960x100 basa novo

Encontro Internacional Brasil-Peru é bem avaliado

Presidente da Fieac, José Adriano  (ao centro) ao lado do prefeito de Assis Brasil, Zum, e do secretário Sibá Machado Presidente da Fieac, José Adriano (ao centro) ao lado do prefeito de Assis Brasil, Zum, e do secretário Sibá Machado

Apesar de detectarem uma série de entraves que dificultam as relações comerciais entre Brasil e Peru, a comitiva formada por empresários e autoridades do Acre e do país vizinho fizeram uma avaliação positiva do Encontro Internacional sobre Comércio Exterior Brasil-Peru, realizada na última semana, em Assis Brasil.

O presidente da Fieac, José Adriano Ribeiro, exaltou a importância do evento. “Precisávamos vir em Assis Brasil, observar as estruturas desta cidade, assim como de Brasileia, Epitaciolândia e Iñapari, para identificar o que pode ser solucionado imediatamente, como também os grandes problemas do ponto de vista burocrático, político e relacionamento internacional. É apenas o primeiro passo que estamos dando para de fato pensar em consolidar essa relação comercial”, salientou.

José Adriano explicou que ocorrerão outras agendas com os órgãos parceiros e adiantou que o próximo encontro será com a Agência Nacional de Transportes Terrestres ANTT), nesta sexta-feira, 9, na sede da Fieac. “Também temos um segundo encontro já agendado com todas as instituições parceiras desse evento para que possamos mostrar todo o apanhado e fazermos uma ampla discussão, ponto a ponto, no sentido de procurarmos soluções ou saber a quem recorrer para resolver todas essas demandas”, complementou o presidente da Fieac, que apontou a ineficiente comunicação como um dos obstáculos prioritários a serem superados pelo lado brasileiro da fronteira.

Já o prefeito de Iñapari, Alfonso Cardoso, o “Zizinho”, enalteceu a presença de empresários e autoridades políticas no encontro realizado em Assis Brasil. “Creio que estamos avançando. É muito importante termos aqui representantes do Congresso Nacional do Brasil. Isso é bom porque a legislação aplicada na alfândega do lado brasileiro pode ser simplificada. É preciso que existam leis de acordo com a realidade de cada região e de cada povo. Da mesma forma, a presença do cônsul peruano, que tem contato direto com o embaixador, pode refletir também na melhoria das leis no nosso país para que possamos avançar nessa região de fronteira”, assinalou.

O senador Sérgio Petecão parabenizou a Fieac pela iniciativa de mobilizar tantos órgãos, segmentos e autoridades para irem até Assis Brasil para participar do evento. O parlamentar sugeriu a realização de um próximo encontro, desta vez em Porto Maldonado, no Peru.

“Farei o que estiver ao meu alcance para dar celeridade a essas demandas. Vou falar com o ministro das Relações Exteriores e também buscarei contato com o embaixador peruano, com apoio do cônsul Félix Vasquez, para que possamos quebrar essa burocracia que existe. E já podemos pensar em nos reunir em Porto Maldonado, para envolvermos ainda mais os empresários peruanos”, frisou o senador.

Na visão do prefeito de Assis Brasil, Antônio Barbosa de Sousa, o “Zum”, muitos problemas poderão ser sanados após o grande encontro. “Estamos na beira da rodovia do Oceano Pacífico, a pouco mais de mil quilômetros do primeiro posto peruano. Temos um mercado aqui de 150 milhões de consumidores, incluindo Peru, Bolívia, Equador, Colômbia, Venezuela e Chile, e não nos atentamos para isso. Queria deixar aqui como prefeito esse desabafo do que precisa ser feito. E aproveito para agradecer a todas as instituições, a determinação da Fieac, e que possamos realmente sair daqui com o objetivo de resolver os problemas”, concluiu Zum.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo