960x100 basa novo

Sindicalistas do Acre fazem ato e pedem ao governo segurança em locais de trabalho

Sindicalistas do Acre fazem ato e pedem ao governo segurança em locais de trabalho

Sindicalistas de cinco frentes realizaram ato, na manhã desta quarta-feira, 9, em frente ao Terminal Urbano de Rio Branco. Reunidos, eles pediram por mais segurança nas unidades de saúde que vêm sendo alvo de ataques nos últimos meses. Um vigilante foi morto em uma das investidas.

Durante a reunião, o grupo discutiu as pautas que serão encaminhadas para a Secretaria de Segurança e Secretaria de Saúde para pedir a intervenção do estado.

“Nos últimos dois meses foram três atentados com um homicídio e o trabalhador está amedrontado de ficar nas unidades de saúde hospitalar. É um ofício da profissão, é, mas estamos reivindicando que tenha uma fiscalização dentro das unidades, no acesso dos pacientes e dos acompanhantes. Essa é nossa reivindicação”, explica Nonato Santos, presidente do sindicato dos vigilantes.

De acordo com Santos, os ataques aos vigilantes seriam no intuito de armazenar armamento. “Essa onda de violência que o país está enfrentando, os atendados que ocorreram contra os vigilantes foram em busca de armamento, nada mais que isso.”

Para o médico Ribamar Costa, presidente do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC), a violência dentro das unidades preocupa o Sindicato da Saúde, dos médicos e todos os outros. Ele fala ainda que a situação causa indignação a qualquer cidadão que contribui com seus impostos para ter segurança nas unidades e exercer um bom trabalho.

“Estamos, hoje, sitiados. A gente trabalha numa situação de temor e medo. Os colegas estão em seus postos de trabalho muito apreensivos porque a qualquer hora alguém pode invadir uma unidade dessas e exterminar alguém”, lamenta.

Rosana Nascimento, presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) disse que os sindicalistas devem manter-se unidos para que a luta por causas em comum sejam vitoriosas.

“Todos nós estamos a mercê da violência, da insegurança. É momento, inclusive, de toda a população se manifestar em ralação a essa violência enorme, com facções tomando conta do estado. É necessário que o governador, o prefeito, a Aleac, Câmara, secretaria de segurança tomem providencias e criem estratégias para garantir a segurança da população e principalmente nos locais de trabalho, onde estão sendo muito visados.

Os sindicatos já haviam realizado ato em frente ao Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), no último dia 3 de agosto, no qual também e pediram por mais segurança nas unidades de saúde, levando em consideração número de assassinatos ocorridos nos últimos meses.

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo