Enfermeira se pronuncia após denúncia de descarte de vacina contra a Covid-19 em Boca do Acre

A enfermeira Rachel Lima, responsável pelo setor do Programa Nacional de Imunização (PNI), em Boca do Acre, explicou ao vereador Jansen Almeida, que a denúncia de descarte de vacinas contra a Covid-19, em larga escala, por não haver público para receber as doses do imunizante, não procedem.

Jansen recebeu informações, que segundo ele mesmo, partiram de pessoas que trabalham na Prefeitura de Boca do Acre, que estão vendo as coisas erradas e não ficam caladas, diuturnamente procurando o parlamentar para pedir ajuda.

Vacina no lixo

Segundo a delação, mais de dez vacinas que estão sendo usadas nas etapas de imunização contra a Covid-19, foram descartadas na semana passada, no município de Boca do Acre, simplesmente por não haver público para aplicá-las.

De posse da denúncia, Jansen peregrinou por duas unidades básicas de saúde, e em uma delas, na UBS Maria Cláudia, encontrou a enfermeira Rachel Lima, que se pronunciou sobre o assunto e negou veementemente que um frasco com 10 vacinas havia sido descartado, ou seja, ido para o lixo por não ter quem imunizar.

Enfermeira explica

Rachel explicou que cada frasco do imunizante, contém dez doses e depois que estão fora do recipiente, cada dose deve ser aplicada em até oito horas. A responsável pelo PNI confirmou que apenas uma vacina foi perdida no dia de ontem, segunda-feira (5), por conta do prazo de validade fora do frasco, e por não ter sido administrada em nenhuma pessoa que faz parte do público-alvo.

Aconselhamento

No vídeo gravado pelo vereador, ele aconselha ao prefeito Zeca Cruz, que saiba como usar uma ferramenta tão importante, como é o decreto de calamidade, que deixa Boca do Acre com liberdade para agir em várias ocasiões, sem ter de esperar por determinações dos governos federal ou estadual.