960x100 basa novo

Ensaio fotográfico de grávida retrata quebra de tabus e discriminação racial

“Eu quis mostrar com esse ensaio que todas as mulheres são bonitas independentemente de cor, raça, altura, entre outros atributos” “Eu quis mostrar com esse ensaio que todas as mulheres são bonitas independentemente de cor, raça, altura, entre outros atributos”

 

A estudante universitária Ediane Caetano, de 21 anos, está no oitavo mês de gestação, ela participou, no início da última semana, de um ensaio fotográfico nu. A idéia partiu do fotógrafo Assis Lima, segundo ele a intenção é mostrar a beleza natural da mulher durante o período de gravidez.

A jovem conta que quando recebeu o convite aceitou de imediato por também acreditar que as mulheres precisam perder a vergonha de mostrar o corpo. “A gravidez é uma fase em que a mulher se encontra mais bonita por estar gerando vida. O ensaio nu foi uma maneira de chamar a atenção para que as pessoas se aceitem da maneira que são” , explica.

Para o profissional Assis Lima, o ensaio foi um sonho realizado. “Sempre tive esse sonho de fazer um ensaio nu de mulheres grávidas, e agora realizei esse sonho”.  

Lima explica que a escolha do cenário pra realizar a sessão de fotos não foi por acaso, segundo ele o ambiente com uma paisagem queimada pôde fortalecer o sentimento que ele quis passar através da fotografia.

7e4accdf 7614 40f3 9a2c f98c275bfabb“Eu escolhi aquele cenário porque transmite a idéia de renascimento, um local que foi queimado destruído, porém volta a ter vida e beleza, dá a sensação de renascimento”, conta.

Ediene diz que se sentiu a vontade para fazer as fotos. Durante a sessão, o fotógrafo passou segurança para ela. “Eu me senti muito confortável em fazer as fotos com o Assis, ele me deu muita segurança. No ensaio me senti livre e aberta para mostrar minha cor, minha raça, minha alegria por estar gerando essa vida dentro de mim”, destaca.

De acordo com Ediane, ela quis mostrar que todas as mulheres possuem beleza independentemente dos padrões da sociedade. “Eu quis mostrar com esse ensaio que todas as mulheres são bonitas independentemente de cor, raça, altura, tipo de corpo, a gravidez é um momento tão lindo” afirma.

Fotografia e combate ao preconceito 

A jovem conta que além de ser um desejo pessoal realizar o ensaio gestante, ela também aceitou o convite do fotógrafo para chamar atenção para os casos de racismos sofridos por mulheres negras. Ediane que foi miss beleza negra em 2016 diz que muitas mulheres negras sofrem por não se sentirem incluídas nos padrões de beleza impostos pela sociedade.

Ela fala ainda que não é comum ver mulheres negras realizarem ensaios durante a gravidez, por receio de sofrerem discriminação. "A gente não vê muitas mulheres negras fazerem esse tipo de imagens por medo, receio, por já sofrerem discriminação em casa, nas ruas, nos hospitais. Algumas mulheres se sentem inferior por causa dos estereótipos impostos pela sociedade" diz.

A estudante disse que sonha com um mundo mais justo para a Laura que deve chegar em breve. "Eu imagino um mundo mais justo, sem preconceito. Um mundo mais tolerante que saiba lidar com as diferenças da sociedade, com mais igualdade, educação e saúde, um mundo onde as pessoas se olhem com mais respeito e compaixão", comenta.

Segundo a estudante, a gravidez já mudou a vida dela. "Ela já mudou minha vida por completo, pois não é fácil enfrentar uma gravidez sozinha, vou ser mais uma mãe sozinha, e vou me superar por ela para ela tenha orgulho de mim", finaliza.

 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

voltar ao topo