960x100 basa novo

O ‘choro do surubim’ não desfaz estatísticas do IBGE

O ‘choro do surubim’ não desfaz estatísticas do IBGE

O crescimento do PIB do Acre em mais de 80% nos últimos 15 anos, como apontou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), deixou a bancada oposicionista na Assembléia Legislativa do Acre (Aleac) incomodada. Para o deputado da base, Lourival Marques (PT) não adianta choro porque o Acre tem superado uma das maiores crises econômicas, com investimentos direcionados para setor produtivo, e expansão da área industrial, ao mesmo tempo em que reduz o desmatamento ilegal, como aponta o Instituto Nacional de Pesquisa Espaciais (Inpe) – diminuição de 34% do desmate no estado.

“Ou vocês não conhecem o nosso estado, não visitam as comunidades ou tem memória curta. Não adianta ‘o choro do surubim’ os dados apresentados são relevantes e comprovam o crescimento da economia”, ironizou. Lourival Marques fez várias comparações, entre elas o fato de que em 1999 a lata da castanha do Brasil era vendida pelos extrativistas por R$ 2 quando hoje é comercializada a R$ 100, assim como o frango que era consumido no Acre vinha de Rondônia quando hoje 60% do produto tem origem da empresa Acreaves localizada na região do Alto Acre.

“Os produtores não tinha acesso a crédito e muito menos conheciam a mecanização. Trabalhavam na enxada produzindo no máximo o necessário para consumo. Vamos continuar discutindo com as comunidades para definir prioridades de investimentos. E Marcus Alexandre será nosso governador e continuará investindo na produção agrícola”, garantiu o deputado, acrescentando que é importante destacar que a política governamental também tem reduzido continuamente o desmatamento e retirado a população da situação de extrema pobreza.

Segundo Lourival Marques somente em 2017, o Estado aportou mais R$ 100 milhões na agricultura familiar, atendendo 15 mil famílias agrícolas diretamente. Até o fim de 2018, o governo vai destinar R$ 137 milhões no fomento às cadeias produtivas, assistência técnica, ações de mecanização e outros benefícios.

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo