960x100 basa novo

Estudante de 17 anos é aprovado na prova objetiva da PM

Jonas Daniel foi aprovado em 3º lugar. Na foto com a instrutora Silvana Dantas Jonas Daniel foi aprovado em 3º lugar. Na foto com a instrutora Silvana Dantas

Com uma rotina de estudos de 8 horas diárias. Desta forma o estudante de Química da Universidade Federal do Acre (Ufac), Jonas Daniel Silva, 17 anos, foi aprovado com 93,5 pontos na primeira fase do concurso da Polícia Militar do Acre (PMAC).

Foram aproximadamente oito meses de estudos que garantiram a Jonas a classificação dentro das vagas. Os erros: apenas cinco questões. Agora, o estudante que completa a maior idade em outubro vai para a prova de aptidão física (Taf), segundo convocação da banca organizadora do concurso, Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (IBADE).

Mesmo com a pouca idade, o estudante diz que sempre sonhou em seguir a carreira policial. “Com a correção preliminar, já sabia que teria uma boa pontuação, mas não fazia idéia de que ficaria tão bem colocado. Fiquei extasiado porque sempre quis carreira policial. Desde pequeno meu pai já me chamava de sargento”, conta.

Os sonhos de Jonas que pode ser o mais jovem a ter alcançado a aprovação neste certame estão bem definidos. Natural do Pará, ele e a família mudaram para o Acre na perspectiva de uma vida melhor. E parece que os objetivos serão alcançados.

“Quero ser do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), e quando terminar a faculdade, quero ser Policial Federal”, revela ao lembrar que passou os finais de semanas, dos últimos meses, acompanhado os amigos se divertirem em fotografias postadas em redes sociais. “Esse foi o primeiro concurso da minha vida e vejo nele a realização de um sonho. Sei que tudo vai valer à pena.”

Conquista inspiradora

Instrutora, há dez anos, da Academia de Polícia do Acre, Silvana Dantas diz que a idade não será problema para que o jovem Jonas faça o curso de formação.

De acordo com o estatuto da Polícia Militar, o aluno soldado deve ter a idade de 18 anos ao efetuar a matrícula no curso de formação. “Mas nós temos alunos que já entraram com 17 anos. A possibilidade jurídica nesse caso é de emancipação e ele vai ter o seu direito adquirido, sim. Ele teve competência para passar no concurso público e logo mais já faz 18, então não tem nenhum problema e ele vai cursar academia de polícia”, afirma Silvana que além de ser professora no pré-concurso, também será professora durante a formação de Jonas na academia de polícia.

Além disso, Silvana diz que o importante é sonhar e abraçar os sonhos como muito foco e fé para realizá-los. “A conquista do Jonas é inspiradora para os nossos jovens.
Porque é possível um adolescente de família humilde, que sempre estudou em colégio público atingir um alto nível de rendimento nos estudos, independente de qualquer barreira social, econômica e de distância da família.”

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo