Mais de 90% dos municípios do Acre, Ceará, Maranhão, Rondônia e Sergipe se comprometem com a Busca Ativa Escolar

Municípios vão se engajar para encontrar quem não está conseguindo ter acesso à educação e tomar medidas para reverter esse cenário de exclusão Escolar

Após um ano de pandemia, 5,5 milhões de crianças e adolescentes em todo o Brasil ficaram sem atividades escolares ou não frequentaram a escola, e é fundamental ir atrás de cada um desses meninos e meninas. Por isto, a Busca Ativa Escolar (BAE), estratégia desenvolvida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), UNDIME e parceiros, visa apoiar governos estaduais e municipais no enfrentamento do abandono escolar. Este ano, a iniciativa já conta com a adesão de todos os municípios do estado do Acre, Maranhão, Rondônia e Sergipe, e de mais de 90% dos municípios do Ceará. Em todo o país, 1.810 municípios de 23 estados já realizaram o processo de readesão à BAE.

“É preciso trabalhar de forma coletiva, ir nas casas onde as crianças e os adolescentes vivem, com todos os cuidados necessários, fazendo uma abordagem protegida dessas famílias e entender com profundidade quais são as causas que os afastaram da sala de aula”, explica o chefe de Educação do UNICEF no Brasil, Ítalo Dutra. Somente em 2020, mais de 80 mil crianças e adolescentes tiveram seu direito à educação garantido por meio de ações intersetoriais no âmbito da Busca Ativa Escolar em todo o Brasil.

Busca Ativa Escolar na Amazônia Legal

Em 2020, cerca de 25 mil novas matrículas ou rematrículas foram realizadas em estados da Amazônia Legal Brasileira. Todos os nove estados aderiram à BAE, e 100% dos municípios do Acre, Maranhão e Rondônia já fizeram a readesão.

“A adesão total dos municípios do Maranhão reforça que a escola tem um papel de proteção e a Busca Ativa Escolar é uma plataforma e metodologia social de apoio às escolas e ao sistema municipal e estadual de ensino nessa proteção e garantia de direitos”, reforça Ofélia Silva, chefe do escritório do UNICEF no Maranhão.

“É um momento de celebração pela readesão de todos os municípios de Rondônia e do Acre na Busca Ativa Escolar. Isso mostra o fortalecimento da articulação intersetorial da gestão pública para encontrar crianças e adolescentes que estão fora da escola e tomar as medidas necessárias para a rematrícula e sua permanência na sala de aula”, afirma Debora Nandja, chefe do escritório do UNICEF em Manaus, que é responsável pelos projetos no Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima.

Até 22 de março de 2021, o total de (re)adesões é de 448 municípios, ou seja, cerca de 55% dos municípios da Amazônia Legal já realizaram a (re)adesão à Busca Ativa Escolar.

Busca Ativa Escolar no Semiárido

Em 2020, aproximadamente 47.228 crianças e adolescentes foram identificados e retomaram o vínculo com a escola no Semiárido Brasileiro. Agora, neste ano, municípios dos nove estados do Semiárido Brasileiro também já aderiram à Busca Ativa Escolar, totalizando 1012 municípios. Em Sergipe, todos os municípios fizeram a readesão; o Ceará já está com 93% de adesão, e o Rio Grande do Norte com mais de 74%.

Para Rui Aguiar, chefe do escritório do UNICEF em Fortaleza, o desafio para o ano de 2021 está em buscar as crianças e adolescentes que haviam abandonado e não estavam matriculadas em 2020. “Devemos monitorar o retorno daquelas que estavam matriculadas no ano passado, mas em situação de risco de abandono, e identificar as que nunca tiveram direito à escolarização formal. Este desafio exige trabalho ainda mais integrado entre as áreas de educação, assistência social e saúde”, salienta.

Sobre a Busca Ativa Escolar

A Busca Ativa Escolar é uma estratégia que colabora com municípios e estados para enfrentar a exclusão escolar, desenvolvida pelo UNICEF e pela Undime, com o apoio do Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). A intenção é apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão. Por meio da Busca Ativa Escolar, municípios e estados terão dados concretos que possibilitarão planejar, desenvolver e implementar políticas públicas que contribuam para a inclusão escolar.

O UNICEF soma a Busca Ativa Escolar como uma das ações do Selo UNICEF, e convida municípios do novo ciclo da gestão municipal, que se iniciou no dia 1º de janeiro de 2021, a aderirem à estratégia de Busca Ativa Escolar e implementá-la como importante medida para a realização e garantia integral dos direitos de crianças e adolescentes em municípios do Semiárido e da Amazônia Legal Brasileira.

A (re)adesão à Busca Ativa Escolar pode ser realizada a qualquer momento. O passo a passo para o processo já está disponível no site buscaativaescolar.org.br . Dúvidas na implementação da estratégia podem ser esclarecidas pelos canais oficiais de atendimento, como o telefone 0800 729 2872, WhatsApp (61) 98257-2931 ou e-mail [email protected] No site da Busca Ativa Escolar, municípios e estados também encontram materiais de apoio, vídeos e o curso EaD Busca Ativa Escolar na Prática.

Sobre o UNICEF

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos. Saiba mais em http://www.unicef.org.br