960x100 basa novo

Em caminhada fotográfica no Lago do Amapá, ativista faz soltura de jiboia

Em caminhada fotográfica no Lago do Amapá, ativista faz soltura de jiboia

Estudioso da cultura e dos mistérios da Floresta Amazônica, o artista plástico Gesileu Salvatore é também um ativista dos direitos dos animais selvagens. E muita gente ficou sabendo disso e o avisa quando algum bicho está sofrendo maus-tratos -a exemplo do que aconteceu recentemente quando uma cobra jiboia servia de judas para uma multidão nas ruas do bairro Calafate. Uma amiga conseguiu livrar a serpente das garras da turba ensandecida e imediatamente fez contato com Gesileu que coincidentemente estava com uma caminhada programada para o fim de semana pelo Lago do Amapá, uma das mais belas áreas de proteção ambiental do município. 

A caminhada, um evento organizado pelo Instituto Acreano de Imagens (IAI), facilitou a reintrodução da jiboia –carinhosamente chamada de ´Xibú´, que ele traduz para ´encantado´. “Fiz uma cerimônia, um pedido para que a floresta aceite o ´irmão´ que está voltando para sua casa”, disse Gesileu. A jibóia saiu da caixa e despareceu na mata, de onde jamais deveria ter saído. Com essa foi a quinta cobra que Gesileu reintroduz na Natureza.

Como artista, Gesileu Salvatore vê na floresta uma fonte infindável de recursos. Troncos, cipós, sementes, musgos, cascas de insetos e até vértebras de cobra são alguns dos materiais que esse artista acreano vai coletando na mata, onde costuma passar semanas, como uma espécie de caçador de tesouros. Atualmente, além da arte, ele conduz cerimônias de aplicação do rapé indígena acreano mundo afora. Em alguns dias, Gesileu visitará amigos que moram na Europa, onde vai repetir a aplicação do produto em interessados.

Jiboia é uma serpente de médio ou grande porte, com nome científico de Boa constrictor, pode chegar aos 4 metros de comprimento e costuma habitar as árvores de florestas úmidas, cerrados e campos da América do Sul e Central. “O IAI apoia todas as iniciativas que tragam bem para o ser humano, os animais, a floresta... Gesileu é um grande artista, um acreano que conhece como poucos os mistérios da Amazônia e só busca fazer o bem às pessoas e aos animais”, disse Marcus Vicentti, presidente do IAI. A caminhada pela APA Lago do Amapá reuniu um grande grupo de participantes.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo