960x100 basa novo

Feira do Mel em Brasileia mostra investimentos do governo

Feira do Mel em Brasileia mostra investimentos do governo

O governo do Estado realizou durante toda esta sexta-feira, 24, a primeira Feira do Mel de Brasileia. No mercado municipal da cidade, diversos produtores de mel da Reserva Extrativista Chico Mendes se reuniram para expor seus produtos, fechar negócios e realizar parcerias.

O evento foi considerado um marco, por mostrar parte dos resultados dos investimentos do governo na cadeia do mel, que já distribuiu mais de oito mil caixas de abelhas sem ferrão, atendendo mais de 800 pessoas em todo o Acre.

Para o governador Tião Viana, que esteve na feira, ver tantos produtores unidos e fortalecidos numa nova renda é motivo de orgulho para o estado. “Essa Feira do Mel é uma homenagem ao Alto Acre, porque Brasileia é a região com maior produção de mel do estado hoje. Um litro de mel pode chegar a R$ 100 e são as abelhas que fazem esse trabalho, nós apenas colhemos esse produto de extremo valor e saúde.”

Segundo o secretário Assistência Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), Neto Thaumaturgo, o governo se prepara para realizar um novo investimento de R$ 1,3 milhão para a confecção de mais 15 mil caixas de abelha, beneficiando mais 1.400 pessoas em todo o Acre.

Hoje o estado produz 20 toneladas de mel por ano e a expectativa é que este número salte para 25 toneladas já no ano que vem.

Produtores comemoram

Morador da Reserva Chico Mendes, José Lima da Silva explica que onde mora se produz de tudo um pouco. Conhecendo a cadeia do mel através do governo, ele exibiu com orgulho sua grande produção, vendendo quase tudo que expôs e tendo uma nova renda familiar.

“Isso tudo é novo. É o meu primeiro mel, a primeira feira que eu participo e ta dando muito certo. Tirei quase 60 caixas lá em casa. É muito mel. Valeu a pena esse investimento e não vou parar tão cedo. Daqui um mês quero estar com 100 caixas, porque quero multiplicar esse resultado”, conta o produtor.

Já Mario Sérgio Pereira começou a criar abelhas aos 12 anos, por influência do pai. Bastante dedicado, ele defende a criação dos insetos e hoje divide seus conhecimentos com aqueles que estão entrado na cadeia agora.

“Eu tanto crio como dou instruções de criação. Já fui a São Paulo para estudar os cuidados. É um investimento que dá retorno: tiro 18 litros por caixa, e não dá para quem quer. Temos todo o apoio do governo, levamos o mel na Funtac, eles examinam direitinho e eu só quero continuar.”

Parcerias importantes

A Feira do Mel contou com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Prefeitura de Brasileia.

O evento teve ainda venda de hortaliças, exposição de artesanato e plantas ornamentais, praça de alimentação e tratamentos médicos alternativos a base de picada de abelhas. (Samuel Bryan/Secom)

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo