Ideb Boca do Acre – Enquanto a maioria das escolas regride, Danilo Corrêa é a que mais evoluiu

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), foi divulgado pelo Ministério da Educação na tarde desta sexta-feira (16), referente ao ano de 2021. A média da maioria das escolas teve uma queda significativa, a exemplo da escola estadual Jacinto Ale, que é considerada uma escola modelo, mas que não conseguiu sustentar a nota que chegou ao teto máximo de 8,2, mas em 2021 caiu para 7,4.

Na contramão da maioria dos estabelecimentos de ensino, está a escola estadual de Tempo Integral, Danilo Corrêa, que dentre todas, foi a que teve maior evolução, quando comparadas as notas de 2019 e 2021. A instituição de ensino cresceu oito décimo de ponto, saltando de 3,6 para 4,4, nos anos finais do ensino fundamental (9º ano).

Nos anos iniciais do ensino fundamental, as únicas escolas que não regrediram na nota, foram: escola estadual José Leite, escola estadual João Gabriel e escola municipal Primeiro Passo. A escola municipal Safira Batista teve o pior desempenho no comparativo das notas. A média do estabelecimento de ensino sofreu um baque de 1 ponto.

A escola Coronel José Assunção (GM 3), não foi muito diferente, negativamente falando, uma vez que lá, o regresso foi de nove décimos de ponto. O terceiro pior desempenho foi, como já citado anteriormente, o da escola estadual Jacinto Ale, que sofreu uma baixa de oito décimos.

A grande maioria das escolas de Boca do Acre já oscilou na nota, ao longo desses 17 anos em que o Ideb é mensurado nas escolas públicas e privadas do Brasil. Mas no caso da Jacinto Ale, foi a primeira vez que isso aconteceu, pois ao longo de quase duas décadas, a escola mantinha o nível bastante elevado, figurando entre os melhores índices do estado do Amazonas.

A média do município de Boca do Acre, nos anos iniciais do ensino fundamental também foi afetada. Em 2019, a nota que era de 5,9, veio para 5,3. Nos anos finais do ensino fundamental, a média também involuiu de 4,9 para 4,6. Já no ensino médio, as escolas tiveram desempenho diferente, evoluindo da nota 3,2 para 3,6.

Falando de rede de ensino, destaque para a estadual, que ficou muito à frente da rede municipal. A média de todas as escolas regidas pela Seduc-Am, foi de 5,9, já as escolas sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Educação, o índice foi de tão somente 4,7.