960x100 basa novo

Merecia ganhar uma estátua

Merecia ganhar uma estátua

O deputado Gehlen Diniz (PP) deveria ganhar dos ex-governadores que estão recebendo uma pensão mensal do governo do Estado, uma estátua, por brecar a ação no STF que poderia pôr um fim a todos os pagamentos. A PEC do parlamentar só atinge quem vier a ser governador. Como a Ação de Inconstitucionalidade da OAB-AC que tramitava no STF se baseava nos artigos da Constituição Estadual, extintos pela PEC do Gehlen (foto), perdeu o argumento jurídico e teve que ser declarada extinta. E com isso todos os ex-governadores escaparam de ter o benefício cassado pelo STF. Tudo graças ao parlamentar do PP, que atirou numa anta e matou uma cotia. Era um filme do qual já se esperava este resultado no Supremo Tribunal Federal.

Uma análise fria

Não tenho amizade com a prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino, mas a estão crucificando por emoção, por ela ter devolvido recursos defasados que, seriam usados para construir uma unidade de saúde. Toda obra com recurso federal exige uma contrapartida financeira, no caso da prefeitura, não tinha. E nem para desapropriação. Tampouco para manter em funcionamento. A devolução, neste caso, não foi uma incúria, mas um ato dentro da realidade.

E todos louvaram ao Senhor

Depois da explicação ontem do deputado Gehlen Diniz (PP) de que foi induzido ao erro pelos sindicalistas na questão da emenda que subiu os plantões dos enfermeiros para 600 reais, o deputado Daniel Zen (PT), que o tinha fustigado por uma suposta má-fé, lhe pediu desculpas.

Assim deve ser o Parlamento

O Parlamento tem que ser centro das mais duras discussões políticas. Mas também do apaziguamento quando uma situação exige. Positiva, pois, a ação do deputado Zen (PT).

Alhos e bugalhos

A deputada Eliane Sinhasique (PMDB) diz que o ministro do STF, Luiz Barroso, defende a legalização da maconha por ser petista de coração, ter sido colocado no cargo pela Dilma e apóia outras bandeiras do PT, como o aborto. Está mais para teoria da conspiração, Eliane!

Falando friamente

O deputado Jonas Lima (PT), não vê como o partido eleger cinco deputados estaduais na eleição do próximo ano, pelo desgaste político da sigla. Aposta no máximo em quatro.

Bisturi afiado

Prestem atenção num candidato a deputado: vereador Jackson Ramos (PT). Tem um corpo grande de médicos trabalhando pela sua candidatura. E ainda é da simpatia do Tião Viana.

Fugindo do desgaste

Tião Silva, funcionário de carreira, está cotado para ser o Superintendente do INCRA. Teria o aval do deputado federal Flaviano Melo (PMDB), que assim deixa de correr o risco de indicar um militante peemedebista para montar um curral no órgão. Tião tem o apoio dos servidores.

Coisa pequena

Uma das pressões sofridas pelo ex-presidente do INCRA, Eduardo Ribeiro, para fazer politicagem no órgão aconteceu em Brasiléia. Queriam que retirasse a patrulha mecanizada que atenderia os ramais do município, por a prefeitura estar sob o comando do PT.

Um questionamento

Na sua entrevista ontem ao “Bar do Vaz”, no AC24Horas, o ex-deputado Luiz Calixto, fez um questionamento polêmico, sobre o fato dos peemedebistas venderem a imagem do PMDB ser o maior partido do Acre. “Que partido grande é este, que elegeu só um vereador na Capital”?

Leque grande

O deputado Ney Amorim (PT), segundo quem o acompanha de perto nas suas andanças políticas, me disse ontem que, 40% dos vereadores do interior de partidos de oposição já teriam garantido que trabalharão o seu nome para ser o segundo voto. Não duvido nada.

Nova tecnologia

O Deracre adota um procedimento surreal na rodovia para Plácido de Castro: tapar os buracos com barro. Depois de uma chuva o barro vai embora e o buraco permanece aberto. Quem fez a inusitada descoberta foi o deputado Jairo Carvalho (PSD), revelada ontem na ALEAC.

Uma previsão

Um colega de imprensa que conhece a fundo a administração do prefeito de Senador Guiomard, André Maia, previa ontem que, ele trabalhará os nomes do senador Jorge Viana (PT) e do senador Sérgio Petecão (PSD). E que a maioria do seu secretariado apoiará Marcus Alexandre. O comentário é de um jornalista enfronhado na política do município.

Não funcionou

Esta tese de que vão procurar colar o nome do prefeito Marcus Alexandre (PT) às estripulias do seu partido, com a imagem no fundo do poço, não acho que causará desgaste ao petista na campanha. Na segunda eleição para a PMRB não funcionou. O eleitor vota majoritariamente no nome e não no partido. E, principalmente, quando se trata de candidatura majoritária.

Tolerância zero

O governo tem de decretar tolerância zero contra a violência ou a insegurança da população e as ações criminosas impunes vão continuar. O alerta, com sentido, é da deputada Eliane Sinhasique (PMDB). Na sua visão, o governo perdeu o controle no combate ao crime.

Curió de muda

O presidente do PMDB, deputado federal Flaviano Melo, está que nem curió em mudança de pena, não dá um pio. Está evitando entrar nesta discussão do INCRA como o diabo foge da cruz.

Discussão estéril

Foi uma discussão tosca entre deputados da oposição e da base do governo sobre o novo mobiliário do aeroporto. E se deve ser comprado no Acre ou fora do Estado. A questão não é nem essa, mas o governo estadual bancar a compra para um órgão federal, quando há coisas mais importantes com carência, como segurança, saúde e educação, clamando por recursos.

Nadando em dinheiro

A não ser que o Estado esteja nadando em dinheiro para fazer a gracinha com a INFRAÉREO.

Enfim, veio a lucidez

Até que enfim caíram na realidade. O PSDB e o DEM lavaram as mãos e resolveram deixar sob a exclusiva responsabilidade do senador Gladson Cameli (PP), sem interferência, indicar o vice na chapa que disputará o governo estadual. Vice tem de ter total afinidade com o candidato.

Até o fim do ano

O senador Gladson Cameli (PP) deveria esperar o PT anunciar o seu vice, que acontecerá antes de dezembro, para em seguida anunciar o nome da oposição. Seria o tempo ideal para acabar a indefinição dentro da oposição. E já chegar no ano eleitoral com a chapa conhecida.

Nos detalhes
A eleição para a escolha do novo governador, no próximo ano, será decidida nos detalhes.

Fica até o fim
Com a economia melhorando e a segunda denúncia bem mais frágil do que a primeira, é improvável que o Congresso venha autorizar ao STF a investigar o presidente Temer. Deverá ganhar mais uma do PT. O Temer é do Legislativo, conhece todos os seus caminhos.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo