Connect with us

Cotidiano

Mais de 300 candidatos participaram do pré-TAF da PM

Em busca de uma estabilidade financeira, mais de 300 candidatos, aptos ao Teste de Aptidão Física, do concurso da Polícia Militar, que acontece entre dos dias 4 e 6 de junho, participaram do pré-TAF promovido pela Associação das Praças da Polícia Militar (APRAPMAC) e do Corpo de Bombeiros Militar (APRABMAC), na manhã desta quinta-feira, 25, na pista de atletismo do Sesi.

Published

on

Em busca de uma estabilidade financeira, mais de 300 candidatos, aptos ao Teste de Aptidão Física, do concurso da Polícia Militar, que acontece entre dos dias 4 e 6 de junho, participaram do pré-TAF promovido pela Associação das Praças da Polícia Militar (APRAPMAC) e do Corpo de Bombeiros Militar (APRABMAC), na manhã desta quinta-feira, 25, na pista de atletismo do Sesi.

De acordo com o presidente da APRABMAC, Sargento BM Abrahão Púpio, o objetivo da ação, que teve início com as aulas teóricas, no bairro Mocinha Magalhães, depois as aulas de natação, no colégio Armando Nogueira e, agora, com este pré-TAF, é simular o máximo possível da realidade do que é fazer o teste no dia.

O sargento destaca que, apesar dessa simulação, no dia adrenalina é outra. “No dia a pessoa tem mais tensão, é tudo ou nada! Mas estamos simulando a técnica para corrigir possíveis erros que os candidatos estejam cometendo durante a prática das atividades, pois qualquer erro cometido pode ser a diferença dele [candidato] ficar dentro ou fora do concurso”, diz.

Púpio lembra ainda além do teste físico, que é de caráter eliminatório, existem as outras fases que desclassificam como o teste psicológico, a investigação social e criminal, e a avaliação médica.

Os aspirantes puderam fazer uma autoavaliação de seus rendimentos fazendo barra, flexão, abdominal e corrida. A piscina, infelizmente, não foi liberada.

Advertisement

Para o servidor público Yago Cavalcante, este tipo de iniciativa é plausível, principalmente, levando em consideração que muitos não podem pagar para treinar naquele espaço, pois requer um gasto de quase R$ 150.

“Em uma atividade como essa, a gente pode aferir nosso nível de preparação. E tendo em vista a atual situação do país, as pessoas estão cada dia se capacitando mais para concursos público, independente da área. Eu tranquei a faculdade para me dedicar somente aos estudos em busca de uma oportunidade melhor”, afirma.

O presidente da APRAPMAC, cabo PM Igor Oliveira, informou a nossa equipe que estão estudando a possibilidade de que o próximo concurso seja a nível superior e não mais médio como vem acontecendo.

“É algo a ser estudado, estamos conversando junto ao comando e ao governo do estado para que assim possamos valorizar a categoria. Hoje, a polícia acreana tem uma característica comunitária e para ingressar nessa carreira está cada vez mais difícil, na minha época eram mais de 600 vagas, atualmente, são pouco mais de 250”, relata Oliveira.

A estudante Grêta Mariano, 28 anos, fez 79,5 e está se dedicando para ser aprovada nesta fase do certame. “De uma nota de 100% creio que estou com 80%, me falta aperfeiçoar os detalhes. Eu gostei dessa iniciativa do pré-TAF, pois aproveitei para vim trabalhar meu psicológico, olhando como os outros estão se saindo e ter mais ou menos uma base do que será no dia.

Advertisement
Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *