Na busca de estabilidade, jovens acreanos se preparam para o concurso da PMAC

Na busca por estabilidade financeira, jovens estudam diariamente almejando a aprovação em um concurso público. Pra isso, dedicam parte do seu tempo com grupo de estudos, se abdicando da família e amigos.

É o caso da estudante de História, Fabiana Moura, que desde janeiro vem se preparando para os certames que acontecerão em breve no Estado.

“Para esse concurso da PM estamos estudando desde o início do ano, mas o grupo de estudo já existe há dois anos. A ideia de criá-lo foi de um professor do curso, porque estudar só, às vezes, é muito ruim. Começamos com poucos alunos, hoje somos onze estudantes”, explica Moura.

Segundo a estudante, o grupo se reúne todos os dias e estudam cerca de dez horas por dia. Nos fins de semana ainda realizam o que eles chamam de corujão, onde passam a madrugada resolvendo provas já aplicadas em outros concursos. Eles utilizam a casa de dois participantes para estudarem, e também a Biblioteca Pública.

Todos os membros já foram aprovados em concursos, três deles estão trabalhando na prefeitura e os demais aguardando serem chamados.

“O concurseiro é aquele que presta todos os concursos para saber como é a banca e testar seus conhecimentos. E eu sempre quis ser militar esperei muito por este certame”, conta Fabiana.

Para ela a rotina é ‘puxada’, pois acorda às 5 da manhã para ir à faculdade e dorme depois da meia noite se preparando para o concurso. Mas apesar do esforço, não ter lazer com amigos e família, tudo valerá a pena para que em breve ela colha os frutos que está plantando hoje.

A preparação

Na parte teórica, o grupo estuda pelo edital, conforme a banca cobra. Eles estudam o que é pedido na teoria, resolvem questões de provas e realizam simulados entre eles.

“Estamos fazendo natação no CEAN, e lá tem um professor ajudando a gente. Na corrida, vamos pras ruas quatro vezes por semana e na barra, fazemos na casa do Derick, onde ele improvisou uma. Mas temos um amigo que, recentemente, passou para oficial da PM e nos ajuda na parte física”, explica Fabiana.

Para não esgotá-los, os jovens fizeram uma mudança na rotina, antes, todos os dias realizavam atividade teórica e física, agora, intercalam entre os dias da semana. Porém a dedicação é a mesma.

“O primeiro passo é acreditar que tudo pode ser possível e, também, abrir mão de muita coisa, mas ter motivação na vida para realizar seus sonhos é o principal. Eu sonho em ter uma estabilidade financeira para ajudar minha mãe e viajar”, disse Moura.

Outra alternativa

Para quem quer estudar e não tem grupo de estudos pode recorrer a Biblioteca Pública. Lá o estudante pode contar com livros disponíveis para consulta, computadores conectados a internet e Wi-Fi para usar no seu tablet ou notebook.

De acordo com a diretora da biblioteca, Helena Carloni, em época de provas e concursos cerca de 600 pessoas passam pelo local diariamente.

O espaço conta com 39 computadores, podendo o aluno ficar por uma hora ou mais, espaço infantil pra quem tem filhos e não tem com quem deixa-los, além de um acervo rico para pesquisas. Cinco desses computadores são destinados a pessoas com necessidades especiais.

A biblioteca funciona de segunda a sábado, das 7h30 as 21h30.