960x100 basa novo

Defunto é aprovado em concurso público

Defunto é aprovado em concurso público

Não se trata de uma história do além, de zumbis, mas o fato aconteceu em Tarauacá, terra do abacaxi grande, mulher bonita e homem pequeno. Sebastião Rosalvo, que foi PM, faleceu há 17 anos, e ainda assim foi aprovado num concurso e chamado para ocupar a vaga de motorista na prefeitura, que é governada pela prefeita Marilete Vitorino. Mais do que um fato cômico é uma tentativa de fraude e também um achincalhe à família do morto, que pode entrar na justiça com ação de danos morais contra a prefeita Marilete. Ao MP cabe descobrir quem foi o autor do currículo do morto, submetido à banca de apreciação da prefeitura que realizou o concurso simplificado, e quem está por trás da fúnebre manobra. De cara este macabro acontecimento mostra que não havia um controle rígido da banca de examinadores. A prefeita Marilete pode não saber da história, mas isso não aconteceria sem que alguém da sua gestão não tivesse envolvido. A cômica e dantesca notícia domina as conversas em Tarauacá e tomou o mundo depois que caiu na internet. A prefeita Marilete Vitorino (foto) tem que vir de público dizer quais providências tomou, se afastou os funcionários encarregados do concurso, porque não pode simplesmente calar-se e deixar o dito pelo não dito. Até creio que a Marilete não sabia, mas como gestora tem que responder pelo que acontecer na prefeitura de Tarauacá.

Somente se não quiser

O prefeito Marcus Alexandre, é unanimidade dentro da FPA para a disputa do governo estadual no próximo ano. Só não disputará se não quiser. Se fizer uma avaliação das pesquisas e sentir de que pode perder a prefeitura e o governo, o que lhe deixaria 4 anos fora do poder.

Espectador privilegiado

Todos os caminhos levam a que Marcus Alexandre passará 2017, mantendo seu pique de trabalho, e, principalmente, observando as pesquisas que serão publicadas, antes de falar sobre ser ou não candidato a governador no próximo ano. Tem se mostrado cauteloso.

Com todo respeito, mas é outro quadro

Uma coisa é ter derrotado a deputada Eliane Sinhasique (PMDB) para a PMRB, abandonada por grande parte dos aliados na campanha, e a outra será pegar de proa o senador Gladson Cameli (PP) bem avaliado e com a oposição unida ao seu redor, pela expectativa de poder.

Fim da lua de mel

A prefeita de Brasiléia, Fernanda Hassem, emplacou 90 dias de administração sem um desvio e fazendo o que é possível em época invernosa. Mas, com a chegada do verão acaba a fase de lua de mel com a população, pois passará a ser cobrada pelas promessas de transformar a cidade e, terá que fazer muito mais do que o feijão com arroz que tem feito até aqui.

Papel importante

Feijó e Tarauacá garantiram a vitória do Tião Viana na última eleição. As suas prefeituras estavam com o PT. Hoje, estão com partidos de oposição. O trabalho desses prefeitos, como chegarão em popularidade em 2018, terão influência na briga pelo governo no próximo ano.

Pinta de campanha

Para qualquer mediano observador o deputado federal Moisés Diniz (PCdoB) está em campanha, as suas atividades estão sendo mais populares que na tribuna da Câmara Federal. Mas não parece que, não deve deixar o PCdoB, isso não ajudaria em nada numa eleição.

Dilema político

Ser candidato a deputado federal pelo PCdoB, com a ex-deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) no páreo, isso só teria sentido se acabasse a coligação proporcional e o PCdoB tivesse que sair de chapa própria para a Câmara Federal. Este é o dilema do Moisés Diniz (PCdoB).

Nenhuma chance

Uma figura importante do PT, descartou em conversa recente, qualquer possibilidade da Delegada Carla Brito (PSB) ser a vice numa possível chapa encabeçada pelo prefeito Marcus Alexandre ao governo, representando o Juruá. “Nenhuma chance, nem do Juruá é”, pontuou.

Tremenda conversa fiada

Esta história de que, candidato a vice-governador tem de vir do Juruá é conversa furada. Márcio Bittar (PSDB) tinha a deputada Antonia Sales (PMDB) de vice e perdeu a eleição. Jorge Viana (PT) tinha Binho Marques (PT), que mal conhecia o Juruá, de vice, e ganhou. Não se vota pensando ou olhando para o vice, se vota no perfil do candidato a governador.

