960x100 basa novo

Instituto Acreano de Imagens une amor pela fotografia e contato com a natureza

Instituto Acreano de Imagens une amor pela fotografia e contato com a natureza

O Instituto Acreano de Imagens (IAI) realizou no ultimo domingo, 24, mais um City tour pelas as rotas do rio Acre. O objetivo é além realizar uma saída fotográfica orientada, é promover momentos de interação entre os amantes da fotografia com a natureza, explorando as belezas naturais do Estado Acre e mostrando o potencial turístico das terras acreanas. 

A atividade é desenvolvida através da Escola de Arte na Floresta que fica localizado no seringal catuaba. O local possui trilhas rústicas. Apesar da chuva que caiu na capital acreana, os aventureiros não desistiram, os participantes saíram às 7 horas da manhã do porto do bairro Cadeia Velha e seguiram até o seringal catuaba navegando pelas águas do rio Acre.

Para o idealizador do projeto o fotógrafo Marcos Vicentti a ideia é fazer com que as pessoas conheçam a floresta através das praticas fotográficas. “A idéia é fazer com que a turma conheça a floresta e pratique a fotografia, todos os participantes são pessoas que gostam de fotografia. Nós realizamos um turismo diferenciado, é um turismo de observação, de contemplação” explica Vicentti.

A atividade incluiu caminhada de duas horas em meio à floresta, em trilhas de difícil a acesso. 16 pessoas participaram da ação. Segundo Vicentti além de receberem dicas de fotografias, os participantes também conhecem o modo de vida dos povos da floresta por meio de suas historias.
1 WhatsApp Image 2017 09 25 at 18.35
“A intenção é realizar uma saída fotográfica orientada, conhecendo a floresta da melhor forma, de dentro, fizemos uma trilha que é difícil acesso. Lá nos contamos historias, conhecemos um pouco da historias de alguns moradores, as plantas medicinais, saímos um pouco do automático que é a cidade” explica.

Os integrantes trabalham também a interação e solidariedade entre pessoas entre pessoas que não conhecem. “O interessante é que são pessoas que não se conheciam, foram se conhecendo ao longo da trilha, e assim temos muita troca de idéias, onde um ajuda o outro nos pontos mais difíceis da travessia de igarapés, é muito bacana esse compartilhar de historias” conta.

Outro local visitado pelos por eles, foi à cidade cenográfica onde foi gravada a minissérie Amazônia no Sitio histórico Quixadá. Para o fotógrafo Luiz Moura que é natural do Rio de Janeiro, e está morando no Acre há um mês e meio, a experiência de participar da saída fotográfica foi importante para ele conhecer mais da historia do estado.

“O passeio foi o máximo, uma oportunidade única, onde pude conhecer um pouco da natureza do Acre, tive o prazer de navegar pelo rio acre, foi muito legal conhecer o seringal Quixadá. O tempo chuvoso não atrapalhou o passeio, correu tudo bem, a trilha que fizemos proporcionou um contato direto com a natureza” comenta Moura.

Natureza e fotografia

O instituto Acreano de imagens tem seis anos de fundação, e já realizou diversas atividades destinadas a oferecer conhecimento na área de fotografia, explorando as belezas naturais que existem no estado Acre, desenvolvendo o turismo de observação e valorizando a historia de cada de local.

“A intenção é fazer com que as pessoas parem mais, contemplem mais, que conheça mais o nosso lugar, que a gente faça o exercício exercite do olhar, do dia a dia, não apenas na cidade como na floresta também” enfatiza.

Esta é 4ª edição do City Tour sobre o Rio Acre, uma nova atividade esta agendada para o dia 7 de outubro. Outro local que o instituto costuma explorar é a Serra Divisor para o próximo ano uma nova turma deve visitar a região em janeiro.

“Temos também outros projetos grandes como a expedição da Serra do Divisor, que já fizemos e para o ano de 2018 vamos novamente, com o mesmo turismo de observação, turismo comunitário. são atividades orientadas, onde a gente trabalha as uso das maquinas, com apoio dos nossos colaboradores” diz.

Outro ponto que o instituto trabalha é a conscientização e preservação das áreas que costumam visitar. Vicenti conta que em uma das atividades, eles realizaram a limpeza do local. “Esse ano fizemos uma saída para Apa do Amapá, onde nós realizamos a limpeza das trilhas, o instituto sempre teve essa preocupação à preservação das áreas em que visitamos” garante.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo