Acre Solidário distribui donativos para 300 famílias nos Rios Moa e Azul

OAcre Solidário, em parceria com Juruá Solidário, entregou nesta sexta-feira, 3, kits de alimentação, limpeza, além de roupa e calçados para 300 famílias dos rios Moa e Azul, no município de Mâncio Lima.

Uma precipitação recorde, de mais de 600 milímetros, no mês de janeiro, na região do Parque Nacional da Serra do Divisor, resultou na maior enchente já verificada no Rio Moa. Os ribeirinhos atingidos perderam grande parte de sua agricultura, criações de pequenos animais, além de bens domésticos.

De acordo com a coordenadora e primeira-dama, Marlúcia Cândida, o Acre Solidário, movimento que vem se destacando no atendimento às famílias vítimas de enchentes em vários municípios do Estado, resolveu priorizar, a pedido do governador Tião Viana, os ribeirinhos e por causa da gravidade da situação foi escolhido o município de Mâncio Lima.

Juntando forças com o movimento Juruá Solidário, liderado pela delegada Carla Britto, que já vem há mais de um mês trabalhando no atendimento aos desabrigados pela cheia do Rio Juruá, o Acre Solidário distribuiu as doações em diversas comunidades no Rio Azul desde a foz às Queimadas.

No Rio Moa a distribuição se deu em três pontos: no Novo Recreio, região dos índios Náuas, na aldeia Meia Dúzia, na Terra Indígena Nukini e na localidade de São Domingos, situada próxima ao posto avançado do Exército Brasileiro. Nestes três locais estiveram presentes os moradores de várias comunidades.

A ação contou com o apoio decisivo do 61º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS), com a presença do próprio comandante, tenente-coronel Fábio El-Amme e do Corpo de Bombeiros Militar de Cruzeiro do Sul, sob o comando do capitão Rômulo Barros.

A entrega foi iniciada bem cedo com a saída dos barcos do porto na Alameda das Águas, no Rio Japiim, em Mâncio Lima só foi terminar quase ao anoitecer. Isto graças à perícia dos pilotos fluviais do 61º BIS e seu conhecimento dos rios, aproveitando cada ‘furo’ nas voltas dos sinuosos Rios Moa e Japiim.

Vale destacar o trabalho intenso do corpo de bombeiros que realizou o cadastramento e mobilização dos ribeirinhos, nisto recebendo o apoio da Prefeitura Municipal que se fez representar na distribuição com a presença tanto do prefeito, Isaac Lima, quanto da vice-prefeita, Ângela Valente.

Roda de Mariri

Um dos pontos altos do dia foi a recepção feita à comitiva pelos índios Nukini, na aldeia Meia Dúzia, com uma roda de Mariri em que participaram não apenas os locais, mas vários visitantes.

O líder da aldeia, Vicente Costa da Silva Nukini, destacou as perdas na produção agrícola, nas criações, nas plantas medicinais e objetos de casa. Sintetizando o sentimento de todos que receberam a ajuda, disse que estava muito agradecido. “Agora é inverno. É difícil recuperar o que perdemos por isso a gente agradece a todos que olharam para nós”, disse.