Daniel Zen denuncia que pacientes estão morrendo na UTI do Into por imperícia

O deputado estadual Daniel Zen (PT), em pronunciamento na sessão virtual de terça-feira, 6, da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), questionou as ações do governo do Estado no combate a pandemia da Covid-19. O parlamentar defende medidas mis severas para conter o avanço da doença no Acre. 

“Tem que pegar quente no enfrentamento à pandemia da covid-19 no Acre, se quiser reduzir o número de mortos e de pessoas contaminadas pela doença. Não se pode temer a impopularidade na tomada de decisões firmes de enfrentamento à pandemia”, frisou.

O petista criticou também a suspensão das vacinas no final de semana com a justificativa de lockdown. Ele ressalta que falta pulso firme dos gestores.

“Não dar pra suspender no sábado e no domingo [vacinação], sob a justificativa do lockdown. Não dar. Tem que levar a sério, tem que ter firmeza de atitudes, de propósitos. O que está faltando na gestão de combate a pandemia é pulso firme. É saber e querer aguentar o tranco de tomar as decisões impopulares. Porque vai perder popularidade, mas vai salvar vidas e lá na frente a história vai reconhecer”, disse Zen.

Na ocasião, Zen ainda denunciou que mortes de pacientes estariam acontecendo na UTI do Into por imperícia. Ele diz que falta experiente entre o corpo clínico daquela unidade de saúde no momento da intubação e extubação tem sido um ponto importante no agravamento dos pacientes.

“Priorizou-se muito a ampliação dos leitos de UTI. Moral da história? Atendimento de péssima qualidade na UTI do Into porque não tem intensivistas suficientes. Os profissionais que estão ali são guerreiros, estão lutando, mas muito deles recém-saídos da faculdade. Nunca entubaram um paciente”, disse. 

E acrescentou: “tem notícias de paciente que morreu de sede na UTI porque o pessoal depois que entubou, superventilou o cara, não sabe que tem que molhar a boca do cara com algodão, pô. Não sou da área médica, mas a gente tem uma noção. A gente recebe todo tipo de notícias, gente que morre no processo de intubação e extubação”.