Indígenas pedem saída de coordenador do Dsei e fecham prédio em protesto

O Distrito Sanitário Especial Indígena do Alto Purus (Dsei), em Rio Branco, foi fechado há três dias por indígenas que protestam pedindo a saída do coordenador de saúde indígena do Alto Purus, Sérgio Ricardo. Com os pertences espalhados em frente ao prédio, eles garantem que não deixam o local enquanto as reivindicações não forem atendidas.

Os indígenas residentes na extrema são das etnias Jamamadi, Apurinã, Jaminawá e Kaxarari. E segundo informou o líder da base, Edson Kaxarari, as lideranças estão insatisfeitas com o trabalho do atual gestor e com isso outros irmãos devem chegar para se unir ao protesto.

“Nós não estamos sendo atendidos como esperamos. Desde que essa gestão entrou as coisas ao invés de se desenvolverem parece que pararam. A liderança de agora não está funcionando, por isso que nós estamos fazendo esse protesto”, afirmou Edson Kaxarari.

Edson disse ainda que está faltando equipe de saúde no campo, transporte, projetos parados e obras de saneamento, são alguns dos pontos principais que estão deixando a comunidade desassistida.

O líder ainda questionou as contratações sem processo seletivo. “Essas contratações estão ocorrendo sem ninguém consultar o conselho, as lideranças, e isso nós também não admitimos”, questiona.

O coordenador Sérgio Ricardo, falou por telefone, com a equipe do Opinião e contestou as acusações afirmando que o protesto é motivações políticas.

“Eles tentaram a presidência da Funasa, depois da Funai e não deu certo e agora querem a diretoria do Distrito. Só digo que podem tentar todas as alternativas, pois estamos agindo dentro da legalidade”, afirma Sérgio.