Covid- 19: nove pessoas seguem esperando vaga na UTI

O Acre registrou na segunda-feira, 5, 173 casos da Covid-19. Os dados são Secretaria de Saúde do Estado, por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS). Desse total, 142 casos confirmados por exames de RT-PCR e 31 por testes rápidos. Com a atualização dos dados, sobe para 71.330 de infectados pelo novo coronavírus.

Nos cinco primeiros dias de abril o Estado registrou 1.673 casos e 36 mortes pela doença. No domingo, 4, 95 casos foram confirmados, sendo todos casos confirmados por exames de RT-PCR.

No sábado, 3, foram registrados 211 casos. Na sexta-feira, 2, 863 casos de infecção foram confirmados, sendo 301 casos confirmados por exames de RT-PCR e 562 por testes rápidos.

Na quinta-feira, 1, foram registrados 331 casos, sendo 137 casos confirmados por exames de RT-PCR e 194 por testes rápidos.

Quanto as notificações da doença, até o momento foram registrados 187.694 casos da doença, porém, 115.746 foram descartados. Cerca de 618 exames de RT-PCR seguem aguardando análise.

Pelo menos 54.972 pessoas já receberam alta médica da doença, enquanto 317 pessoas seguem internadas.

Com relação aos óbitos, mais sete foram notificados no domingo, 4, sendo quatro do sexo masculino e três do sexo feminino. Com isso, sobe para 1.298 o número de mortos pela doença.

Ainda de acordo com o boletim da Sesacre, 317 pessoas estão internadas devido a doença, sendo 115 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 250 em enfermaria. Nove pessoas esperam vagas na UTI.

Média de casos no mês de março

Em março, o Acre registrou mais de doze mil novos casos do novo coronavírus, o que equivale a uma média 391 infecções diárias.  Quanto aos óbitos foram registrados no mês passado foram registrados 264 óbitos, média de 8,5 mortes por dia.

Foi também no mês de março que o governo realizou a primeira transferência de paciente para fora do Estado devido ao colapso nas unidades de saúde.

Vacinas recebidas pelo governo do Estado

O Estado já recebeu 163.540 doses de vacinas contra a Covid-19. O último lote com 22 mil doses chegou ao Acre na quinta-feira, 1. A distribuição aos municípios aconteceu ontem, 5, tendo em vista o início da próxima etapa de vacinação, segunda dose do público alvo, previsto para o dia 15 de abril.

A nova remessa inclui 20 mil doses da Coronavac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, e 2 mil doses da Oxford/Astrazeneca, produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Parte das vacinas será utilizada para dar continuidade ao esquema de vacinação de quem já recebeu a primeira dose do imunizante, ou seja, idosos e trabalhadores da saúde. Outra parte das vacinas serão destinadas aos profissionais das forças de segurança e salvamento que atuam no atendimento ou transporte de pacientes, resgate e atendimento pré-hospitalar.

A antecipação da vacinação da categoria ocorre depois do pedido do governador Gladson Cameli ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para incluir os profissionais que atuam diretamente nas ações de enfrentamento à pandemia como parte dos grupos prioritários no Plano Nacional de Imunização, o PNI, que regula a vacinação contra a Covid-19 em todo o país.

Butantan entrega mais vacinas ao PNI

O Instituto Butatan entregou na segunda-feira, 5, mais um milhão de doses da vacina contra o coronavírus ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). Com o lote desta manhã, o instituto forneceu um total de 37,2 milhões de doses da vacina CoronaVac, desenvolvida em parceria com o laboratório chinês Sinovac, para serem distribuídas em todo o país.

Até o fim deste mês, o Butantan deve finalizar o primeiro contrato firmado com o Ministério da Saúde para fornecimento de 46 milhões de doses do imunizante. Até o fim de agosto devem ser fornecidas mais 54 milhões de doses ao PNI, totalizando 100 milhões de doses de CoronaVac.

Usinas de oxigênio

O Governo do Estado ampliou ainda de seis para doze o número de usinas de oxigênio nas unidades de Saúde do Estado. De acordo com o governador Gladson Cameli, a medida ocorreu por tratar-se de serviço essencial não apenas no tratamento para a Covid-19, mas de forma geral.

“Sendo um serviço essencial para que tenhamos condições de atender nossa população, não medimos esforços para garantir a implantação das usinas de oxigênio, que são fundamentais para salvar vidas”. Nossos secretários estão empenhados nesse trabalho, para que possamos cada vez mais ampliar as condições de assistência com relação ao insumo”, frisou Cameli.

O secretário de Saúde, Alysson Bestene pontuou que “o Estado trabalha para ampliar ainda mais a capacidade de produção, em parceria com a Seinfra, e com o secretário Ítalo Medeiros, que tem sido um grande parceiro, para que possamos dar seguimentos às obras de construção e ampliação dos serviços de saúde em nossas unidades”.

Estado de Calamidade Pública

Está prorrogado até de 31 de dezembro o Estado de Calamidade Pública no Acre. O Decreto foi publicado no Diário Oficial de quinta-feira, 1, e assinado pelo presidente da Assembleia Legislativa, deputado Nicolau Junior. A medida foi tomada, a princípio, em março de 2020 em decorrência da pandemia do novo coronavírus. Com o agravamento nos casos da Covid-19 e o colapso nas Unidades de Saúde, o governador Gladson Cameli decidiu manter a medida.

A medida permite que a gestão pública estadual possa tomar medidas emergenciais para proteger a população acreana da Covid-19, além de criar condições necessárias de atendimento às pessoas que contraírem a doença.

A prorrogação do estado de calamidade destravas muitas burocracias, o que permite que o governo continue adotando medidas tanto na área da saúde pública quanto na economia de maneira mais rápida.