Novo sistema de controle florestal é apresentado na FIEAC

Com o objetivo de apresentar o novo Sistema Nacional de Controle dos Produtos de Origem Florestal (Sinaflor), a FIEAC, em parceria com o Governo do Estado, por meio do instituto de Meio Ambiente do Acre (Imac), e o Ministério do Meio Ambiente (MMA), através do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama), realizou um workshop com o setor produtivo, na manhã da última sexta-feira, 31 de março. O novo sistema pretende reunir, em uma única plataforma, todas as informações relacionadas ao manejo florestal sustentável de todo o país e fechar o ciclo da cadeia produtiva, com controle de origem da madeira, carvão e outros subprodutos florestais, sob coordenação, fiscalização e regulamentação do Ibama.

“Toda mudança gera transtornos mas acredito que essa ferramenta seja a que estamos esperando há anos, porque vai combater a ilegalidade e fazer com que tenhamos mais agilidade nos processos na hora da liberação dos planos de manejo”, destacou a presidente do Sindicato das Indústrias de Madeiras do Estado do Acre (Sindusmad) e vice-presidente da FIEAC, Adelaide de Fátima Oliveira.

Ela acrescentou, ainda, ter esperança de que o Sinaflor venha trazer força de vontade para os empresários que estão reiniciando as atividades e para aqueles que pretendem se instalar no Acre. “Temos muita madeira, mas também temos uma dificuldade muito grande de competir com a ilegalidade. Precisamos de agilidades nos processos de licenciamento. Continuo na luta porque acredito no setor florestal”.

Na apresentação ministrada por representantes do Ibama, foi destacada a possibilidade de dar maior transparência ao processo de exploração florestal. Além disso, o Sinaflor foi exposto como uma poderosa ferramenta de controle e combate ao desmatamento ilegal, contribuindo para a maior competitividade e agregação de valor aos produtos de origem comprovada e legal. Foi destacada, também, a economia de recursos e de tempo, com a redução de trabalhos manuais pelos técnicos dos órgãos.

“O responsável técnico terá acesso a um módulo próprio com controle de demanda, onde ele apresenta o projeto técnico e o analista do órgão ambiental realizará a análise do processo. A partir daí, após a emissão da autorização de exploração, haverá uma expectativa de crédito para o empreendimento”, explicou o coordenador de Uso Sustentável de Recursos Florestais do Ibama, André Sócrates.

O senador Jorge Viana elogiou a implantação do Sinaflor e afirmou que o sistema é moderno e vai permitir o uso inteligente da internet para monitoramento da produção florestal. “O Acre é o terceiro estado a implementar esse sistema. Tem que haver mais investimentos no setor. Precisamos trabalhar de forma vertical, valorizando nossas riquezas naturais e estabelecendo um novo modelo de economia e consumo. Precisamos combater a ilegalidade apoiando quem trabalha dentro da lei”, concluiu.

O Sinaflor foi instituído pela Instrução Normativa n° 21, de 24 de dezembro de 2014, em cumprimento aos artigos 35 e 36 da Lei n° 12.651/2012 e deve ser implantado em todo do país até dezembro de 2017.