberam, mas, os partidos devem ajudar a modificar essa imagem negativa da politica no país. “Se recebem dinheiro e não falam onde gastam estão, com isso, criando mecanismo de fraude o que é uma lástima para o país”, reclamou.

Esses números mostram porque os deputados federais tentaram aprovar com urgência uma lei que isenta de punição partidos politicos que não prestarem conta. O testo ainda chegou a ser aprovado, mas a mesa da câmara teve que recuar diante da criticas em todo país.

No caso de inadimplência, a Justiça Eleitoral pode impedir que o partido receba o fundo partidário, que é um recurso enviado pelo Governo Federal todos os anos.

Agora se o congresso conseguir aprovar a retirada da única pena vai ser uma aula de impunidade para o país, disse o juiz Luiz Camolez.