960x100 basa novo

Auditores Fiscais do Trabalho realizam paralisação em Rio Branco contra medidas

Auditores Fiscais do Trabalho realizam paralisação em Rio Branco contra medidas

Os auditores fiscais do Trabalho realizaram na tarde desta quarta-feira, 25, em frente a Sede da Superintendência uma paralisação Nacional em protesto as mudanças feitas pelo Ministério do Trabalho referentes ao trabalho escravo no Brasil.

A ação  é comandada pelo Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais do Trabalho (Sinait) e aconteceu simultaneamente em todos os Estados brasileiros.

De acordo com o Sindicato “A portaria 1.129/17 altera o conceito de Trabalho escravo disciplinado pelo código penal, e por convenções da OIT para favorecer os infratores e enfraquecer a inspeção do Trabalho”.

Para o auditor fiscal do trabalho Valdemar Neto a portaria do Ministro do Trabalho é devastadora, e um retrocesso para a história do Brasil.

“Essa portaria reduziu a condição de trabalho análogo ao de escravo, uma portaria devastadora que veio colocar o trabalhador que é encontrado em condições escravagistas em condições da lei áurea, retrocedeu a 1888. Podemos dizer que essa portaria acabou com o trabalho escravo” explica Neto.

Neto diz que as paralisações devem continuar até que a portaria seja totalmente revogada. “Como podemos admitir que uma pessoa que trabalhe 20 horas por dia, por semanas ou meses, não seja equiparadas ao trabalho escravo? Por isso vamos fazer uma paralização nacional hoje até que o no Ministério do Trabalho revogue de vez essa portaria enfatiza.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo