Em uma noite sangrenta em Rio Branco, quatro pessoas são assassinadas a tiros

Os números assustam. Mais de 130 mortes relacionadas a guerra das facções foram registradas nos três primeiro meses de 2017, no Acre. Em menos de 24 horas, de quarta, 29, para quinta-feira, 30, foram registradas mais de uma dezena de ocorrências com quatro vítimas fatais. Oito dos casos foram registrados na região do 2º Distirto de Rio Branco, uma das mais violentas da capital acreana.

As vítimas fatais foram: Eladio Delmétrio Lopes, 49 anos, Francisco Wellington da Silva, 28 anos, Erigrisson Souza Picolo, 27 anos, e Eduardo Henrique Cavalcante, 16 anos, mortos na noite de quarta-feira, 29, os dois últimos no bairro Triângulo Novo, no 2º Distrito da cidade. Outras três pessoas foram baleadas no bairro Triangulo, são eles: Andrés Barroso de Melo, 17 anos,Sidney da Costa Silva, 20 anos, e Rian Souza da Silva, 16 anos.

No Conjunto Habitar Brasil, bairro Esperança, Arthur da Silva Matias, de 24 anos, e Farides Patrício da Costa Pinheiro, de 36 anos, estavam juntos quando sofreram uma tentativa de homicídio. Segundo informações, Farides estava trafegando em seu carro modelo Siena, quando um pneu teria furado e ele chamou um borracheiro para ajudar.

Quando eles trocavam o pneu, dois homens em uma motocicleta chegaram e o garupa já foi atirando contra as vítimas.

De acordo com informações repassadas por testemunhas aos policiais, a dupla de motoqueiro disparou cerca de quatro tiros contra as vítimas. O dono do carro foi atingido com um tiro nas costas e foi socorrido por terceiros.

Artur Matias foi atingindo com um tiro no abdômen e foi socorrido por paramédicos do Samu e encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco em estado grave.