Cristian é acusado de espancar torcedores, mas ele nega

Expulso na etapa complementar de jogo do último domingo contra o Galvez pelo árbitro Carlos Ronne Casas, o técnico do Rio Branco, Cristian de Souza, após o jogo, estava no estacionamento do estádio Florestão conversando com membros da comissão técnica e diretoria do clube, quando foi provocado por um trio de torcedor do clube. O fato culminou numa grande confusão e um torcedor ficou ferido.

O treinador, acompanhado do gestor de futebol Carlinhos Farias, deixou as dependências do estádio, comparecendo horas mais tarde à Delegacia de Flagrantes, onde, após ser acusado de lesão corporal pelo trio, também fez registro contra os torcedores.

Vejas as versões

Carlos Fernandes

Os torcedores Carlos Fernandes de Souza, 56 anos, Warlen Silva, 20 anos e Cássio Moraes Santos, de 17 anos, estiveram no último domingo (26) na Delegacia de Flagrantes. Lá o trio registrou queixa contra o treinador alvirrubro Cristian de Souza. No boletim, eles acusam o profissional de lesão corporal, agressão e tentativa de homicídio.

Na versão de Carlos Fernandes, pai de Warlen Silva e tio de Cássio, eles teriam ido à porta do vestiário do Rio Branco para reclamar do trabalho do treinador.

Fernandes disse ainda que o filho disse “Vai cair Cristhian”. Daí, o treinador teria jogado um copo que segurava na mão e partido pra cima deles. O resultado da confusão teria sido uma fratura de maxilar do filho Werlen e algumas escoriações e uma camisa rasgada de Fernandes.

Cristian de Souza

A respeito das acusações de agressões aos três torcedores, o técnico Cristian de Souza, após comparecer a Delegacia de Flagrantes para apresentar sua versão dos fatos, falou com a imprensa. O profissional, que estava no estacionamento do estádio na hora da confusão, explicou que agiu em sua defesa contra, segundo ele, três agressores.

Cristian disse ainda que quando a agressão é verbal tudo bem, mas quando ela é física não deixará sua cara a tapa, mas sim, sairá em defesa da sua vida.

O treinador ainda avaliou o episódio como natural no futebol brasileiro.