No momento oportuno se pegam

Ver os candidatos ao Senado todos perfilados em recente reunião da oposição é uma unidade aparente. No momento em que começar a briga para saber quem ocupará as duas candidaturas para o Senado, acabará o armistício. São cinco nomes para duas vagas.

Para mostrar força

O senador Sérgio Petecão (PSD) trabalha para reunir no grande encontro previsto para o dia 15 de abril na Fazenda “Boi Cagão”, mil militantes do partido, vindos de Marechal Taumaturgo à Assis Brasil. O PSD tem sido um dos partidos da oposição que mais tem crescido, em todo Acre.

Não adianta ficar fugindo

O presidente do PSL, Pedro Longo, que é um ex-Juiz de Direito, deveria aconselhar o vereador Carlos Juruna (PSL), com prisão decretada que se entregasse, porque não ficará escondido eternamente. E não será foragido que será beneficiado por uma decisão do STJ.

Acabou com o discurso

Com a condenação a 15 anos de prisão do ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB) acaba a invenção de que o Juiz Sérgio Moro só foca em dirigentes do PT, como o presidente Lula.

Chapa da pesada

Juntando os deputados Jonas Lima (PT), Daniel Zen (PT), Lourival Marques (PT) e Leila Galvão (PT), com os secretários estaduais e vereadores que serão candidatos, o PT terá uma chapa muito competitiva para a Assembléia Legislativa. Os atuais deputados são favoritos. Estão no poder.

Ainda nem pipocou

Vão sobrar bem poucos dos prefeitos que antecederam os atuais que poderão ser candidatos a qualquer cargo eletivo em 2018. Ninguém vá se admirar se pelo menos três deles forem presos. A coluna vinha alertando que, os tempos são outros e não se faz mais nada escondido.

Dobradinha

Aliados do deputado federal Flaviano Melo (PMDB) defendem que saia candidato a senador, num acordo com o ex-prefeito Vagner Sales, pelo qual apoiaria a reeleição da deputada federal Jéssica Sales (PMDB). A ex-deputada Antonia Sales (PMDB) tem luz própria para voltar à Aleac.

Baque grande

Este corte no orçamento federal terá influência direta nos estados, principalmente, no Acre, que depende quase exclusivamente dos repasses constitucionais como o FPE. O próximo governador do Acre se prepare para receber um Estado quebrado pela conjuntura econômica.

Continua sonhadora

A ex-ministra Marina Silva não muda o discurso piegas de antecipar a eleição. Foi o que se viu na sua última entrevista. Mudar o presidente com o atual Congresso seria o mesmo que trocar seis por meia dúzia, mesmo que ela ganhasse a eleição. Sem uma reforma política profunda qualquer presidente permanecerá refém dos trinta partidos existentes.

Temer cumprirá o mandato

Esqueçam esta decisão do TSE sobre a chapa Dilma-Temer acontecer antes de 2018, todos os juristas que se pronunciaram sobre o assunto não vêem possibilidade do presidente Michel Temer não concluir o mandato. Quem quiser ser presidente que espere o próximo ano.

As verdadeiras pedras do PRB

Vamos colocar as pedras do PRB no seu devido lugar. O deputado federal Alan Rick (PRB) é apenas o presidente do diretório regional, mas quem detém a militância e quem domina mesmo o partido é o grupo da deputada Juliana Rodrigues (PRB) e do vereador Manuel Marcos (PRB). O PRB é um partido umbilicalmente ligado à Igreja Universal, de onde o vereador Marcos é Pastor e a deputada Juliana integrante da cúpula religiosa. O Alan é da Igreja Batista do Bosque. Tanto as coisas funcionam assim que, quando assumiu a presidência regional, Alan tentou indicar nomes para instâncias partidárias, como a presidência do diretório municipal de Rio Branco e não conseguiu. Por tudo isso, o PRB, dificilmente, sairá da FPA para a oposição. E também não vejo o Alan com cara de oposição. Vai indicar o futuro secretário municipal de Ciência e Tecnologia, o Mafran Oliveira. A nova secretaria criada tem trinta cargos.

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo