960x100 basa novo

Um nome qualificado e do diálogo

Um nome qualificado e do diálogo

O PT foi feliz na escolha do futuro presidente do partido, o deputado Daniel Zen (PT). Primeiro por ser um político com quem se pode debater sem o ranço autoritário da maioria dos que integram o seu partido. Aceita críticas e rebate sempre num tom educado. Defende as suas teses no mundo das idéias, fugindo do baixo nível das discussões. E, segundo, por ser extremamente qualificado. Zen (foto) é uma das gratas revelações da nova safra de políticos da atual legislatura na Assembleia Legislativa. Daniel Zen, com certeza, dará uma boa representatividade ao PT, tão carente de novas caras. O seu desafio será o de enfrentar uma eleição em que o candidato da oposição a governador tem despontado como favorito. Até aqui, todos os petistas que disputaram o governo nas duas últimas décadas é que eram os favoritos. O vento mudou de direção. O PT sofre o mal dos velhos aviões: a fadiga de material.

Uma observação

Um experiente político observava ontem que, o candidato ao governo, senador Gladson Cameli (PP), se mantém ponderado, com os pés no chão, mas alguns que o cercam flutuam ao invés de andar, dando a eleição como ponto faturado. Amarraram o adversário, é a pergunta?

Casos do PMs

Os PMs das cenas de pancadaria devem ser punidos administrativamente. Nada além. E se espera que na “Audiência de Custódia”, a justiça não mande os três acusados de assaltos presos pelos PMS para a rua. O ato da agressão não invalida o ato das prisões. Olho aberto!

Não se viu o mesmo clamor

Centenas de famílias acreanas tiveram as suas casas invadidas, seus donos ameaçados com armas na cabeça, levaram os pertences mais caros, sofreram pressão, ameaças e não se viu ninguém fazer um movimento, uma fala do pessoal dos Direitos Humanos de condenação.

É a primeira ligação

Só se dá valor ao trabalho da PM quando algo de anormal ocorre com a pessoa e esta se lembra que a corporação existe. A primeira ligação que se faz numa violência é à PM.

Até com dez

No programa “Tribuna Livre” da TV-RIO BRANCO, o ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB), voltou a se posicionar sobre a disputa do Senado: “se a oposição tiver dez candidatos, serei um deles”. O Márcio tem uma virtude na política, quando parte para um objetivo não recua.

Ninho tucano

E continuam as bicadas no ninho tucano. O Tesoureiro da Executiva Regional do PSDB, Edson Siqueira, manda uma nota dizendo que o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) há três anos não paga a contribuição mensal do partido, e como reza o estatuto, por isso não pode ser candidato.

Péssimo sinal

Ao aparecer em primeiro lugar na pesquisa do DATA-CONTROL, abrangendo todos os municípios, a deputada Eliane Sinhasique (PMDB) mostrou que, os seus concorrentes à ALEAC, deputado Chagas Romão (PSDB) e Roberto Duarte (PMDB) não terão vida fácil. Até porque se o PMDB eleger dois deputados, uma das vagas será da ex-deputada Antonia Sales (PMDB).

Puxa-encolhe

Para o Senado o PMDB tem de deixar deste puxa-encolhe e escolher logo quem será o seu candidato, já que seus dirigentes não abrem mão da candidatura de senador. Vagner Sales (PMDB) e Flaviano Melo (PMDB) aparecem tecnicamente empatados com 18% na pesquisa.

Versão do outro lado

O secretário de Segurança, Emylson Farias, ligou para dizer que, avisou sim com cinco dias de antecedência ao deputado Jenilson Lopes (PCdoB) que, não poderia ir à Audiência Pública em Sena Madureira, e que por isso não é verdade que fez pouco caso com o Legislativo ao faltar.

Não está em campanha

O deputado Ney Amorim (PT) não moveu um passo na candidatura ao Senado, como os demais concorrentes, e não poderia aparecer bem na pesquisa. Mas quando se tratou do mandato de estadual, ficou entre os três melhores avaliados no DATA-CONTROL.

Reina absoluta

A deputada Leila Galvão (PT), que aparece como a segunda melhor avaliada na pesquisa de deputado estadual reina absoluta no Vale do Acre. Leila conseguiu ampliar seus redutos em Brasiléia, Xapuri e Assis Brasil e deve fazê-lo, também, na capital. É um nome em ascensão.

Ou vai acabar no MP

O prefeito de Epitaciolândia, Tião Flores, precisa urgente monitorar a sua comissão de licitação. Em pouco mais de uma semana aconteceram duas denúncias de superfaturamento, na compra para a merenda escolar e do café da manhã para os garis. Vai acabar no MP.

Ponta de inveja e reprovação

Um jornalista velho amigo observava ontem numa conversa na ALEAC que, o que ocorre hoje com setores petistas que criticam o prefeito Marcus Alexandre é um misto de ponto de inveja e frustração. Inveja pela sua subida política meteórica e frustração por não aceitar cabresto.

Concordo plenamente

Na visão deste jornalista, o prefeito Marcus Alexandre chegou a um ponto de que, caso saia do PT, não perderá nada e subirá de avaliação na opinião pública. Concordo plenamente. O Marcus tem hoje o que se chama na política de “luz própria”. Conseguiu ter perfil próprio.

É bom para o prefeito

Que os vereadores, o Ministério Público, o TCE, fiquem acompanhando os atos praticados pelos prefeitos é bom para os próprios prefeitos. Evita que cometam deslizes e no futuro venham a ser presos ou mesmo afastados, como aconteceu com muitos da gestão passada.

Nada de excepcional

Avaliam os políticos de Tarauacá de que a prefeita Marilete Vitorino, nestes cem dias de gestão, anda meio atrapalhada nas suas decisões e não conseguiu criar pautas positivas.

Voz da experiência

O ex-deputado federal Osmir Lima considera o senador Sérgio Petecão (PSD), como um dos políticos mais inteligentes do Acre. “O problema é que tem gente que confunde inteligência com formação acadêmica. Na política a formação acadêmica não decide eleições”, pontua.

Nada contra CPI

A CPI é um dos instrumentos com os quais conta o Legislativo. Anda meio desmoralizado porque na maioria das vezes é usado politiqueiramente. Espero que as CPIs da SEHAB e da BR-364, prestes a serem instaladas, se desenvolvam em cima de discussões com provas.

Foi o que mais defendeu

Quando vejo os deputados do PT, menosprezando as CPIs, é bom se lembrarem de que ninguém mais que os dirigentes petistas entraram com pedidos de CPI no Legislativo, quando o partido estava na oposição. Se valia antes como forma de apuração, por que não vale agora.

Bons artigos

O secretário de Segurança, Emylson Farias, tomou gosto pela atividade de escrever e passou a publicar artigos nos jornais e a postar na rede social. Artigos, por sinal, bem redigidos e não cansativos. Não confirma, mais deve ser um dos secretários estaduais candidato a deputado.

A briga pela volta

Helder Paiva, Walter Prado, Zé Carlos, Élson Santiago, Jamil Asfury, Antonia Sales, são alguns ex-deputados que já se manifestaram no sentido de disputar uma vaga na Aleac na próxima eleição.

Falta a reforma política

Acabaram com o fórum privilegiado e aprovaram um projeto que pune o abuso de autoridade. Falta fazer o essencial: uma Reforma Política séria para brecar o surgimento de novos partidos, com a criação da cláusula de barreira e o fim das famigeradas coligações proporcionais.

Perdeu a autoridade

Toda votação que acontece na Câmara Federal o STF se acha com o direito de fazer questionamentos, o que quebra a independência entre os poderes. A questão toda é que quando se trata da classe política se pode pisar na cabeça. No Judiciário e Executivo, nem tocar na unha. Que falta faz um Ulisses Guimarães na presidência do Legislativo. Nesta batida não vai demorar muito para os deputados e senadores ter que pedir licença ao Judiciário até para fazer uma questão de ordem regimental. Uma pena essa desfiguração do Congresso Nacional.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo