960x100 basa novo

Alunos do Senac vivenciam logística da Peixes da Amazônia

Estudantes conheceram os serviços alfandegários prestados na fronteira Brasil/Peru, além das instalações da empresa Estudantes conheceram os serviços alfandegários prestados na fronteira Brasil/Peru, além das instalações da empresa

Para possibilitar aos alunos do curso Técnico em Logística a vivência da teoria discutida em ambiente educacional da sala de aula, com a prática profissional, o Senac, em parceria com o Instituto Federal do Acre (IFAC), realizou um projeto de visita técnica na indústria acreana Peixes da Amazônia e no Ponto de Fronteira Alfandegado na divisa Brasil-Peru.

No primeiro dia do projeto, os alunos visitaram o Complexo de Piscicultura Peixes da Amazônia S/A, localizada na zona rural do município de Senador Guiomard, às margens da BR-364, composto por três indústrias: Frigorífico de Processamento de Peixes, Fábrica de Ração e Centro de Produção de Alevinos. Acompanharam na prática como funciona o planejamento, organização e logística de transporte e desembaraço peixe produzido no estado para exportação utilizando a estrada do Pacífico como rota de negócios.

“Nossa noção quando iniciamos o curso técnico é que Logística aborda somente a área de transporte, mas não é apenas isso. Na verdade, são vários os procedimentos envolvidos. Esta atividade prática é muito importante, pois complementa os conhecimentos da sala de aula”, afirma o aluno Luciano Fanele.

No segundo dia, os alunos conheceram acompanharam a saída e o trajeto do caminhão com a carga da empresa Peixes da Amazônia, até o Ponto de Fronteira Alfandegado em Assis Brasil, a 342 km de Rio Branco, na fronteira do Brasil com o Peru, para conhecerem a sistemática de funcionamento da inspetoria da Secretaria da Receita Federal do Brasil que desenvolve ações de controle aduaneiro e fiscalização.

“Foi uma missão técnica, onde eles [os alunos] puderam ter uma visão mais ampla do que é a operação logística com foco no comércio exterior, além do que eles aprendem sobre controle de estoque, armazenamento, rotinas e transporte, numa uma experiência importante”, concluiu o orientador educacional, Rafael Pimpão.

A finalização do projeto ocorreu com a visita técnica à SUNAT (aduana peruana), na cidade de Iñapari, para acompanhar o processo de entrada e saída de mercadoria no país vizinho.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo