960x100 nova basa

Governo dar início ao Projeto Bombeiro Mirim, em Xapuri

Governo dar início ao Projeto Bombeiro Mirim, em Xapuri

O governo do Acre, por meio do Corpo de Bombeiros Militar, realizou a aula inaugural do projeto Bombeiro Mirim, em Xapuri. A solenidade foi realizada na manhã desta quinta-feira, 11, no auditório do Instituto Federal do Acre (IFAC) e contou com representantes da cúpula da segurança e do prefeito da cidade.

Cerca de 140 adolescentes com idade entre 12 e 14 anos e que estão matriculados em escolas públicas, se escreveram e passaram a ser aptos a participar do projeto. Com duração estimada de dez meses, o curso funciona no contraturno da escola – por exemplo, quem estuda pela manhã serve ao Bombeiro Mirim à tarde e vice-versa.

“Nesse período, os bombeiros mirins recebem uniformes, aprendem sobre respeito, conduta, companheirismo, ordem, natação, primeiros socorros, salvamento em altura, educação de trânsito e outras atividades, tudo em ações e linguagem específicas para a juventude”, explicou o comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Acre, Roney Cunha.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, não á uma tarefa fácil conduzir mais de 100 garotos auxiliando na educação e formação de caráter.

“Esses meninos e meninas precisam ser tratados com todo cuidado e zelo, pois eles são o futuro da nossa cidade, e isso que estamos fazendo é segurança, mas de forma preventiva com esses jovens”.

Educar para mudar

Segundo o prefeito da cidade de Xapuri, Francisco Ubiracy, em um futuro próximo essas crianças serão as pessoas que irão auxiliar prestando serviços à sociedade.

“Vejo futuros médicos, advogados e professores entre outras profissões que serão ocupadas por esses jovens, esse trabalho de educar, orientar é de fundamental importância na vida dessas crianças. Agradeço ao governador por ter esse olhar diferenciado e investir nesses projetos de formação do cidadão”, declarou o prefeito.

Dona Maria da Conceição, mãe de um aluno que ingressa no projeto, explica a felicidade em ver seu filho participar do projeto. “Esse momento é de muita felicidade em vê-lo empolgado com essa atividade. Ele não queria saber de nada, só de brincadeira, então resolvi escrevê-lo. Antes mesmo de iniciarem as aulas meu filho passou a se empolgar com o que ele irá aprender nesse período”, descreve a mãe.

A estudante Rosangela Soares, de 13 anos, que começou no projeto em 2016, fala de sua expectativa para este ano. “Aprendi várias atividades que influenciaram no meu dia a dia. Hoje sou uma garota mais paciente e espero levar esse conhecimento aos meus colegas que estão começando a partir de agora no projeto”, comenta.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo