Novo preço da passagem de ônibus passa a vigorar na Capital

Os usuários do transporte coletivo, em Rio Branco, começaram a desembolsar 50 centavos a mais para custear a passagem de ônibus que subiu de R$ 3 para R$ 3,50 nesta quinta-feira, 9. Os estudantes permanecem pagando o valor de R$ 1.

Para a operadora de telemarketing, Andressa Sena, de 24 anos, o reajuste traz um desfalque no final do mês e acaba comprometendo o orçamento.

“A gente ganha um salário mínimo e precisa, diariamente, pegar quatro conduções, e na soma final são pelo menos R$ 300 em um mês porque, às vezes, tem emergência e precisamos fazer mais de quatro viagens, então é complicado”, contabiliza a operadora de telemarketing.

O novo valor da tarifa de ônibus foi aprovado pelo conselho Tarifário da Capital, em seguida também aprovado na Câmara de vereadores e sancionado através do decreto nº 660 assinado pelo prefeito Marcus Alexandre.

Segundo o decreto, foram levados em consideração pontos cruciais como: “as circunstâncias sociais que norteiam a questão do reajuste da tarifa de transporte coletivo; necessidade de manutenção e equilíbrio econômico-financeiro das despesas geradas pelo na operação do Sistema Integrado de Transportes de Urbano de Rio Branco.”

Para o aposentado Raimundo Ferreira, 64 anos, a situação dos usuários só complica à medida que o tempo passa. “Infelizmente a gente precisa. Mas a verdade é que andar de ônibus já é complicado e com a passagem só aumentando, só dificulta a nossa vida”, reclama.

Marilene Brito de Lima, 33 anos, é diarista e diz que não vê vantagem em reajuste no salário mínimo se há reajuste em todos os serviços essenciais. “Esse ano é R$ 3,50, no próximo ano vamos para R$ 4 e assim segue a nossa vida pagando um alto preço por tudo. Não adianta reajustar o salário se com ele reajustam tudo.”