960x100 basa novo

Procurador-geral e diretor de TI são recebidos no MPSP

Procurador-geral e diretor  de TI são recebidos no MPSP

O procurador-geral de Justiça Oswaldo D’Albuquerque Lima Neto, acompanhado do diretor de TI do Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), Roberto Romanholo, realizou uma visita técnica ao Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP), na quarta-feira, 17.

O procurador-geral do MPSP, Gianpaolo Poggio Smanio, que estava numa sessão do Órgão Especial do Colégio de Procuradores de Justiça, designou o promotor e secretário administrativo da Procuradoria Geral de Justiça, Fernando Pastorelo Kfouri, para recepcioná-los.

O objetivo da visita foi conhecer as medidas adotadas pelo MPSP após os ataques cibernéticos em massa registrados na sexta-feira, 12, que no Brasil, afetaram principalmente os Tribunais de Justiça e unidades do Ministério Público.

Em São Paulo, servidores e computadores do Ministério Público foram desligados de forma preventiva no dia do ocorrido. No MPAC foram registradas mais de um milhão de tentativas de invasão ao seu sistema de TI.

“Estive em reunião no MP de São Paulo e vamos repensar muito a nossa TI. Estamos estudando a possibilidade de adotar sistemas de dados na nuvem, o que vai tornar mais seguros o armazenamento e fluxo de informações”, destacou o procurador-geral.

Segundo o diretor de TI do MPAC, atualmente a MP acreano utiliza um software que, até então, era capaz de atender às demandas da instituição, porém após os ataques cibernéticos, é necessário adotar outras medidas.

“Em conversa com outros MPs, verificamos a necessidade de adotar outros procedimentos para este tipo de enfrentamento. No Ministério Público do Estado do Acre não utilizamos hardwares de enfrentamento do problema”, destaca.

Como resultado da visita, será possível definir uma Política de Segurança da Informação a ser adotada pelo MPAC, em conformidade com o Plano Nacional de Política de Segurança da Informação.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo