Crescimento nos postos de trabalho foi visto no Acre, mas em forma menos acentuada no comércio, diz consultor da Fecomércio/AC

Exceção para crescimento se dá no comércio; motivo seria o lockdown

Segundo dados divulgados pelo Cadastro de Empregados e Desempregados (Caged), o País registrou recuperação de empregos no mês de março, notadamente no setor de serviços, comércio e construção. Segundo o consultor da presidência do Sistema Fecomércio-Sesc-Senac/AC, Egídio Garó, no Acre, uma parcela deste crescimento também foi verificada, com exceção do comércio, que ainda sofre resquícios do lockdown exigido pela pandemia.

Ao longo do mês de março, foram admitidos 2395 profissionais contra 2.116 desligamentos, a maioria no setor de serviços e na construção. Março fechou com saldo positivo de novos postos ocupados com 269 trabalhadores, exceto o comércio que encerrou com redução de 36 postos.

Apesar de ter fechado o mês com saldo positivo, a posição não é muito confortável se forem observados os dados do mês anterior, fevereiro de 2021, quando o número em todo o Estado foi de 3084 admissões, 2116 desligamentos e um saldo de 975 novos postos ocupados.

“Dentre os municípios que apresentaram um saldo positivo na ocupação de postos de trabalho estão: Bujari, com 41 postos ocupados; Cruzeiro do Sul, com 18 postos; Feijó, com 39 postos, Plácido de Castro, com 71 postos, Rio Branco, com 28 postos, Sena Madureira com 33 postos e, por fim, Tarauacá, com a ocupação de 22 novos postos de trabalho”, explicou Garó, enfatizando a expectativa para os próximos períodos.

“Quando o nível de confiança do empresário for mais elevado, certamente investimentos serão direcionados à criação e ocupação de novos postos de trabalho por conta do controle vacinal em combate à pandemia, a minimização dos impactos do lockdown, a expectativa de novas políticas econômicas para o País e, por último e não menos importante, a inauguração da ponte sobre o Rio Madeira, no vizinho estado de Rondônia”, disse.