Bolsonaro fala em “liberdade total” de médicos e volta a defender tratamento precoce

Jair Bolsonaro voltou a promover a aplicação do suposto tratamento precoce contra Covid-19 em pacientes infectados pelo coronavírus.

Em discurso durante cerimônia de entrega de chaves de imóveis populares do programa Casa Verde e Amarela em São Sebastião, no Distrito Federal, nesta segunda-feira (5), sem citar nenhum medicamento específico e sem usar a expressão “tratamento precoce”, Bolsonaro defendeu que os médicos tenham “liberdade total para trabalhar com o paciente”.

“O Brasil precisa voltar a trabalhar. Estarei em Chapecó esta semana com o prefeito João Rodrigues, onde fez um trabalho excepcional no tocante a recursos dados pelo estado no atendimento, na ponta da linha, de quem precisava do tratamento. Uma obra fantástica. Um exemplo a ser seguido. Por isso estou indo para lá. Para não só ver, mas mostrar para todo o Brasil que o vírus é grave, mas seus efeitos têm como ser combatidos. E mais ainda, naquele município o médico tem liberdade total para trabalhar com o paciente. Total. E esse é um dever do médico. Uma obrigação e um direito dele. Por isso os índices foram lá para baixo”, falou.

Segundo dados da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), após março de 2020, nove mortes por efeitos adversos decorrentes do uso de medicamentos do chamado “kit Covid” como cloroquina e hidroxicloroquina, foram notificadas. O aumento nas notificações por efeitos adversos foi de 558%.