Luto

“Uma luz na floresta que se apaga. Para piorar ainda mais a escuridão em que vivemos”, falou uma acreana que fez questão de se despedir de dom Moacyr Grechi, que foi velado e enterrado em Porto Velho, nesta quarta-feira, 19.

Mesmo diante de toda a emoção por conta do momento, ela não deixa de ter razão.Teve acreano que foi de carro, de ônibus ou de avião. Mas, foi se despedir. Agora fica a incerteza se os mais humildes e menos favorecidos de hoje terão quem os defenda com tamanha lucidez como o dom Moacyr, o bispo do povo.

O bispo sempre lutou em favor do que ele chamava de justiça social. Ele foi um “incansável defensor dos povos da floresta: indígenas, seringueiros e trabalhadores rurais. Como bispo de Rio Branco, lutou pelo fim da violência e por uma sociedade mais justa e fraterna”, diz um trecho da nota emitida pela Diocese de Rio Branco.

Independentemente de qualquer formalidade, o Acre chora pela morte de dom Moacyr. Nos resta agora atravessar essa escuridão, acreditando que de alguma forma ele está nos guiando onde quer que esteja.