960x100 basa novo

Comissão de Direitos Humanos da Aleac discute Igualdade Racial

Comissão de Direitos Humanos  da Aleac discute Igualdade Racial

A Comissão de Direitos Humanos e Cidadania da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) promoveu uma audiência pública nesta segunda-feira (10) solicitada pela Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh). A ideia é debater e tornar conhecido o Plano Estadual de Promoção da Igualdade Racial (Planepir), apresentado pelo governo do Acre em fevereiro deste ano.

A presidente da Comissão de Direitos Humanos da Aleac, deputada Eliane Sinhasique (PMDB), disse que a Comissão fará o possível para que o Plano seja implementado no Acre de fato e de direito.

 “A gente precisa saber exatamente o que contém o Plano da Igualdade Social para dentro desse conhecimento poder auxiliá-lo. Nós vamos nos esforçar para garantir que as ações sejam implementadas de fato e de direito. Sabemos que as ideias são muito boas no papel, mas, às vezes, elas demoram muito para serem de fato executadas. Nós faremos de tudo para que o plano seja aplicado à nossa realidade, essas ideias não podem de maneira nenhuma ficar apenas no discurso”, enfatiza Sinhasique.

O secretário de Justiça e Direitos Humanos, Nilson Mourão, explica que o Plano foi construído após um levantamento das reais necessidades em todos os municípios acreanos.

“Trata-se da busca de resgatar a dignidade desses setores e combater o racismo, que se manifesta na discriminação contra os índios e negros. E, com isso, fazer com as pessoas tenham novos valores, para que possamos construir uma sociedade mais igualitária e solidária”, acrescenta o gestor.

Almerinda Cunha, chefe do Departamento de Promoção da Igualdade Racial da Sejudh, parabenizou o governador Tião Viana (PT) pela sensibilidade em decretar a criação do Plano. Ela lembrou ainda que o objetivo da audiência é apresentar ao Parlamento acreano esse novo instrumento legal para a promoção da igualdade racial no Acre. (Agência Aleac)

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo