960x100 basa novo

Motofretistas são recebidos na Câmara após fecharem rua que dá acesso ao prédio

Motofretistas são recebidos na Câmara após fecharem rua que dá acesso ao prédio

Um grupo de motofretistas fechou, na manhã desta quinta-feira, 24, a Rua 24 de Janeiro, e bloqueou o acesso a Câmara de Vereadores. Segundo a categoria eles são penalizados por não poderem efetuar o transporte de passageiros.

André Araújo, vice-presidente do sindicato dos motofretistas, diz que o desejo dos trabalhadores é a revogação de uma lei municipal para que assim como os mototaxistas, eles também possam carregar, além de cargas, pessoas.

“Não é diferente das outras vezes. Fizemos esse protesto reivindicando um direito de trabalhar como todo pai de família tem direito de trabalhar nós também temos”, afirma André.

Com o impasse que se arrasta há alguns meses, a categoria fez o protesto após a Prefeitura de Rio Branco abrir processo licitatório para mais 60 novas permissões de mototáxis para a capital.

“Somos 35 motofretistas. Foram licitadas 60 permissões sendo que o nosso problema não foi resolvido. Então a nossa questão aqui, hoje, é essa para que nosso problema seja resolvido e possamos ir para a rua e fazer nosso trabalho dignamente”, pontua Araújo.

Os manifestantes liberaram a passagem, quando foram recebidos pelo presidente da Câmara. Uma comissão foi formada para pedir a intervenção política. Segundo informou o vice-presidente do sindicato, uma reunião foi marcada para a próxima semana, na qual deve ser discutida, entre os órgãos competentes, as exigências da categoria.
“Entramos em acordo e a câmara vai convocar o sindicato dos mototáxis e a RBtrans para ver se é possível chegar a um acordo para enquadrar a gente no mesmo serviço do mototáxi que pode fazer as duas coisas”, explica.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo