No dia da água, sociedade fala em conscientização

“A água é fundamental à vida. Sem ela nada sobrevive e agradeço por ter sempre sido ensinada por minha mãe a cuidar do que temos”, relata a professora Gracirlene Cavalcante, enquanto recebia panfleto de um ato realizado pelo Sindicato dos Urbanitários, em Rio Branco, no Dia Mundial da Água.

Para Gracirlene, ainda falta muita conscientização para esta geração ter os devidos cuidados com a água. “Sabemos o quanto ela é fundamental, mas falta ainda a prática para que de fato seja feita a diferença.”

Além disso, ela conta que, em casa, economiza no que é possível. “Não escovo os dentes com a torneira ligada, mesma coisa se repete no banho, ou ao lavar a louça. São coisas assim que fazem a diferença. Também precisamos de projetos que tornem isso mais lembrado, não apenas um dia no ano”, relata.

Na tentativa de chamar a atenção da população, a diretoria do Sindicato dos Urbanitários se reuniu no Terminal Urbano, na manhã de ontem e distribuiu material informativo para quem passava pelo local.

De acordo com o presidente do Sindicato, Fernando Barbosa, o que eles buscam através de material impresso é alertar, principalmente, através do contato direto com palavras de ordem para que todos estejam envolvidos em uma causa comum.

“Nós ainda vivemos em uma situação privilegiada, mas pela forma como a gestão pública trata os nossos mananciais é uma situação que as próximas gerações podem não ter a mesma sorte que a gente tem”, afirma.

O Dia Mundial da Água foi criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 22 de março de 1992. Desde então, a cada ano, leva-se à discussão temas relacionadas a este bem natural.